A palavra de ordem é: destaque-se!

Quem não é visto não é lembrado.

Quem não é visto não é lembrado.

Essa é uma frase que já está na mente de todos, e em tempos cada dia mais competitivos e principalmente nesse cenário de crise em que nos encontramos, precisamos estar mais qualificados para se destacar no mercado de trabalho. Não bastar mais fazer apenas o mesmo de sempre, é preciso se destacar dos demais.

“É preciso correr muito para ficar no mesmo lugar. Se você quer chegar a outro lugar, corra duas vezes mais.”
(Lewis Carroll CARROLL, L., Alice no País das Maravilhas, 1865).

A frase acima de 1865 nunca fez tão parte do cenário como no mercado atual, e se estar em destaque é tão importante na nossa vida pessoal, imagina o quão importante é para os negócios. As empresas precisam se diferenciar das demais, gerando valor para os clientes, para assim conseguir mais receitas.

Antes de toda essa tecnologia que hoje temos disponível, as empresas já valorizavam seus clientes e tratava-os como "rei" principalmente depois do "boom" da revolução industrial que aumentou tanto a produção das empresas que essas ultrapassaram a demanda da época. Assim, começaram a aplicar, mesmo que inconscientemente, tudo que rege o estudo do comportamento do consumidor. Descobrir o que é valor para o cliente, caprichar no atendimento, fazer propagandas que os clientes considerariam interessantes, despertar desejos e necessidades e fidelizar clientes.

Nos tempos atuais, temos diversos estudos, meios, profissionais e tecnologias que facilitam muito a promoção correta, assim como a precificação ideal e a geração de valor para o cliente, através da diferenciação mercadológica, e cada vez mais os empreendedores tomam conhecimento de como é importante investir nesses pontos. Por isso o marketing tem cada vez mais destaque no meio corporativo e o marketing pessoal é cada vez mais trabalhado pelos indivíduos.

O produto, hoje, a menos que a empresa possua um produto exclusivo, que é cada dia mais difícil, é o que menos importa; pois a nível de qualidade há muitos equiparados e muitos até iguais. O que diferencia agora é a força da marca, a afinidade que o cliente tem com aquela empresa e isso se consegue através de diferenciação e divulgação (pois o que não é visto não é lembrado), mas tudo isso não vale de nada, se quando o cliente entrar na empresa completamente impactado por sua propaganda, decidido a realizar aquela compra, encantando com o ponto de venda, a organização de tudo, perceber o descaso do vendedor, ou se quando precisar trocar ou reparar um produto for mal recebido.

Principalmente agora na era da informação, que o cliente já chega sabendo o quê e porquê quer aquele produto e a faixa de preço, o fator decisivo para ele efetuar a compra é sem sombra de dúvidas o conjunto de todos os fatores, que vai gerar uma experiência positiva para aquele cliente e criar um vínculo dele com a marca. Para gerar valor e oferecer um bom atendimento para ele, temos que conhecê-lo, saber o que ele espera da empresa, criar um relacionamento e ouvir mais, facilitando a fidelização do mesmo. E um cliente fidelizado gasta muito mais e custa muito menos, além de promover a divulgação espontânea e como aponta Philip Kotler: “A melhor propaganda é feita por clientes satisfeitos.”

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento