Acompanhe o cliente e o mercado

As mudanças acontecem rapidamente no mercado, e as pessoas têm de se atualizar numa velocidade cada vez mais exigente, e isto tem criado algumas insatisfações por parte de quem não tem conseguido ou não quer mudar. Para quem tem vontade e não consegue, talvez falte tomar maior consciência a este respeito e buscar maior ritmo à sua própria estrutura mental, que por alguma razão não coopera na medida necessária. Para o caso dos que não querem mudar, achando que tudo não passa de modismo e que é pura perda de tempo, é bom lembrar que em outros tempos muitas novidades chegavam até as pessoas e aqueles que pensavam de forma contrária tiveram que mudar também, pois que do contrário perderiam seus trabalhos e há aqueles ainda que o perderam. Não devemos esquecer que somos o exemplo vivo de mudança, pois estamos em constante mutação, ainda que lentamente. Nascemos bebês e vamos adquirindo algumas posturas que nos permitem ver o mundo e as pessoas com novos enfoques de compreensão e ação, mudamos então para o período em que somos chamados de crianças, novas atrações tomam o nosso cotidiano, além de entrarmos nas instituições sociais que fazem mudar o ponto de vista e os comportamentos, as escolas, daí por diante vamos acompanhando cada degrau que nos muda para um novo e mais alto patamar do saber. Novo período nos chega, a adolescência, e que mudança acaba ocorrendo! Em seguida somos convidados a crescer mais e rapidamente, uma vez que precisamos nos tornar adultos e assumir responsabilidades, às vezes nos fazendo mudar do lugar onde fomos criados, mudar de emprego, etc. Já na idade madura vamos mudando de situações tais como o estado civil, com noivado, casamento, nos pondo em contato com diferente situação, e em seguida temos os filhos, que também nos fazem mudar, e muito. O passar do tempo traz o declínio ou a velhice, que é mudança também, e assim somos o tempo inteiro. Normalmente as pessoas passam por quatro etapas distintas durante o processo de uma determinada mudança. Quando ela se apresenta até nós, então a tratamos com indiferença, e neste primeiro estágio fingimos que não a vemos, apesar dela nos emitir pequenos, mas constantes sinais de que está a caminho. No segundo estágio já percebemos que a mudança continua se aproximando, apesar da nossa indiferença, daí agimos com rejeição, procurando mantê-la distante, não a queremos por perto. No terceiro estágio passamos por um período de indecisão, já que a nossa rejeição não foi suficiente para nos garantir a distância, pensamos no que perderemos com a rejeição continuada ou se vale à pena aceitar. E, finalmente, no quarto estágio, aceitamos a mudança, procurando tomar maior conhecimento sobre o que exatamente se trata e nos levando a um aprofundamento do caso, gerando a adaptação. O pensar e refletir sobre as mudanças fazem parte de um processo saudável de encarar o que nos espera pela frente, nos dando a chance de avaliar tudo que diz respeito, permitindo uma entrada mais bem elaborada, apesar de alguns traumas que possam ocorrer, e com este tipo de comportamento podemos obter o hábito de aceitar, quando de justo acordo e aceitação, participar de uma mudança. A questão que dificulta o nosso ingresso numa mudança ou que nos retarda demais a esta participação é o medo exagerado, onde nem queremos saber sobre o que exatamente e como se dará determinada mudança, além das velhas crenças que nos dizem internamente: Sempre atendi desse jeito e sempre deu certo, não há porque mudar e sofrer com estas coisas. É ai que nos enganamos, pois que o velho jeito de sempre talvez esteja causando prejuízo, frente às novas e melhores formas de fazer mais produtivamente alguma coisa. Olhamos para outras pessoas e vemos que elas conseguiram mudar quando foi preciso, e temos a sensação de que não conseguiremos. Mais uma vez nos colocamos na posição do impossível, de atribuir um êxito somente para o outro. Falsa impressão, pois que já tivemos que mudar muitas vezes e conseguimos, ora num grau melhor, ora não, mas mudamos, de ponto de vista, de atitudes, etc. Quando nos habituamos às mudanças conseguimos avaliar melhor e até mais rapidamente as circunstâncias que chegarão até nós, nos dando margem de tempo e reflexão para avaliar uma determinada decisão a ser tomada ou não. Ficar parado não faz com que as coisas aconteçam, ou pior, podem nos colocar em situações de real perigo, a exemplo de não ser mais interessante num emprego, virar carta fora do baralho, história que os outros contam e a gente apenas ouve. Lembremos daqueles atendimentos passivos de outrora, onde o cliente tinha que buscar o atendente para travar uma negociação. O atendimento requer mudanças constantes, os clientes também, e assim, aquele que tiver no compasso certo de tempo e adaptação leva a melhor. Case da vídeo locadora Numa vídeo locadora pude constatar o quanto devemos estar atentos sobre as mudanças, que são muitas, em várias modalidades e graus. Um cliente que sempre buscava filmes no estilo suspense e aventura, já era conhecido pelos proprietários,os quais indicavam cada lançamento que lhes chegava, separando inclusive alguns que tivessem apenas uma cópia em seu lançamento. O cliente ficava bem satisfeito ao perceber aquele tratamento. Porém chegou um dia em que ele já devia estar cansado de assistir àquele gênero de filmes e passou a freqüentar outras estantes, mas como não estava acostumado a elas, encontrava dificuldade em escolher os títulos. Quando parava diante da prateleira de lançamentos os proprietários logo apontavam os filmes de suspense e de aventura e o cliente acenava a cabeça agradecendo, sem retirar nenhuma fita da estante. Deve ter feito isto por umas duas vezes, até que sumiu. Não deu as caras novamente. Os proprietários devem ter ficado curiosos com o fato e podem até ter concluído que o seu freqüentador assíduo tivesse comprado antena parabólica e assinado alguma tv a cabo. O que não perceberam, de um lado, é que o seu cliente estava mudando de hábito, ao tentar entrar em novo gênero de filmes, porém, a sua timidez e a constante atuação dos proprietários em facilitar a fita de vida de suspense e aventura desestimularam-no a continuar nesta nova etapa e, por outro lado, não sacaram que ele já estava freqüentando uma outra locadora de filmes, na qual, provavelmente, sentiu-se mais à vontade com a ajuda de outras pessoas. Nem sempre entender o ser humano-cliente é atividade fácil, contudo, podemos acompanhá-lo, ainda que à distância, procurando compreender o seu desejo e as mudanças que vão ocorrendo com ele e com o mundo, causando diversas respostas novas nos comportamentos.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.