A revolução da Liberdade Individual pelas Boas Práticas

O momento desafiador atual tem sido propício a ebulição de boas práticas de gestão e princípios de renovação democrática permanente.


Mesmo havendo um grande número de líderes carismáticos sendo suspeitos de desperdiçar o dinheiro dos contribuintes em ideias que tinham apenas o objetivo de promover sua propaganda pessoal, algumas pessoas ainda não conseguiram se livrar completamente do ideal equivocado de salvador da pátria. Isso pôde ser claramente notado nos últimos anos na América Latina e atualmente na América do Norte.
O momento atual pede que o cidadão tenha um olhar mais equilibrado e pragmático de seus governantes, exigindo serviços públicos eficientes e mais racionalidade na despesas, pois seu excesso certamente redundará em mais impostos para o cidadão. Fazendo assim que os responsáveis busquem ajuda em boas práticas empresariais para conquistarem a confiança do eleitor.
Um bom modelo é a cultura de dono que foi implantada em grandes grupos brasileiros o qual os ajudaram a se expandirem internacionalmente. Essa ideia foi bem desenhada pelo ilustre professor Vicente Falconi de Campos, o qual sempre incentivava a alta cúpula a gastar a sola do sapato e estarem em contato com a realidade do mercado. Seu método poderia ser resumido a planejar, executar, confirmar e corrigir. Na origem, trata-se do que os americanos Joseph Juran e William Edwards Deming, considerados papas da qualidade total, pregaram nos anos 50 para reerguer a indústria japonesa no pós-guerra.
Apesar dos desafios enormes que o nosso País tem enfrentado acredito que uma revolução silenciosa está acontecendo nas ruas, o clamor da sociedade pelo direito à liberdade individual e a necessidade de se limitar o poder estatal tem feito surgirem grupos que defendem a utilização de boas práticas de gestão e princípios de renovação democrática permanente. Algo louvável e que todos brasileiros torcem para que se expanda exponencialmente.

Alguns talvez podem não enxergar, embora certamente muitos ainda vão cantarolar:

Coisas de Valor

Estava cansado da política
O meu amor me chamou
Pra ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

A minha gente sofrida
Despediu-se da dor
Pra ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

O empresário sério que contava dinheiro parou
O politiqueiro que contava vantagem parou
A jovem que contava as estrelas
Parou para ver, ouvir e dar passagem

A moça tímida que vivia recatada sorriu
A rosa triste que vivia enclausurada se abriu
E a moçada toda se assanhou
Pra ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

Estava cansado de política
O meu amor me chamou
Pra ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

A minha gente sofrida
Despediu-se da dor
Pra ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

O velho fraco se esqueceu do cansaço e pensou
Que ainda era moço pra sair do panelaço e se alegrou
A jovem senhora debruçou na janela
Pensando que o partido novo falava pra ela

A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu
A lua cheia que vivia escondida surgiu
Minha cidade toda se enfeitou
Pra ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

Mas para meu encanto
O que era doce só começou
Tudo tomou seu lugar
Depois que o partido novo chegou

E cada qual no seu lugar
Em cada canto uma flor
Ao ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor
Ao ver o partido novo chegar
Afirmando coisas de valor

ExibirMinimizar
aci baixe o app