As TICs tornam as pessoas mais espertas ou menos racionais?

O uso de forma não apropriada da tecnologia tem resultado em experiências desagradáveis e, muitas vezes, até mesmo perigosas para as pessoas e para os negócios

Não podemos negar que as TICs (Tecnologia da Informação e Comunicação) têm mudado nosso cotidiano de forma bem significante onde, cada vez mais, a maneira de como nos comunicamos com as pessoas e o mundo está em movimento acelerado e crescente, proporcionando novos meios de se comunicar e deixando métodos tradicionais obsoletos.

Estas tecnologias possibilitaram o acontecimento de inúmeras situações em prol de um objetivo comum, que antes, parecia impossível. Por exemplo, o projeto do evento recente que reuniu mil fãs de Foo Fighters na cidade de Cesena, na Itália, para tocarem juntos a música "Learn to fly" como forma de pedir um show da banda; as manifestações políticas que pedem o impeachment do governo atual; entre outros.

Por outro lado, segundo dados da CNTTL – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Logísticos – (2014) e da UOL Carros (2014), falar ao celular tem sido a maior causa dos acidentes de trânsito.

Ainda, segundo uma matéria feita pela Exame (2015), a TIC em sua diversidade, ocupam as quatros primeiras posições do ranking de dez situações que afetam a produtividade no trabalho.

Diante desses fatos, e em muitos outros casos, podemos elencar tanto de forma positiva quanto negativa a influência que as TICs têm diretamente no impacto do comportamento social e, assim como eu, certamente, em algum momento, se indagar sobre duas questões:

  1. Com o uso da TIC, ficamos mais espertos ou menos racionais?
  2. Estamos gerenciando o tempo em que usamos a TIC ou ela tem gerenciado nosso tempo?


Há alguns dias, a foto acima – de um estabelecimento da cidade onde resido – tem circulado nas redes sociais e isso me chamou a atenção para escrever este artigo.

Assim como eu, provavelmente você já passou pela desagradável experiência de entrar a um estabelecimento e não ser atendido – ou ficou esperando por ele – devido o atendente “estar” no Facebook ou conversando pelo Whatsapp. Lembro-me que em algumas situações o atendente se tornou apático pelo motivo que eu – como cliente, de alguma forma, o atrapalhara naquele momento. De fato, tal atitude não cai nada bem para os negócios dessas empresas.

Há muitas discussões por aí do tipo “comunicação é tudo” e “as organizações precisam liberar o Whatsapp, o Skype etc. para seus funcionários”, portanto, antes que, de fato isto aconteça, muitas questões relevantes devem ser elencadas pelos gestores e as organizações precisam levar em consideração o alinhamento da TIC com suas estratégias. Portanto, uma ação leviana ou um gesto de complacência para com os colaboradores pode ocasionar perda de produtividade e insatisfação do cliente, obtendo um resultado contraproducente e, por consequência, afetando os resultados da organização a longo prazo.

Você, em algum momento, já se deparou por quantas vezes o seu “mundo” parou quando seu smartphone recebe uma notificação? Contou por quantas vezes perdeu o foco ao se distrair com uma nova conversa a cada momento?

De maneira alguma estou desqualificando a grande evolução benéfica que as TICs têm nos proporcionado. Posso enumerar diversas delas como as reuniões de videoconferência, os home offices, a graduação na modalidade EaD etc. No meu caso, em específico, faço muito uso das TICs para me organizar. Uso como recurso imprescindível na maioria dos meus meios de comunicação para me relacionar com outros profissionais – networking – e aprimorar conhecimento .

Minha grande indagação, de fato, é se as TICs têm tornado as pessoas mais espertas ou menos racionais e, para finalizar, deixo dois vídeos – “Vamos fazer um selfie?” e outro publicado por “Vivan Las Curvas” – muito legais a respeito de como a TIC tem influenciado nosso comportamento.

Reflita e comente sua opinião.

ExibirMinimizar
aci baixe o app