Água: cadê? Alguém viu?

Estamos na procura da água, todos ou quase todos economizando. Pode até ser culpa do governo, mas a certeza é de que devemos economizar, plantar árvores, pesquisar e fazer a nossa parte na luta para ter água

Marchinhas de carnaval de tempos passados diziam que água vem do ribeirão. O Guilherme Arantes cantava. No leito dos lagos. Gotas de Chuva. Águas que movem moinhos. Terra!Planeta água.

Na música é perfeito fala sobre o ciclo da água, mas a realidade é uma só, o Brasil está sem água o problema é a chuva que há muitos anos não cai o previsto, pode até ser, a culpa é da má administração dos gestores que acompanhavam que a cada ano menos chuva caia e mesmo assim, não alertou a população para economia desse bem natural.

Hoje estamos sem água e mesmo assim, o governo tem a coragem de dizer que não estamos passando por uma crise hídrica grave e sim um momento difícil, eu digo muito critico o estado de São Paulo está fazendo rodízio, caminhão pipa passando nos municípios uma vez na semana, e mesmo assim não estamos passando por uma crise, sinceramente campanhas por toda parte tem que acontecer, não tem que deixar acabar para tomar providências eficazes. A reserva do sistema Cantareira está como sertão nordestino, pode andar no que antes era água virou terra seca, antes a Cantareira abastecia 62 cidades do interior paulista, no momento opera com o menor índice da sua história.

A água é o elemento que dá estabilidade e coesão à matéria. Além de ser uma das principais substâncias do corpo humano, ela é responsável pela percepção de sabor e está ligada à alegria e à satisfação. O alerta está lançado: as próximas guerras serão desencadeadas pelo acesso a água, comida e energia. Com isso, abre-se um novo capítulo na era dos conflitos bélicos por recursos naturais. Isso se dará se não racionarmos a tempo de economizar, de planejarmos um futuro melhor para nossos filhos e netos o mundo não pode acabar por uma crise hídrica que existe sim e pode ocorrer em todos os estados, se não tivermos uma gestão de qualidade.

São Paulo desde ano passado não chove cima da média, mas no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), ficou marcado negativamente pela crise do apagão, houve uma série de apagões no então governo, o que fez a população racionar energia. Racionar é necessário agora também, mas de forma consciente, sensibilizar a população com campanhas em todos os municípios o problema não é só do Estado de São Paulo é da população brasileira, todos precisamos economizar, para no futuro voltar a dizer. Terra! Planeta água.

E a escassez de água não será só um problema dos países pobres, dizem os especialistas. A busca por recursos vitais vai se tornar um problema global, que exigirá soluções globais. Para resolver as questões urgentes que garantirão a preservação da água no planeta, cada um terá que fazer a sua parte. Acredito disso fielmente, temos que parar com essa cultura egoísta que assola o brasileiro. Ah! Isso é longe daqui, nunca vai acontecer com a gente. Vai sim se não economizar água vai acabar. Temos que parar de lavar as calçadas, murros ou fachadas, temos que aprender a varrer, as Prefeituras por meio da Secretária de Meio Ambiente e de Cultura pode fazer campanhas para que os alunos ou a população tragam ideias inovadoras de economia hídrica o governo de desconto da conta de água individual, criar sim uma competição saudável para economizar. Não a tempo de pagar para vê e sim temos de nos unirmos para ter água o bem maior na humanidade que o Brasil está acabando.

No Brasil, temos uma situação maravilhosa se comparada a outros países. Somos os reis da água doce, com a maior reserva do planeta. Mesmo com sua situação privilegiada, o Brasil está passando por dificuldades hídricas. Muito da nossa água já está contaminada e em várias regiões a população sofre com a falta dela ou com péssimas condições de saneamento. Situação complicada que temos que nos educar atrás de banhos menos demorados. Fechar a torneira na hora de escovar os dentes, lavar as mãos, tomar banho, fechar a torneira para lavar louça, enquanto ensaboa a louça, troque válvulas de descargas por caixas econômicas, concertar torneiras que estão pingando. Medidas simples do dia a dia que fazem a diferença na luta pela economia hídrica.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento