Autonomia e expectativa de crescimento movem profissionais para atividade de consultoria

O que leva profissionais, muitas vezes empregados com todos os benefícios da CLT, a migrarem para a área de consultoria? De acordo com a pesquisa "Consultoria 2011/2012 - Um retrato sem retoques", as respostas são: maior espaço, liberdade e possibilidade de crescimento na carreira.

O levantamento foi realizado pelo Portal Consultores (www.consultores.com.br), maior comunidade mundial de consultores em países de idioma português, em parceria com Bernardo Leite Consultoria e apoios da Success Tools, Editora Fênix, InterAmplitude Soluções para Web, AAPSA (Associação Paulista dos Gestores de Pessoas) e HB Hotels - Ninety Convention.

Durante uma semana (1º a 8 de agosto de 2011), 539 profissionais que atuam como consultores empresarias, prestadores de serviços e palestrantes responderam a pesquisa. Todos os estados do Brasil tiveram representantes na amostra.

Quando questionados sobre os motivos que os levaram à área de consultoria, 36,5% responderam "maior liberdade e autonomia". Já "crescimento profissional" foi a opção de 28,7%. As outras respostas mais votadas foram "possibilidade de maior remuneração" (20%) e "dificuldade para conseguir emprego "(6%).

"Essa busca por mais espaço levanta a hipótese de que as empresas não estão dando a independência desejada pelos profissionais", afirma Dino Mocsányi, mentor do Portal Consultores e autor do recém-lançado livro Consultoria: O Caminho das Pedras (ed. Nelpa - 262 páginas).

O que corrobora com essa possibilidade é o fato de que quase a metade dos profissionais tornou-se consultor recentemente (quatro anos ou menos).

Gestão

Apenas 8,8% dos que responderam a pesquisa afirmaram que os negócios decresceram nos últimos 12 meses. Mantiveram-se estáveis 45,5%, enquanto 45,7% cresceram.

A expectativa para o próximo ano também é de otimismo. 77% acreditam que crescerão e 20% apostam que continuarão no mesmo nível. Somente 3% são pessimistas.

"Não há dúvidas que se trata de um mercado em expansão, mas é preciso que esses profissionais se qualifiquem para atuarem como consultores", explica Dino Mocsányi, que já ministrou treinamento de formação e aperfeiçoamento para mais de 100 turmas em todo o Brasil.

Para mais informações sobre a pesquisa "Consultoria 2011/2012 – Um retrato sem retoques", acesse www.consultores.com.br

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento