Acreditação como instrumento para redução de custos

O modelo brasileiro de atenção à saúde é fragmentado e precisa evoluir para um modelo de atenção integral à saúde visando a sustentabilidade. O programa de Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde é uma alternativa para as organizações que primam pela qualidade dos serviços prestados com racionalização de custos e excelência na gestão

A Wikipédia define Acreditação como o reconhecimento formal por um organismo independente especializado em normas técnicas daquele setor de que uma instituição atende a requisitos previamente definidos e demonstra ser competente para realizar suas atividades com segurança. As acreditações na área de saúde certificam as instituições que demonstram possuir ações/processos que priorizem a segurança e qualidade no atendimento ao paciente baseados nas melhores práticas internacionais vigentes.

Em se tratando de Operadoras de Planos de Saúde o processo de Acreditação foi normatizado pela ANS na RN 277 e visa aumentar a qualidade e segurança dos serviços prestados pelas OPS.

A Saúde Financeira das OPS depende da Gestão da Sinistralidade, Gestão dos Custos/Despesas e da Alavancagem da Lucratividade. Se analisarmos a estrutura atuarial básica dos Planos de Saúde observamos um máximo de 70% de custo assistencial, 12% de despesas administrativas, 5% de despesas comerciais e 7% de impostos diretos, viabilizando uma margem de 6%. Por outro lado, este cálculo não demonstra a realidade do mercado, pois sabemos que os custos assistenciais estão superiores a 80% e há dificuldade em manter os demais custos nos patamares tradicionais devido a diversas variáveis como aumento da judicialização, mudanças na legislação (aumento do Rol por exemplo), novas tecnologias, entre outras. Este fato leva as operadoras a dedicarem-se cada vez mais a implementação de novas práticas de gerenciamento.

Nossa experiência em Operadoras de Planos de Saúde e Prestadores de Serviços de Saúde tem nos mostrado a dificuldade dos gestores em definir o instrumento mais adequado para balizar seu Sistema de Gestão. Isto leva a implementação de práticas alinhadas à norma ISO 9001:2008; ao Modelo de Excelência em Gestão; boas práticas do Sistema 5S; Sistema Lean; metodologia MASP; Balanced Scorecard; PDCA e outras ferramentas da qualidade. Todas importantes e aplicáveis ao segmento de saúde, desde que sejam utilizadas de forma integrada numa estrutura de processos interdependentes, sistêmicos e coerentes com a estratégia. O pecado que estamos cometendo é iniciar a implementação de algumas práticas e ao longo do caminho, mudar os rumos e iniciar um novo projeto.

Isto impacta diretamente na queda da produtividade e nos custos.

A Acreditação é o instrumento que reúne todos os aspectos essenciais para a boa gestão dos serviços de saúde, unindo nas diversas dimensões, os aspectos fundamentais para a boa administração dos processos internos, priorizando a qualidade dos serviços com saúde financeira (solvência) para a OPS. A principal contribuição da Acreditação na redução de custos refere-se ao Planejamento da Gestão, identificando custos mais importantes; perfil da carteira de clientes; Pareto dos procedimentos, usuários e credenciados, informações analisadas e geridas num sistema que prioriza a qualidade da assistência; que foca a saúde e não a doença e que o processo decisório é baseado em fatos e dados analisados e geradores de ações de melhoria fundamentados nas melhores práticas e benchmarking. A sustentabilidade da saúde depende de governança e gestão e o processo de Acreditação fornece os requisitos para estruturar o sistema de trabalho com este foco.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento