Aprendendo com os semáforos
Aprendendo com os semáforos

Aprendendo com os semáforos

Você já parou para pensar como seria o tráfego nas grandes cidades se não existissem os semáforos?

Você já parou para pensar como seria o tráfego nas grandes cidades se não existissem os semáforos? Pois, bem! De fato não seria muito agradável, já que infelizmente nossa sociedade é muito individualista e ignorante (Não generalizando. Ainda existem algumas pessoas de bem).

Como sabemos, os semáforos são ferramentas simples, muito simples, que controlam com eficácia e de forma estratégica todo um sistema de tráfego, seja de veículos ou de pessoas. Simplesmente controla. Você já deve ter presenciado alguma vez estar no trânsito ou até mesmo tentando atravessar uma rua em um momento onde por algum motivo os semáforos estavam desligados. Eu já passei por isso, é muito tenso. Mas porque é tenso? Simplesmente pelo fato de todos os carros e pessoas quererem continuar o seu percurso sem ser impedidos. Pense no seguinte: existem pessoas que avançam mesmo o semáforo estando no vermelho, agora tente imaginar uma criatura dessas em meio a uma situação caótica que não esteja controlada por semáforos.

Mas vamos ao que de fato nos interessa. Como vimos acima, um semáforo foi uma solução muito simples e sem dúvida muito eficaz, tão eficaz que faz parte da sociedade desde 1868 (obviamente que não existiam em todas as cidades nessa época, como existem hoje). Fazendo uma analogia e trazendo para dentro de nossa realidade empreendedora, vamos procurar aprender com essa simples ferramenta que controla o tráfego de diversas cidades do mundo.

Simplicidade: analisando como um todo o sistema de gestão de um conjunto de semáforos, notoriamente e com muita facilidade podemos perceber a simplicidade que se encontra. Sem sombra de dúvidas o semáforo mesmo sendo tão simples tem a capacidade suficiente de chegar ao resultado esperado, ou seja, o controle. Podemos aprender com esse fato que os processos nem sempre precisam ser cheio de regras e burocracia para dar certo. Às vezes uma simples ideia acaba se saindo muito melhor que um processo burocrático. Simplificar é necessário.

Verde: o sinal verde, nos mostra que está tudo em ordem, que podemos seguir em frente.

Amarelo: o sinal amarelo, nos mostra que podemos sim seguir em frente, mas com certa dose de cautela. Ter cautela independente da situação, sempre é bom.

Vermelho: o sinal vermelho, aaah, esse ninguém gosta. Mas, uma coisa boa: podemos aprender com ele. Aprendemos que às vezes a organização não vai para frente - e não vale avançar enquanto estiver no vermelho, pois dará problema uma hora - e devemos ter a sabedoria de aprender com os próprios erros e, se possível, com os dos outros. Em momentos de sinal vermelho, devemos apenas manter a postura profissional, analisar e tomar a correta decisão, pois se fizermos isso em seguida o sinal será verde novamente, e, nesse caso a empresa continuaria a seguir em frente. Só depende de você!

Trazendo essa analogia para a gestão de empresas, facilmente percebemos que existem básicas regras (sinais) de conduta e que, se levadas a sério, tudo ocorrerá bem. É necessário a capacidade de constantemente se fazer três perguntas-chaves: Onde estou? Por que estou? e Para onde quero ir?. Com essa ideia em mente, você estará constantemente se instigando a fazer o que é correto.

Ser profissional é necessário. Nunca ouvi alguém comentar que a empresa do "oba oba" deu certo. Temos que aprender que existem três momentos na vida das empresas: o momento em que tudo está bem e o crescimento continua (Verde); o momento em que tudo está indo bem, mas é preciso ficar atento com as armadilhas do mercado e/ou até mesmo os custos desnecessários (Amarelo); e o momento que a empresa chega ao ponto em que parou de avançar e ainda corre o risco de não seguir em frente (Vermelho).

Muitas pessoas dizem que a administração é muito simples, que é algo muito lógico. A verdade é que, de fato, é simples, mas por ser tão simples muitos empreendedores relaxam e só dão a devida atenção quando já não se tem muito a fazer.

O inteligente é aquele que aprende com os próprios erros, já o sábio é aquele que aprende com os erros alheios. Não esqueças disso. Aprenda a aprender.

Grande abraço. Sucesso!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento