Autorresponsabilidade: quem está no controle da sua vida?

Como disse Benjamin Disraeli: “O homem não é produto das circunstâncias. As circunstâncias são produto dos homens”

Pesquisadores da psicologia acreditavam na divisão das pessoas em dois grandes grupos: um grupo com o lócus de controle externo e outro com o lócus interno. O grupo com o lócus externo focava o local de controle nas circunstâncias externas, ou seja, boa parte do que viviam e sentiam era apenas reflexo do mundo ao redor. Eles sofriam todos os tipos de pressões, preocupações e injustiças sociais. O segundo tinha o lócus interno, ou seja, o local de controle em si próprio. Agiam como verdadeiros protagonistas das próprias vidas, criando o estilo de vida, atuando como influenciadores do meio, não apenas como influenciados. Vivendo em situações semelhantes, o segundo grupo tinha um processo de decisão interna. Eles entendiam que, apesar das limitações externas, as vidas poderiam melhorar se agissem tomando o controle das situações.

O psicanalista Viktor Frankl criador da Logotomia explorou bastante essa teoria em Auschwitz. Ele criou um tratado cientifico, dentro do campo de concentração nazista, analisando a si mesmo e as pessoas que estavam com ele durante o mesmo período. Uma das constatações que ele afirmava e comprovou posteriormente era que, apesar de todo o maltrato e violência, nada tiraria das pessoas o poder de decidir como lidariam com aquela situação. Portanto, quem daria sentido e significado era o lócus controle. Ele observou quem tinha o lócus interno: tinham uma visão positiva pós campo de concentração e aguentavam viver por mais tempo naquele lugar desumano. Um exemplo contemporâneo desse princípio é Nelson Mandela, líder sul africano que ficou preso por mais de 20 anos e não se entregou ao ambiente que estava, pelo contrário, formou-se em cursos superiores e se preparou para liderar o país quando estivesse em liberdade. Foi o que ele conseguiu.

Podemos sempre encontrar milhares de explicações para aquilo que deixamos de fazer por preguiça. Para não precisar sair da zona de conforto e repensar nossas escolhas pessoais, inventamos justificativas. Mesmo com histórias e estudos como os citados anteriormente, parece-nos muito mais simples acreditar que fomos mal na prova porque ela estava “mal formulada”. Também é mais confortável acreditar que “engordei porque não tenho tempo de me alimentar corretamente”. Cada um tem o relacionamento que merece, o emprego que deseja e os problemas que conquista. Não adianta encher a casa de sal grosso e nem ir tomar passe no centro espírita enquanto os principais obstáculos residirem dentro de você mesmo.

Se você ainda acredita que a sua vida é resultado das condições que o governo proporcionou, ou que o seu chefe é o responsável pela sua situação econômica atual, você está agindo como uma vítima das situações. Ou seja, não está sendo auto responsável, não está com o lócus Interno de responsabilidade. Quem responsabiliza os fatores externos pela vida que tem, comporta-se como uma vítima. O indivíduo auto responsável atribui a si próprio as situações de fracasso e de sucesso.

As pessoas que crescem na carreira, nos negócios e na vida se responsabilizam pelas próprias escolhas. São arquitetos da própria vida. É claro que nem todo mundo nasce em situações totalmente favoráveis, uns mais pobres, outros mais ricos, mas todos nós somos capazes de mudar a nossa situação, seja ela qual for. Você escolhe, simplesmente, aceitar ser vítima das circunstâncias, ou ser protagonista da sua vida e a partir disso, mudar.

Se escolher ser auto responsável e mudar o seu foco, essa consciência lhe trará a oportunidade única de ver o seu mundo apenas como resultado das suas ações, revelando o poder ilimitado de mudar qualquer resultado na sua vida. Além disso, a auto responsabilidade lhe dá a força para perseguir os seus sonhos, já que a responsabilidade pelos resultados não pode ser atribuída a mais ninguém, apenas a você.

A solução para se libertar da cela imaginária está em você. Preocupe-se mais com a influência que exerce em cada situação do que com as coisas que acontecem lá fora. Lembre-se, diariamente, que você nasceu para progredir, prosperar e foi capacitado para pensar, sonhar, realizar, lutar e construir. Seja auto responsável e comece a transformar sua vida agora.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento