AS PEQUENAS EMPRESAS DEVERIAM CONTRATAR OS EXECUTIVOS DAS MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS, DISPONIVEIS NO MERCADO.

AS PEQUENAS EMPRESAS DEVERIAM CONTRATAR OS EXECUTIVOS DAS MÉDIAS E GRANDES EMPRESAS, DISPONIVEIS NO MERCADO. Para suprir a falta de capacitação e experiência dos pequenos empresários deveriam contratar, mesmo que temporariamente ou em períodos menores esses profissionais experientes e com visão aguçada de negócio, mas sem condição de ter o seu próprio negócio. A experiência acumulada ao longo dos anos poderá ser um diferencial competitivo para as pequenas empresas, pois colocará em prática sua ampla experiência e visão adaptada á uma pequena empresa, como também um salário compatível com a capacidade financeira da pequena empresa. As vantagens seriam para ambas as partes: Para o profissional, ele voltaria para o mercado e sua auto-estima se elevaria, acabaria com a sua depressão e sua dignidade como provedor da família seria restabelecida; estará também em melhores condições para repensar sobre como planejar a sua vida profissional, verificando que poderá assessorar outras pequenas empresas com o tempo disponível que lhe resta; talvez sentirá a necessidade de fazer uma pós-graduação de um ano, onde irá aprender muita coisa nova e reciclar outras já esquecidas. Para a pequena empresa, o diferencial de possuir um profissional já experimentado, que passou por diversas provas e dificuldades, conhecedor das áreas administrativa e financeira, comercial e marketing, planejamento estratégico e outros. Como sabemos a pequena empresa tem grandes dificuldades na gestão de seus negócios, normalmente são administradas pelos próprios sócios, que tem formação técnica ligado ao seu negócio, mas sem a formação administrativa de gestão, tais como administração, finanças, economia, marketing, etc. isto tem levado a um grande numero de falências, concordatas e fechamento nos seus primeiros anos de vida. A maioria dos problemas de gestão nas empresas ocorre devido a ineficientes sistemas de informações gerenciais, quando existem, falta de comunicação como também trabalhadores desmotivados; inexistência da área de recursos humanos; manutenção da imagem do dono da empresa e falta de profissionalização da gestão, onde o profissional contratado irá ajudar pela sua vivência. Sem o conhecimento do mercado, da concorrência, da formação de preços, do controle dos gastos, do controle dos estoques, do fluxo de caixa, do ponto de equilíbrio, de um planejamento tributário, da legislação pertinente ao seu negócio, os empresários tomam decisões incompatíveis com os objetivos das empresas levando-as a morte precocemente. Os profissionais dos escritórios de contabilidade que são os administradores não fornecem um sistema de gestão com informações seguras e antecipadas, com alternativas de tomadas de decisões. Nesse sentido, torna-se relevante também estudar o papel dos escritórios de contabilidade na gestão das pequenas empresas, que na sua maioria são administradas por tais escritórios servindo-se dos seus próprios instrumentos, a informação contábil, fiscal e gerencial, interpretando-os para informar, orientar e guiar a administração no seu processo de gestão e tomadas de decisões mais convenientes, e integrar o sistema de informações contábeis ao sistema de gestão empresarial, evitando-se assim a mortalidade precoce das empresas. Nessa perspectiva, este profissional disponível no mercado irá sugerir alternativas ao pequeno empresário, como também alguns modelos de gestão, para auxiliar os gestores e proprietários das empresas de pequeno porte a controlarem as suas atividades operacionais, e a interpretarem e comunicarem as suas informações de cunho gerencial, monitorando-as em todas as etapas do processo de gestão. Autor: Cláudio Raza; Administrador de Empresas, Economista, Contador, Pós-Graduado em Gestão de Pessoas para Negócio, Professor Universitário, mais de 35 anos assessorando empresas.E-mail: c.raza@terra.com.br
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.