Adaptação - Um legado ou uma barreira?
Adaptação - Um legado ou uma barreira?

Adaptação - Um legado ou uma barreira?

O artigo trata do desafio da adaptação dos profissionais em transição de carreira diante da nova cultura de trabalho nos novos empregos

Caros leitores,

Nos posts anteriores abordei o processo de recolocação com um projeto e tratei de vários aspectos. Sobretudo, dei dicas na montagem do currículo a fim de torná-lo mais competitivo para as entrevistas de emprego. Refleti, ainda, sobre a busca de uma atitude proativa para um networking seletivo de acordo com seus objetivos, bem como fiz algumas sugestões sobre a montagem de um plano de ação para um bom desempenho nas entrevistas de emprego.

Fechando o ciclo de posts sobre o tema, embora o assunto seja inesgotável, gostaria de destacar um período muito importante na carreira de um profissional: o início das atividades na empresa que acabou de lhe contratar e os primeiros meses ou anos de experiência no cargo ocupado.

Então, existem algumas questões a se refletir desde o princípio. A cultura da empresa na qual você está ingressando se coaduna com o seu estilo de fazer as coisas? A forma como você enxerga o negócio está em linha com as práticas de seus líderes? Seus pares, da mesma forma, trazem afinidades com sua formação profissional? Essas questões precisam ser refletidas a fim de que você possa compreender de que forma vai agregar valor ao negócio e, sobretudo, como vai se adaptar às mudanças.

O cerne desse tema trata justamente em como se adaptar às novas demandas na nova organização, a fim de que se tenha vida próspera na nova empreitada.

Um dos grandes problemas para a longevidade dos profissionais que começam a atuar em uma nova empresa reside na dificuldade em se adaptar à cultura, ou seja, o “jeitão” da empresa de resolver suas demandas. Muitas vezes o profissional trabalhou vários anos ou décadas em outra organização, exerceu cargos ou funções de maior responsabilidade e com autonomia para tomada de decisões e, no entanto, agora ele se vê diante de uma cultura diferente. Isso não significa dizer, necessariamente, pior ou melhor que a anterior, mas de uma cultura que destoa da sua experiência profissional. E, então, pergunta-se: como se posicionar diante desta situação?

Como este cenário é mais comum do que se imagina, essas reflexões precisam ser feitas ainda no processo de recolocação, no qual o profissional está em busca de uma nova oportunidade, embora saibamos que muitas vezes o termo oportunidade nessa situação, pode ser, na verdade, uma necessidade. Contudo, sendo necessidade ou oportunidade, o fato é que o profissional terá que se adaptar à nova empresa e estar preparado para fazer mudanças internas em seu modo de agir, pensar e resolver os problemas ou propor soluções. E se não estiver em linha com a cultura da nova empresa, haverá percalços que poderão culminar numa ruptura em um curto espaço de tempo, ou levar a um período longo de muitos desgastes.

Portanto, proponho que faça o dever de casa antes mesmo de escolher uma empresa para trabalhar. Se possível, obtenha informações sobre ambiente de trabalho, sobre os desafios do cargo, líderes do departamento e a longevidade do últimos ocupantes do cargo, uma vez que essas informações podem ser obtidas inclusive na fase de entrevistas. Mas, se isto não foi feito, e você se depara agora com uma situação inesperada, então, será necessário se reinventar. Eis aqui o desafio atual de muitos profissionais após um longo processo de entrevistas, dinâmicas e seleção.

Se reinventar é a grande premissa para a adaptação. Se você não estiver disposto a repensar algumas das suas posturas que podem lhe atrapalhar na nova empresa, sua adaptação será difícil. E por vezes, o melhor caminho é sair pela porta da frente. Então, dê o seu melhor enquanto estiver por lá e converse com seu líder sobre suas dificuldades e o desejo de sair da empresa. Mas, se você acredita que pode rever sua forma de ver as coisas e se adaptar à nova situação, então aproveite para fazer os ajustes necessários e se adapte, com resiliência, não deixando de pedir ajuda a um colega ou ao seu líder. Neste processo, você poderá ter um bom crescimento profissional, tornando-se mais maduro e preparado para enfrentar novas mudanças que certamente surgirão ao longo da sua trajetória profissional. Portanto, cabe a você avaliar se vale a pena o desafio.

Desejo a todos muito sucesso em suas carreiras. Nos encontraremos em breve!

Caso queiram discutir o tema, deixem seus comentários.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento