As brasileiras ocupam o 4° lugar na lista de estresse do mundo.

As mulheres têm desempenhado múltiplos papéis, que contribuem para os altos níveis de estresse. A sobrecarga é o fator principal pelo qual as mulheres sofrem mais de estress que os homens.Elas infelizmente são menos reconhecidas e valorizadas no trabalho, esse quadro vem mundando ao longo do tempo.

O Estresse é uma problemas que afeta a todos nós e vem se agravando a cada dia,mês e ano.Patricia Zwipp, comenta o seguinte:
As brasileiras ocupam o quarto lugar na lista das mais estressadas, de acordo com uma pesquisa da Nielsen Company. As indianas estão no topo do ranking, seguidas pelas mexicanas e russas. Os dados foram divulgados pela CNN.

O levantamento analisou 6.500 mulheres em 21 nações, de fevereiro a abril de 2011. Constatou que, em todo o mundo, desempenham múltiplos papéis, que contribuem para os seus níveis de estresse.

A análise concluiu também que as entrevistadas que vivem em países em desenvolvimento tendem a ser mais estressadas que as dos desenvolvidos. O Economic Times sugere que, no caso da Índia, as empresas e locais de trabalho têm se desenvolvido, mas a sociedade não mudou. Assim, as indianas vivem o conflito de conciliar a carreira e a vida familiar com padrões tradicionais.

As mulheres de países com economia em desenvolvimento tendem a gastar mais dinheiro em roupas, itens de beleza e saúde, e educação para os filhos. As de locais desenvolvidos o dedicam mais a férias, poupança e pagamento de dívidas.

Confira abaixo os países com mulheres mais estressadas:

1 Índia (87%)
2 México (74)
3 Rússia (69)
4 Brasil (67%)
5 Espanha (66%)
6 França (65%)
7 África do Sul (64%) Itália (64%)
8 Nigéria (58%)
9 Turquia (56%)
10 Reino Unido (55%)
11 EUA (53%)
12 Japão (52%), Canadá (52%) e Austrália (52%)
13 China (51%)
14 Alemanha (47%)
15 Tailândia (45%) e Coréia do Sul (45%)
16 Malásia (44%) e Suécia (44%)

Sobrecarga de trabalho é o principal motivo de estresse entre as mulheres

As mulheres são mais sensíveis aos fatores externos e, talvez por isso, acabam assimilando mais os níveis de estresse. E, entre esses fatores, a dificuldade de lidar com a dupla jornada de trabalho é uma delas, mesmo que elas estejam mais adaptadas a isso hoje do que antes.

Pesquisa da ISMA-BR (International Stress Management Association) mostra que as mulheres estão sobrecarregadas de trabalho e esse fator é a causa do estresse, que atinge 94% delas.

"Como ainda existem diferenças entre os sexos no mercado de trabalho, as mulheres acreditam que precisam produzir mais para provar que são competentes, além de cumprirem uma dupla jornada de trabalho, que inclui afazeres domésticos", explica a presidente da ISMA, Ana Maria Rossi.

O estresse das mulheres advêm, principalmente, pela diversidade de papéis delas. "As mulheres querem fazer tudo bem, querem cumprir todas as tarefas do dia a dia", afirma Ana Maria. Mas nem sempre é possível.

Carreira incerta e reconhecimento

Se, entre as mulheres, a diversidade de papéis é a principal causa de estresse, entre os homens, é a incerteza de continuar ou não na empresa e suas chances de crescer profissionalmente. Esse fator gera preocupação em 91% deles.

Entre as mulheres, esse fator é a segunda causa que mais gera estresse e que acomete 83% delas. O motivo para que essa insegurança não apareça na primeira posição deve-se justamente ao fato de a mulher ainda não ter se consolidado no mercado em postos de liderança.

Para a presidente da institiuição, outro fator aumenta ainda mais o estresse das mulheres: a falta de reconhecimento. "Se a mulher que tem diversidade de papéis se sente satisfeita, ela tende a ter uma maior qualidade de vida", afirma Ana. "Mas, se ela não for reconhecida, ela tem 60% mais chance de ficar doente", considera.

Ana ressalta que conforme a mulher vai se sentindo mais reconhecida, ela automaticamente deixa de se preocupar com a questão da diversidade de papéis e passa a colocar a questão da incerteza profissional como o principal motivo de estresse.

Lidando com o estresse

O estudo da ISMA mostra que, ainda que as mulheres sejam mais estressadas que os homens, elas conseguem lidar melhor com o estresse que eles. E exatamente por isso elas vivem mais e melhor. Um dos comportamentos que fazem a vida delas mais leve, apesar de todas as pressões no trabalho e fora dele, é a facilidade de elas falarem sobre o que sentem.

Falando, como explica Ana, elas passam a entender melhor suas emoções e passam a ter maior conscientização das suas condições físicas e emocionais. Com isso, nos primeiros sinais de estresse, elas buscam ajuda. Ter uma maior disciplina na prática regular de técnicas de relaxamento e cultivar crenças também ajudam as mulheres a viverem melhor.

Fonte: Portal InfoMoney

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento