As crenças e seus reflexos no dia-a-dia

Ao passo que a pessoa desenvolve crenças e pensamentos positivos, seus sentimentos consequentemente serão positivos, alegres, e suas atitudes também serão dessa forma. Assim, pode-se entender que: pensamentos geram sentimentos que geram atitudes

As crenças e valores pessoais são as bases que norteiam as atitudes de cada indivíduo. Reconhece-las e avalia-las diante das ações diárias fazem com que haja o desenvolvimento e evolução da sociedade.

Cabe ressaltar que o conceito de crença exposto nesse artigo não está relacionado à crença religiosa, mas sim nas convicções que cada um possui com relação à diversos assuntos da vida. Crença nesse sentido, faz referência com paradigmas, que são modelos ou padrões a serem seguidos em determinada situação.

Na psicologia, autores correlacionam o conjunto de crenças e valores individuais aos modelos mentais. Peter Senge, autor do livro - A Quinta Disciplina, conceitua que “modelos mentais são pressupostos profundamente arraigados, generalizações, ilustrações, imagens ou histórias que influem as nossas maneiras de compreender o mundo e nele agir”.

Ao passo que a pessoa possui e desenvolve crenças e pensamentos positivos, seus sentimentos consequentemente serão positivos, alegres, e suas atitudes também serão dessa forma. Assim, pode-se entender que: PENSAMENTOS geram SENTIMENTOS que geram ATITUDES.

As crenças moldam as pessoas, portanto podemos e devemos avaliá-las para evoluir, pois o ser humano deixa de crescer e evoluir quando não se abre para conhecer e viver novas crenças. Quando estas são superadas ou até mesmo rompidas, funcionam como mola propulsora para o crescimento e a conquista de novas.

O cérebro é como um terreno fértil, sendo que tudo que “plantarmos” será moldado e gerado consecutivamente como o esperado. Outra analogia que pode ser realizada sobre o funcionamento do cérebro humano, é comparando-o com um software, aquilo para que ele for programado para fazer de fato o será.

Outro fator importante para ser analisado cujo impacto provem dos valores e crenças pessoais, são os julgamentos e os respectivos critérios utilizados nessa situação.

Certa vez ouvi uma história que narrava a situação em que um homem estava com seus dois filhos no metrô, e os mesmos estavam fazendo a maior algazarra no vagão do trem, correndo de um lado para o outro, incomodando os passageiros, pisando nos pés das pessoas, e muitas pessoas olhando para o pai com olhares fulminantes ao perceber que o mesmo não tomava nenhuma atitude quanto a repreensão das crianças por aquele comportamento. Até que uma mulher, extremamente incomodada com aquela situação, pois sabia o esforço que fazia para educar seus filhos para não se comportarem de maneira semelhante, não se conteve e foi ao encontro do pai daquelas crianças e disse:

- Você não está vendo a algazarra e o incômodo que seus filhos estão causando no ambiente, você não vai fazer nada?

O pai extremamente constrangido e envergonhado respondeu:

- Minha senhora, me desculpe, perdoe-me, mas não tinha prestado atenção. Na verdade, acabei de sair do hospital onde minha esposa estava internada lutando contra uma doença e infelizmente ela faleceu e até agora não consegui contar para os meus filhos que eles nunca mais verão sua mãe e estava pensando em como dar essa notícia para eles...

Como a narrativa da história demonstrou, o julgamento tende sempre a ser imediato de acordo com os valores individuais, por isso devemos nos atentar para evitar pré-julgamentos em relação as atitudes alheias, sem ao menos procurar entender o outro.

Portanto, reflita, aproveite as experiências de vida, aprimore-se através do autoconhecimento para identificar, reforçar ou criar novas crenças, pois assim seu futuro será melhor!

“Quem não critica o que crê não lapidará suas crenças, quem não lapida suas crenças será servo de suas verdades. E se suas verdades forem doentias, certamente será uma pessoa doente”. Augusto Cury

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento