As organizações comparadas à atração sexual.

O que te atrai na pessoa que lhe desperta desejos? O que te atrai em uma empresa que oferece uma vaga de emprego? O que atrai uma empresa a contratar alguém? Uma comparação entre atração sexual e atração organizacional.

O que te atrai na pessoa que lhe desperta desejos? O que te atrai em uma empresa que oferece uma vaga de emprego? O que atrai uma empresa a contratar alguém?

Estes três questionamentos nos conduzem a uma comparação importante ligada a um cenário não só competitivo como também misterioso que é o mercado organizacional.

De um lado estão os homens, que utilizam de todos os artefatos disponíveis para cantar e encantar alguém, desde um batom até formas de se portar para conquistar a pessoa a qual desperta o desejo ímpeto de possuir, e do outro lado, estão as organizações, que fazem de tudo para terem os melhores funcionários, as melhores mão de obra disponível no mercado, para poder assim conquistar novos mercados e vencer os desafios de cada dia.

Para melhor entender cada fase do encantamento e da arte de encantar usaremos os detalhes, inicialmente no homem e na mulher, e em seguida faremos uma comparação com as atitudes das organizações.

Em um primeiro momento, uma mulher, quando tem a intenção de despertar a atenção de outra pessoa, seja ela homem, mulher ou uma empresa, maquia-se, perfuma-se e veste a melhor roupa, no intuito de chamar atenção com seu corpo e seus atributos externos e é claro que na arte da guerra sexual com certeza irá chamar atenção e despertar o desejo de muitos e até mesmo de alguma empresa, que, por sua vez tende a usar estes atributos para desempenhar suas funções.

Pois bem, estes aspectos externos, sendo eles superficiais podem ser motivo de engano, e por vezes não diz nada do que realmente a pessoa é feita. Assim, comparando este aspecto de maquiar-se, embelezar-se para conquistar outrem, as organizações criam perfis que por vezes não existem, forjando assim uma imagem que muitos almejam, porém que não é a realidade. Neste caso, causando decepções assim como na vida amorosa, a partir do momento em que as mascaras caem, revelando uma face totalmente inversa àquela que inicialmente é apresentada com toda a maquiagem.

Empresas baseadas em falsas imagens tendem a atrair a melhor mão de obra, porém é difícil mantê-las, vale lembrar alguns dos atributos que são utilizados para atrair como ser corretamente sustentável, socialmente responsável, possibilidade de crescimento dentro da empresa e outros atributos que são apenas fachada para encantar, atrair, e depois causar decepção nas pessoas.

Ainda neste aspecto considerado como um estereótipo, encontramos as mulheres com corpos espetaculares e os homens com seus corpos torneados, que são o chafariz no momento do encantamento do parceiro ou parceira. Nota-se que o motivo principal da atração é o corpo, aspectos físicos são encarados como o instrumento para atrair. Nas organizações não é diferente, considera-se atributo de atração o espaço disponível para trabalho, o salário, os benefícios e toda a estrutura que a empresa tem disponível, criando uma atração apenas pelo físico, pelo estereótipo.

Nos dois casos encontramos os aspectos físicos, que são importantes, porém não quer dizer que seja o mais importante, assim como as maquiagens, fazer com que o corpo tenha atributos que atraiam, e na organização tenha seu espaço físico bom, tratam-se de atributos superficiais e que mais uma vez não revelam nada sobre a essência da pessoa ou da empresa.

Depois deste primeiro momento, em que a superficialidade é ultrapassada, entramos em um momento de descobrimentos, em que ficam claras não só as formas e as características físicas das pessoas e das empresas, mas também o que exatamente elas têm a oferecer ou não. Assim entramos em um estágio de fixação ou desapego, em que as pessoas que dão continuidade na relação amorosa, com maior intimidade e permissões que acontecem com o tempo e no lado organizacional cria-se um vinculo empregatício de maior tempo. Toda relação que não tem sua devida manutenção sofre perdas, quando não deixam de existir, profissionalmente dizendo, uma organização tem de manter atualizados os benefícios, salários, e todos os atributos relacionados ao momento em que o funcionário adentrou na empresa. Na falta desta manutenção, ocorre o desgaste na relação profissional com a empresa, podendo ocasionar pedidos de demissão por insatisfação, tanto com o ambiente como resultados obtidos de seu trabalho.

Esta relação em um determinado momento é intima e produtiva, em outro momento torna-se exaustivamente repetitiva, com a ausência de novas oportunidades, novos desafios, e quando existe algo novo, as empresas podam, fazendo com que seus funcionários tornem-se objetos que fazem parte de uma máquina, coisa que é fácil ser substituída.

Encarar a realidade e a real necessidade de cada um, seja em uma relação de duas pessoas, seja numa relação profissional, deve-se considerar todos os detalhes, para que não hajam situações egoístas, presunçosas.

Que tipo de pessoa você é? Qual é o seu atributo principal? Que tipo de empresa é a sua? O que fazer para se dar bem em todas estas situações?

A resposta é o diálogo com a outra parte, para questionar o que é realmente a verdade, o que realmente vem ser um benefício. A transparência é sempre bem vinda, assim como a verdade.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento