A participação das micro e pequenas empresas na economia brasileira

O presente trabalho tem como objetivo analisar o atual cenário do empreendedorismo no Brasil destacando a sua relevância e participação na economia do país

Nos últimos anos tem-se observado um maior enfoque ao tema empreendedorismo, o qual vem ganhando destaque no meio acadêmico, empresarial e na mídia em geral. Isso se dá devido a uma nova mentalidade voltada para a inovação e a captura para novas oportunidades de negócios.

De acordo com Dornelas (2003 apud Dornelas 2004), empreender significa fazer algo novo, diferente, buscando novas oportunidades de negócios, tendo como foco a inovação e a criação de valor. Stevenson (1993 apud Dornelas 2004) destaca que empreendedorismo refere-se ao processo de criação de valor pela utilização de maneira diferente dos recursos, explorando uma oportunidade.

Timmons (1994 apud Dornelas 2004) considera os empreendedores exímios identificadores de oportunidades, são capazes de criar e de construir uma visão sem uma referência prévia, ou seja, de partir do nada. “Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões”. (FILION, 1999)

Nos últimos anos vemos um crescimento em números de empreendedores no Brasil. Segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o número de empreendedores brasileiros passou de 20,9% para 34,5% em doze anos.

A pesquisa levantou ainda informações sobre os desejos da população adulta brasileira, onde, em2014, o objetivo de empreender encontra-se em terceiro lugar com 31,4%.

O Sebrae constatou que, atualmente, com o crescimento do empreendedorismo, as Micro e Pequenas Empresas (MPE) vem ganhando relevância na economia chegando a 27% de participação em 2011, hoje o Brasil já conta com mais de 10 milhões de MPEs, sendo mais de 95% das empresas do país consideradas como pequenos negócios. 52% dos empregos formais gerados no país estão nas pequenas empresas. Por fim, 27% do PIB brasileiro vem dos pequenos negócios. Por tanto, conclui-se de acordo com Schumpeter (1961), que o empreendedorismo está aliado ao crescimento econômico. Em suma, o comportamento empreendedor vem proporcionando imensos resultados sendo de grande relevância para o crescimento da economia brasileira.

Artigo elaborado por:

Lidiane Beatriz de Oliveira Davies

Ricardo Luan Giansante

REFERÊNCIAS

DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo Corporativo: Conceitos e Aplicações. Revista de Negócios, Blumenau, v. 9, n. 2, 81-90, abril/junho 2004.

FILION, Louis Jacques. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração, São Paulo v.34, n.2, p.05-28, abril/junho, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE. Global Entrepreneurship Monitor: Empreendedorismo no Brasil. Relatório Executivo. Brasil, 2014.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS – SEBRAE. Participação das Micro e Pequenas Empresas

na Economia Brasileira. Brasil, 2014.

SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, Socialismo e Democracia. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1961.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento