As leis que não são cumpridas nas pequena

São comuns em todos os países democráticos, os direitos fundamentais das pessoas, qualquer democracia que se preze: "Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza" (artigo 5°). No interior de nosso Brasil, muitas leis são desrespeitadas, principalmente as que beneficiam pobres.

São comuns em todos os países democráticos, os direitos fundamentais das pessoas, qualquer democracia que se preze: "Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza" (artigo 5°). Ninguém em sã consciência pode negar a situação de desigualdade social e de oportunidades em que se encontram os negros no país, encontramos em quase todos os textos que falam das desigualdades sociais.

Penso que em nosso país há mais preconceito não diretamente ao negro, mas ao pobre, aos deficientes e idosos, construída historicamente e jamais revertida ou amenizada. Facilmente se comprovam nas filas dos hospitais, nos postos de saúde, onde não há remédio para os pobres, mas facilmente adquiridos por pessoas amigas de funcionários públicos.

Vemos com tristeza, idosos e deficientes pagarem passagens. Ano passado denunciamos fatos ocorridos na linha de ônibus que liga Luisburgo a Manhuaçu, onde um grupo de idosos resolveu não pagar passagem, o ônibus parou e a policia foi chamada, todos foram parar na delegacia, mas o problema continua.

Em Lajinha MG. Presenciei a discussão de um senhor com o trocador, o motorista parou o ônibus e só partiu depois que o senhor de mais de 75 anos pagou a passagem, indignado com o desrespeito à lei fui falar com o Promotor de Justiça de Lajinha, ele me disse: "não tenho conhecimento desses casos, nunca um idoso veio aqui reclamar", falta sensibilidade para entender, esses idosos nem sabem que existe uma promotoria e nem virão.

A maioria do povo desconhecem seus direitos, ainda mais o povo sofrido do interior! Sugiro que promotores e juízes façam pelo menos uma vez na vida: deixe seu gabinete e seu automóvel e visite uma comunidade desconhecida, seja por um cidadão comum, com certeza vai aprender bastante com a prática. Entre numa fila de algum posto de saúde ou do INSS para sentir na pele o que sofre o nosso povo. Há histórias bonitas de meninos pobres que sentiram a discriminação contra seus pais, sofreram todo tipo de humilhações, mas foram à luta estudaram e hoje são promotores ou juízes. Pena que alguns preferem esquecer o passado e fazer vista grossa contra os desmando das autoridades e dos grandes empresários desonestos que visam somente o lucro.

No Distrito do Prata município de Lajinha MG. Os ônibus que saem de lá levam somente três idosos de graça, os primeiros que entrarem no ônibus, isso só de ida a volta sempre é cobrada, que critério é este? A lei é federal e independe de regulamentação municipal, é bem clara: todos os maiores de 65 anos tem direito à gratuidade nos coletivos.

Cabem às autoridades tomarem providências. Comprovam-no todas as estatísticas de acesso à educação e ao emprego, de renda, de acesso aos bens e serviços. Comprovam-no o senso comum e a simples observação do dia-a-dia. Os idosos os pobres ainda são largamente discriminados e merecem, como cidadãos, políticas de inserção social. Ninguém pode ser condenado ao sofrimento e à exclusão por nascer pobre. Se os pobres e idosos são vítimas do preconceito, o Estado tem o dever de buscar mecanismos legais para incluí-los na sociedade cidadã. Alguém há de negar? Devair G. Oliveira

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.