As perdas necessárias

As perdas são parte da vida e por isso inevitáveis. Perdemos e ganhamos ao longo de toda a nossa existência. E precisamos aprender a perder

Aprender a lidar com as perdas é uma competência que precisamos sempre desenvolver. Reconheço que em algumas situações, como por exemplo, a perda de um filho, torna-se um ato quase de heroísmo. Mas, ainda assim, é necessário reagir.

Serei mais ameno na dor: vamos falar de trabalho. Esta semana um de meus mais antigos clientes solicitou a rescisão do nosso contrato de consultoria. Coisas da crise. O baque inicial é grande e a notícia nos atordoa, principalmente quando inesperada. Negação, rejeição, raiva. E a autoestima despenca.

É nesta hora que devemos viver o luto da perda. Não pule esta etapa! Reconheça seu sofrimento, não se engane, até chore, se isto te fizer bem. Alivie seu coração de mágoas, de culpas, mas dê espaço ao sofrimento: estou triste e pronto!

Passada esta fase, é hora de reagir. Veja o lado bom da perda - sempre há um lado bom. Ela te tira da zona de conforto, cutuca sua criatividade, faz enxergar novas possibilidades, desengaveta aquele sonho que estava adiado. Você retoma projetos, sua vida, e começa a perceber que nada é em vão.

Quanto tempo leva cada fase? Impossível pré determinar, Depende da perda, de você, dos influenciadores externos. Administre o seu tempo. Sofra, mas não mais que o necessário. Reaja, coloque energia na sua vida, reflita sobre os aprendizados da perda, renove seus projetos e vá em frente. Afinal, o mundo te espera.

A vida de todos nós começa com uma grande perda. Sair do aconchego do útero materno, onde tudo é fácil, ganhar uma palmada e começar a se defender das agressões do mundo dos homens é nossa primeira experiência de perda. E ainda assim não é tão fascinante viver?

ExibirMinimizar
aci baixe o app