Antes de vestir a camisa da empresa, vamos vestir primeiro a nossa.

Você com certeza veste ou já vestiu a camisa da empresa.Vestiu muito que até esqueceu de você. Devemos trabalhar sim com: ética, responsabilidade, comprometimento, lealdade, honestidade, humildade, independentemente da empresa. Mas existe uma pequeno detalhe que sempre esquecemos, de NÓS mesmos.

Abrimos mão várias vezes da nossa família, do nosso lazer em prol da empresa, até ocorrem desentendimentos entre casais. Vestir a camisa da empresa é bom, porém a empresa deve dar o devido valor para você, porque tudo na vida existe um limite e não devemos esquecer de nós, para o nosso próprio bem e crescimento profissional e pessoal.


Quando a empresa tiver que demitir vai fazer sem dó, independentemente dos motivos, e é nessa hora que paramos e vamos pensar em nós.
E o que você ganhou por abrir mão de algumas coisas pessoais?

Ficamos até revoltados com a demissão, porque trabalhamos muito e nos dedicamos para que? Se a mesma foi para melhor tudo bem, será menos traumática. Porém sabemos que isso faz parte do jogo em todos os lugares.


Mas existe uma coisa muito importante que levamos e que ninguém tira da gente que é o conhecimento e a experiência e convivências com determinadas pessoas.

Tudo bem que temos que trabalhar para sustentar a nossa família, a empresa pensa nisso? Hoje você está em uma empresa, amanhã estará em outra.
Devemos ser profissionais e não amadores.


É por essa razão que devemos estar atentos e sempre aprendendo, inovando estudando, aperfeiçoando porque se parar com toda a certeza outros ultrapassaram.Temos que trabalhar para viver e não viver de trabalhar.


Devemos ter uma postura e atitudes que não comprometam a nossa imagem pessoal e profissional, porém com muita responsabilidade.Não estou aqui dizendo que ninguém não tem, mesmo porque sabemos que muitas coisas não depende de nós, por mais que façamos ainda é pouco, ou melhor " não fazemos mais que a obrigação, pois estamos sendo pagos para isso", não é assim que alguns dizem?


A questão do comprometimento


Antes de você vestir a camisa da empresa, comprometa-se com você. Maria Inês Felipe, comenta com muita propriedade o seguinte:


Comprometimento está diretamente ligado com seus próprios valores. Para vestir a camisa da empresa, é necessário, antes de qualquer coisa, estar comprometido com seus reais valores e princípios.

No entanto, é impressionante como tenho encontrado, em meus trabalhos nas empresas, pessoas inseguras, perdidas, querendo chamar atenção, arrogantes, infelizes e com conflitos pessoais entre o ser e o parecer.


Viver acreditando que parecer é mais importante que ser pode ocasionar situações embaraçosas e, muitas vezes, insustentáveis, provocando conflito pessoal e relacional.

Então, a questão é: como pessoas que vivem dessa forma poderão comprometer-se com o outro se abandonam a si mesmas?

Como as empresas podem querer comprometimento dos colaboradores se elas negligenciam a própria conduta humana? Muitas vezes, praticam a frase:

"Quem não se sujeita não se ajeita!" e desconsideram os valores pessoais, formas de pensamento, reconhecimento das habilidades pessoais, crenças e valores de cada um.


Tenho trabalhado muito nas companhias com resgate dos valores pessoais e empresariais para que se tenha o comprometimento com a missão, visão e valores organizacionais, assim como a reciprocidade entre empresa e colaborador e vice-versa.

Nessas experiências, percebo como o ser humano está se descuidando, ficando cada vez mais voltado para o outro, fazendo tudo para agradar o próximo, demonstrando o que não é, comprometendo-se com o outro e descomprometendo-se consigo mesmo.


Os conflitos não elaborados nem harmonizados se apresentam no estado consciente sob muitas formas, prejudicando nossas relações interpessoais, manifestando-se de maneira agressiva, destrutivamente, sugerindo mau humor, arrogância, fuga de responsabilidade, insegurança, medo e, muitas vezes, falta de ética.


A desarmonia entre o que pensamos, falamos e realmente fazemos nos transforma em vítimas de nós mesmos. Caso sinta-se de alguma forma assim, abandonando-se, sem força para prosseguir, é o momento de parar, refletir e buscar a harmonia e a integridade pessoal. Somente desse modo você conquistará a felicidade e a interação com tudo e todos que nos cercam.


A fidelidade pessoal leva à relacional. Se não estou coerente comigo mesmo, como poderei ser com as pessoas que estão ao meu redor? O ser integral deve trabalhar partindo da própria vida, aceitando-se como é, buscando aprimorar-se, engajando-se no mundo em transformação e sem perder seus valores pessoais, morais e éticos.


Lembre-se, fundamentalmente, de que a obediência externa leva ao envolvimento, já a interna ao comprometimento.



Para um crescimento pessoal, sugiro que você:


» Procure a auto-análise sempre retomando e revendo os valores pessoais.


» Retire as máscaras que cobrem seu verdadeiro ser.


» Reconheça suas próprias virtudes olhando para si mesmo e admitindo seu valor.


» Não busque respostas para justificar sua falsidade pessoal.


» Seja, acima de tudo, íntegro consigo mesmo.


» Coloque a humildade e aprendizado à frente da arrogância.


» Não se atormente com erros cometidos, aproveite-os para crescer.


» Cuide de seu "Deus" interior da mesma forma que você cuida com carinho do outro, não o abandone. Observe.


» Perceba o ambiente e as pessoas que o cercam e pense de que maneira poderá contribuir com seus reais valores.


» Analise a missão, visão e valores da empresa em que trabalha, veja se são compatíveis com você. Se forem, ótimo, pratique! Caso não, pense de que forma poderá contribuir com seus valores pessoais.


» Avalie de que maneira seus valores poderão contribuir para uma sociedade melhor, reflita mais e pratique-os.


Um abraço à todos os leitores que tenham uma ótima Sexta-Feira, como também um final de semana, com muita saúde,paz e proteção;


Antônio Alves dos Santos

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Antônio Santos

    Antônio Santos

    Formação:

    Bacharel em Administração de Empresas e Pós Graduação em Produtividade e Qualidade. Ampla experiência na área produtiva voltada à administração de pessoas. Atualmente autônomo na área de administração de empresas e colaborador no Portal Administradores, na elaboração de artigos de diversos temas , na administração das empresas.

    
    
    
    
    
    
    café com admMinimizar