Busque o melhor

Desejando apenas tranqüilidade, um emprego para passar nove horas por dia e ganhar um salário no final do mês, se esquecem completamente da afunilação que o mercado de trabalho se encontra, onde busca os melhores, dotados do conhecimento e informações, caracterizando assim um novo tipo de concorrência que é a concorrência mental

Você já parou para pensar em qual objetivo deseja chegar?

Pois bem, a maior parte das pessoas não pensa e nem sabe, no entanto permanecem paradas.

Século XXI, inicio de uma nova era, novas oportunidades e negócios, e é comum observar pessoas sem foco e sem rumo. Desejando apenas tranqüilidade, um emprego para passar nove horas por dia e ganhar um salário no final do mês, se esquecem completamente da afunilação que o mercado de trabalho se encontra, onde busca os melhores, dotados do conhecimento e informações, caracterizando assim um novo tipo de concorrência que é a concorrência mental.

Acirrando ainda mais esse cenário destaca-se outro concorrente que a cada dia ganha mais espaço e confiança, que é a chamada modernização. No sentido de aprimorar processos, a tecnologia vem sendo implantada de forma estrondeante, fazendo com que os acomodados saiam do mercado de trabalho, e ainda considerada por muitos um bicho de sete cabeças. Mas na verdade a tecnologia extingue sim empregos antigos, mas cria milhares de novos postos de trabalho, onde o gerenciamento e a criatividade sobrepõem a função de meros executores de tarefas.

Daí então mediante as características desse novo mundo surge uma nova questão: Multifuncionalismo ou especialização?

O multifuncional devido seu amplo conhecimento consegue realizar varias tarefas em diversos setores, porem os resultados são de nível esperado ou até abaixo do esperado.

Por sua vez o especialista detém muito domínio em uma única função, onde realiza seu trabalho com as ferramentas necessárias e ganha tempo em cada etapa do processo, sendo seus resultados acima do esperado. Porem as duas modalidades apresenta suas limitações, forçando-nos a ter que combina-las e adequando-as com as necessidades da empresa.

Com isso certamente essa reflexão irá causar um turbilhão de pensamentos e duvidas sobre qual ramo ou atividade seguir, ou como permanecer no mercado de trabalho com todas essas mudanças.

No entanto tais questões são individuais, cabendo ao individuo discernir o caminho a trilhar. Só temos que deixar de lado nosso comodismo e frisar que temos capacidade própria e emoções, que nos possibilita sermos criativos e negociadores, funções que a maquina por si só nunca realizará. Apoiado naquilo em que lhe dá satisfação, busque o melhor.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento