Autossabotagem: o seu maior inimigo mora dentro de você

Você tem a sensação de que corre, mas nunca parece sair do lugar? Você encontra dificuldades no caminho que outras pessoas trilharam com facilidade? Você está prestes a assumir desafios quando de repente tudo parece dar errado? Cuidado, você pode estar sendo vítima de si mesmo.

Pensando em situações cotidianas: lembra-se daquela dieta, a fim de perder as gordurinhas a mais, e que nunca dá um resultado significativo? Lembra-se dos finais de semana em que diz ‘ah, mas é só hoje, final de semana pode’. Então, alguém está sabotando o sucesso de seus planos, e esse alguém é você mesmo.

Todas as pessoas já ouviram uma voz interior que conspirava de forma negativa sempre que traçavam novas metas para a vida. Essa voz interior faz com que tenhamos uma serie de atitudes e comportamentos repetitivos e inconscientes que acabam por boicotar nossos próprios sonhos. Isso é o que chamamos de autossabotagem.

Quando assumimos um novo desafio, no primeiro momento, carregamos um espírito de coragem, de mudança, de querer fazer e dar o melhor, mas de repente esse espírito sai de cena e dá lugar a um espírito covarde. Isso porque, aquela voz do interior avisa seu cérebro que você vai começar a caminhar por lugares desconhecidos e assumir novas responsabilidades para si mesmo, neste momento uma série de dificuldades imaginárias é criada e você se julga incapaz de lidar com o que está por vir.

Como já dito, todas essas ações são inconscientes, portanto obedecemos a essas regras sem nos darmos conta. Mas você ainda deve estar perdido nestes conceitos sem saber exatamente onde se encaixa. Vamos lá.

Você já pensou em quantas vezes justificou ou deu desculpas a si mesmo por atitudes que deveriam, mas não foram tomadas? Já pensou em quantas vezes deixou de fazer algo e pensou ‘amanha eu faço’? Já pensou em quantas vezes disse ‘ah é só hoje’ para você mesmo, na esperança de que fosse verdade?

No decorrer da vida profissional e pessoal, encontramos diversos casos de autossabotagem em que as pessoas desistem de sonhos por insegurança, por não se sentirem tão capacitadas a realizá-los. É o caso, por exemplo, daquela velha frase ‘eu já estou muito velho para fazer esse tipo de coisa’, ou até mesmo ‘este curso está muito caro, se fosse de graça…’.

Temos um sentimento em comum em ambas as frases e ele se chama preguiça. Você não quer fazer nada do que é proposto e é capaz de listar inúmeras desculpas tentando encontrar a que mais lhe convença a, de fato, não realizar o propósito.

Agora pense: Se você estivesse novo você faria? E o curso? Se ele realmente fosse grátis você dedicaria parte do seu tempo a aprender algo novo? Provavelmente, não. Você começaria a esboçar outra lista de desculpas para convencer a si mesmo de que o que está fazendo é o melhor, mesmo que você saiba que não é.

Ocorre que quando ações desse tipo são tomadas com certa frequência, não nos damos conta do quanto estamos remando contra o nosso próprio destino, a nossa própria felicidade. De certa forma é difícil enxergarmos sozinhos que estamos alimentando um inimigo dentro de nós mesmos. Porém quando conseguimos enxergar, muitas vezes, essa situação já tomou proporções gigantes e irreversíveis.

Ficou com medo? Então é hora de parar um pouco sua agenda turbulenta e se olhar no espelho, fazer uma autoanálise.

Onde você está? Está feliz? O que tem feito para melhorar sua vida? Quais pensamentos e atitudes tem feito você sair do lugar? Quais seus medos e suas vontades? Preste atenção em toda a sua trajetória, seus fracassos e perdas, tente encontrar os reais motivos para não ter tido sucesso em suas escolhas. Pense em como teria sido se tivesse feito diferente. É de grande importância, nessa parte, você estar aberto a fazer uma autoavaliação.

Agora faça o contrario. Pense nas suas maiores vitórias, quando seguiu os seus sonhos, o que você realmente queria para você. Pense nos comportamentos e atitudes tomadas, nas lutas, e em tudo que conquistou. Agora pense nos resultados se você tivesse feito exatamente o que não deveria ser feito.

Muitas pessoas tentam buscar outros culpados, como os colegas de trabalho e até mesmo o chefe, e acabam por mentir para si mesma e cometer os mesmos erros lá na frente, em outra oportunidade, em outro momento. Mas, se deu errado novamente, pense que o problema pode estar em você, nas atitudes e comportamentos tomados, quando não deveriam ter sido tomados, e você sabe que não deveriam. Pare de mentir para si mesmo, e encontre o seu ‘eu’ interior e conheça-o.

Conheça seus sonhos, seu propósito, seus pontos fortes, seus pontos fracos. Valorizar e aprimorar suas habilidades, inverter pontos fracos em pontos de melhoria e fazer com que eles se transformem em pontos de sucesso interior, é uma ótima maneira de começar a transformar seu maior inimigo em seu melhor amigo.

Saber lidar com os próprios sentimentos é ter inteligência emocional, e esse é o primeiro passo para uma carreira promissora.

Texto publicado originalmente no blog da autora: https://thaisxrodrigues.wordpress.com/

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento