A origem da violência

Vivemos em uma sociedade violenta, com crimes, corrupção e desonestidade por toda parte. Muitos se tornaram apáticos a respeito disso e acham que não há solução. Mas quando encontramos a origem de algo, é possível eliminar o mal na raiz

Como criar uma criança feliz e saudável é algo que não é ensinado à maioria dos pais. Na verdade, muitos vão tropeçando através de todo o processo, ainda que com as melhores intenções. Consequentemente, é muito comum encontrar acontecimentos infelizes nas famílias, com atritos constantes entre pais e filhos e até um distanciamento completo.

Muitos pais ainda acham que devem educar batendo nos filhos e não se dão conta de que isto é muito prejudicial às crianças. Muitos apanharam quando pequenos e juraram não fazer o mesmo com seus filhos, mas se pegam agindo exatamente como seus pais e não conseguem mudar sua forma de atuar.

O que as pessoas não se dão conta é que violência gera mais violência. Toda violência que sofremos hoje em dia, tudo que lemos em jornais e ouvimos nos noticiários sobre a violência que existe ao nosso redor origina-se de maus tratos recebidos pela mulher grávida e pelas crianças.

Antigamente, as avós falavam sabiamente sobre a influência pré-natal e como uma mulher marcava sua criança. Muitos desses pensamentos intuitivos são baseados em dados observados. Hoje, a ciência já comprovou que a criança no ventre da mãe recebe todas as impressões, tanto físicas como psíquicas do ambiente exterior.

O escritor e filósofo americano L. Ron Hubbard foi um dos pioneiros a afirmar no livro Dianética: O Poder da Mente sobre o Corpo que a mente humana grava experiências de dor física e emocional e estas gravações iniciam-se a partir da concepção.

Hubbard comprovou que a criança no útero grava a dor física, proveniente de quedas, impactos, doenças, tentativas de aborto etc. E registra também a dor emocional que envolva a mãe durante a gravidez. Existe um relacionamento muito íntimo entre a mãe e a criança durante a gravidez.

“Crianças não desejadas”, explica também Dr. Gerhard Rottmann, “são órfãos rejeitados na barriga da mãe.”

“Pudemos observar”, ele explica mais, “que uma mulher que sofreu na sua gravidez tinha mais probabilidade de dar a luz a uma criança que, desde o princípio, fosse irritada e com problemas similares aos da mãe, já que uma mãe equilibrada e feliz gera uma criança harmoniosa e feliz. De acordo à atitude emocional da mãe, a criança experimenta maior ou menor segurança.”

Se por exemplo, numa discussão entre os pais ocorrem ofensas mútuas, tudo o que é dito fica gravado na parte da mente nomeada por Hubbard de mentereativa e pode influenciar a personalidade desta criança no futuro.

Se a mãe grita ao pai: “Você não presta para nada, é um perdedor, nunca será nada na vida!“, estas palavras ficarão registradas também na mente reativa da criança e podem atrapalhar o seu desenvolvimento, fazendo posteriormente com que o indivíduo, agora adulto, se sinta um perdedor e não avance na vida.

Então conclui-se que quanto mais as mulheres são maltratadas durante a gravidez e quanto pior for a infância de nossas crianças, mais violência teremos ao nosso redor. Quanto mais sofrimento, dor, medo, raiva, etc. uma criança experimentar, mais chances terá de se tornar uma ameaça à sociedade.

De nada vai adiantar aumentar o policiamento, endurecer as leis, construir mais presídios e e Fundações Casa se nada for feito para salvaguardar a integridade física e mental das mulheres grávidas e das crianças.

No livro Dianética, capítulo Dianética Preventiva podemos ler: “Quando se conhece a causa de algo, normalmente pode-se impedir que a causa se concretize. (...) Toda consideração deve ser prestada à mulher grávida por uma sociedade que tenha qualquer sentimento por suas gerações futuras. (...) Não é, então, uma utopia desmedida pensar que a mulher possa ser colocada ainda mais acima do que o nível até agora ocupado. E assim deve ser feito, se quisermos que a infância de amanhã alcance um melhor padrão, se quisermos que haja paz nos lares e se quisermos que a sociedade progrida. Mulher, você tem direito e razão de exigir um tratamento correto.’’ L. Ron Hubbard

Portanto, tratando melhor as mulheres e as crianças já estaremos a caminho de uma sociedade menos violenta para todos!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento