Afinal, o que acontece com a Grécia?

O que está acontecendo com a economia da Grécia? Por que tanta negociação?

Para quem não entendeu muito bem o que aconteceu na Grécia, vai um texto.

A Grécia nunca foi uma economia industrial, pois sempre foi bem turística. Quem nunca ouviu falar das lindas paisagens das praias gregas?

Pois bem, depois que entrou na Zona do Euro - não vou citar aqui se foi necessário, se era factível ou não -, mas ela entrou. Acontece que os gastos governamentais gregos explodiram desde então. Mas, com a bonança pré-crise, todos os bancos europeus emprestaram dinheiro para a Grécia. Isso foi levando, indo até que estourou a crise de 2008 e a Grécia começou a cambalear.

Foi aprovado um pacote de medidas para salvar a economia da Grécia, envolvendo a Troika (FMI, BCE, Comissão Europeia).

Esse pacote aumentou impostos, cortou aposentadorias, metas para superávit primário e todo o receituário já conhecido do FMI.

Isso gerou recessão, recorde de desemprego – estima-se que a taxa de desemprego foi para 30%, aumentando para 50% entre os jovens.

Acontece que a dívida grega ainda não entrou em uma tendência de queda, e a Grécia precisa da aprovação de mais € 7,2 bilhões de ajuda financeira para fechar as contas.
Fato contínuo, agora existem dois lados na história. Vou apresentar aqui e depois cada um tire a conclusão que quiser.

Há o lado do governo grego, que elegeu um ministro de extrema esquerda, principalmente por eles usarem a bandeira de que a Grécia já passou por sufoco demais e mesmo assim não sai da lama. Esse governo não abre mão nas negociações de que mais cortes só vai sufocar ainda mais a combalida economia grega.

Além do mais, se eles fecharem um acordo com mais arrocho, correm o risco de serem depostos. Lembrando que eles foram eleitos baseado no “Sou contra tudo que está posto aí”.

Do outro lado está a Troika. Defendendo que mais países que estavam em crise na zona do Euro – Espanha, Itália, Portugal – tiveram o mesmo tratamento de choque e “conseguiram” colocar a casa em ordem. Além do mais, avaliam que a Grécia usou a farta liquidez para fazer uma farra com benefícios. Estima-se que a Grécia gasta com aposentados mais de 16% do PIB, enquanto a Alemanha gasta 10%.

A União Europeia considera que a aposentadoria na Grécia tem bem mais benefícios que qualquer outro país da UE. Com isso, há espaços para cortes. Além de, na avaliação deles, haver espaço para aumento de impostos.

Para fechar, para que lado será que vai a Grécia?

Sinceramente, eu acredito que a Grécia vai ceder às pressões da Troika e tentar um acordo. Afinal navegar mares nunca antes navegados, não é pra qualquer um.

Concluindo, indico a leitura da reportagem de hoje que saiu no Valor sobre o possível desfecho da história grega.

http://www.valor.com.br/internacional/4099012/sem-acerto-hoje-impasse-entra-numa-fase-critica

ExibirMinimizar
Digital