Café com ADM
#

Auto-seleção de Empreendedores

Em uma palestra que participei um executivo de uma multinacional confessou que ganhava R$ 30.000,00 / dia e no intervalo me perguntou: "Quer entrar na minha empresa?". Respondi sem pestanejar: "Sim, claro!". "Então pague o preço. Eu já paguei". Pensei: "Como é que é, pagar para trabalhar?!?! Esse cara tá maluco!". Ele se referia a todo o investimento que ele tinha feito nele mesmo, com literaturas, treinamentos, MBA, reuniões, viagens, tempo, dinheiro e suor. E a todo o investimento necessário no processo de seleção para a entrada em uma multinacional. Antes de ser selecionado ele precisou pagar um preço para se auto-selecionar. Ao entender isso, caiu a ficha (o fichário, guarda-roupas, porta-malas também) e vi que o que aconteceu e está acontecendo comigo é um processo auto-seletivo e somente eu devo pagar o preço para me tornar "selecionável". Assim como as empresas abrem processo de seleção de novos empregados e executivos, os empreendedores também passam por um outro processo: o de auto-seleção. Segundo o SEBRAE, muitas empresas têm fechado as portas de seus negócios antes de completarem 2 anos de existência. Isso quer dizer que os empreendedores estão sendo despedidos de seus próprios negócios. Mas por que? Dou abaixo 3 motivos básicos. Aproveito e faça uma auto-entrevista para saber se você está preparado para ser empreendedor. Analogicamente, lavradores não são muito diferentes dos empreendedores. São aqueles que preparam a terra (planejamento), plantam (investimento) colher (start-up e/ou produto final) e vão ao mercado vender seus frutos (retorno financeiro). O que achamos em comum entre lavradores e empreendedores? ATITUDE. Este é o primeiro passo na auto-seleção de um empreendedor. O empreendedor tem que ter atitude. A motivação de um empreendedor é totalmente uma atitude própria e intransferível. Vejo todos os dias na BPList (www.bplist.kit.net), pessoas de várias formações ou ainda em formação, mas todas com algo em comum: busca de informação. É baseado nas informações que o empreendedor age. Porém, para agir é preciso o segundo passo na auto-seleção: ÂNIMO. E de onde o empreendedor tira o ânimo para agir? Seria é imaturo dizer que o ânimo é ganhar dinheiro. Assim como dizem em Goiás "a necessidade faz o sapo pular", poderemos dizer que a sobrevivência pode ser uma das fontes de ânimo, mas há ainda o reconhecimento profissional, a realização pessoal, a vaidade e o desejo de ver um sonho se transformar em realidade. O ânimo tem que ser maior do que crises pessoais, conjugais, econômicas. O ânimo tem que passar por cima das especulações e de seus especuladores e atropelar a alta do dólar. O ânimo faz o empreendedor correr o risco de um eventual fracasso. O ânimo transforma o fracasso em trampolim para a vitória. E nisso o empreendedor brasileiro tira de letra. A maioria só esbarra na hora de se organizar. Ai não adianta ter tido atitude e ânimo. É fato mensurado por pesquisas que um dos motivos de um negócio não ir para frente é pela falta de planejamento. Assim, o último passo do seu processo de auto-seleção é saber se você está bem organizado com o planejamento estratégico do seu negócio. Com todos os objetivos, estratégias, estudo de cenário, visão de mercado e das necessidades do seu público alvo, descritos num plano estratégico, o empreendedor terá melhores chances de dar certo. Agora a auto-seleção deve ser um processo contínuo onde o plano é visto e revisto a cada etapa e meta cumprida. Na auto-seleção de empreendedores ATITUDE + ÂNIMO + ORGANIZAÇÃO = $uce$$o.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.