Blogueiras de moda transformam o consumo de Fast Fashion e consolidam a atividade como profissão

De passatempo à profissão, escrever sobre moda, vestir modelitos sedutores e fornecer dicas de beleza e estilo de vida são algumas das tarefas das blogueiras de moda. Elas invadiram o mercado silenciosamente com seus instagrams e já fazem parte dos negócios de marcas de roupa feminina. Consideradas mulheres reais por seus fãs, ditam a moda e quase tudo que vestem ou postam vende

Os blogs explodiram há cerca de cinco anos no mundo digital. Novas opção de comunicação informal, caiu no gosto de anônimos pela possibilidade de disseminar o conteúdo democraticamente, sem distinção de idade, profissão ou fama.

Muitos aplicativos surgiram para facilitar o processo de criação e otimização dos blogs e não demorou para que eles se tornassem também um canal de contato de empresas, de famosos e de celebridades com seu público.

No campo da moda, a maioria das meninas começou nessa seara por acaso; a maioria gostava de moda, palpitava na vida de amigas e tinha alguma afinidade com o assunto. Seja por gosto pessoal ou influência familiar (algumas blogueiras têm berço fashion) elas dedicavam um tempo de suas vidas em seus blogs pessoais, divulgando seus pensamentos, opiniões e, é claro, as escolhas em relação ao que vestir, usar, comer e até mesmo visitar.

Devido à familiaridade dos anônimos com essas figuras também desconhecidas, a empatia é quase imediata, como uma amiga muito descolada que não se vê sempre, mas dá dicas ótimas sobre a faculdade ou a viagem de férias. Somado a isso, a explosão de redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter foi muito bem utilizada pelas garotas que fizeram suas vidas 'comuns' aparecerem exponencialmente para cada vez mais pessoas, com apenas um clique.
Diante deste cenário, o passatempo deu lugar à carreira e hoje alcança o patamar de profissão. A rotina de trabalho repleta de eventos, sessões fotográficas, viagens e compromissos sociais exige dedicação, preparo e profissionalização, digna de carreiras formais. Há blogueiras que possuem equipe de trabalho com assessoria de imprensa, financeiro e marketing para administrar suas empresas e garantir agilidade e boas negociações com os patrocinadores.

As marcas citadas nas publicações perceberam que havia um grande nicho comercial a ser explorado e deu-se então o que hoje chamamos de publiposts, postagens dos blogs declaradamente comerciais, que dão direito ao leitor de saber que estão lendo um artigo patrocinado por uma marca. Mas, então, das coisas que publicam como saber o que gostam? "Antes, era o que a menina gostava. Hoje, virou propaganda camuflada de diário”, opina Igor Fidalgo, da agência 220 Conteúdo e Marketing.

As blogueiras contestam e afirmam que o fato de serem patrocinadas não significa que elas não aprovem e garantem que os produtos postados passam por um crivo pessoal. Transmitir a experiência real é fundamental para atrair fãs e seguidores, por isso o cuidado com as parcerias é essencial.
Por se tratar de uma carreira cercada de luxo, mimos e glamour , a profissão de blogueira tem sido almejada por muitas garotas que vêm a possibilidade de trabalhar com aquilo que lhes dá prazer. O Centro Universitário Belas Artes promove um curso de curta duração focado na área de redes sociais digitais, além de um curso livre sobre Fashion Blogging. A Ziromoda, empresa do ramo de moda em atacado, divulgou recentemente um Ebook gratuito sobre as blogueiras de mais destaque no Brasil e do seu nicho de atuação, além de um panorama da profissão e o que fazer para seguir nesta área.


Alguns críticos de moda contestam a eficácia do uso de blogueiras para divulgação de coleções, mas o fato é que elas estão no mercado faturando boas cifras porque agradam seus fãs e parceiros. Para alegria de uns e tristeza de outros, não há indícios de que abandonem a atividade tão cedo.
ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento