Café com ADM
#

A Mulher pode Liderar, O Homem pode Chorar.

Vamos colocar os pingos nos is, o ovo no quindim, o tomate na salada, o produto na prateleira, o computador na favela, o dinheiro na rua, o leite moça no brigadeiro, o carro no desmanche, o lula na rua, o brasil no planeta, o pasquim na banca, o jornal nacional no lixo. Ou vai ou Racha, ou Racha e Vai! <br />

Vamos colocar os pingos nos is, o ovo no quindim, o tomate na salada, o produto na prateleira, o computador na favela, o dinheiro na rua, o leite moça no brigadeiro, o carro no desmanche, o lula na rua, o brasil no planeta, o pasquim na banca, o jornal nacional no lixo. Ou vai ou Racha, ou Racha e Vai!

Querida(o) Amiga(o),


Em plena ditadura militar, às portas do AI-5, no ano de 1969 (GRANDE ANO!!!), surgiu no Rio de Janeiro, um jornaleco chamado PASQUIM, que o bom português traduz como jornal sem importância, mal redigido, difamador e injurioso.

O jornaleco, liderado por um grupo de cinco humoristas também rotulados de jornalistas apelidados de editores classificados como repórteres de segundo caderno com mania de comunicólogos e camisetas de revolucionários, nasceu para ATACAR com "classe", bom humor e CULTURA, a ditadura militar que estava MATANDO o nosso brasilzinho nos anos sessenta.

Depois de rabiscadas as primeiras colunas do injurioso, que nasceu com o slogan "Aos Amigos, tudo; aos inimigos, justiça", a turma do PASQUIM liderada por Jaguar, uma vez que a única versão sobre quem liderou o quê é do próprio Jaguar, se reuniu em uma pífia saleta calorenta no centrão do velho Rio, para decidir a tiragem do primeiro número e o formato do difamador.

Temerosos com a perseguição dos milicos que já haviam varrido do mapa o Pif-Paf do Millôr, os PASQUINEROs começaram a achar que 5 mil de tiragem era mais do que o suficiente para o prematuro jornal. Entretanto, sempre sem medo do medo, resolveram lançar 14 mil.

Quando a discussão sobre o formato do injurioso passou a liderar a pauta da reunião, os colegas do jornal jogaram na mesa uma pesquisa que dizia mais ou menos assim: "O brasileiro ODEIA o formato tablóide", "Formato Tablóide nem pensar", "Tudo menos colocar o PASQUIM em formato tablóide", "Olha lá.. formato tablóide não vai dar certo", dizia a voz do povo.

Mas como toda UNANIMIDADE É BURRA (já dizia a bíblia e o falecido PASQUIM), a turma chegou a sua própria conclusão sobre o assunto: "Se o brasileiro ODEIA o tablóide, então vai ser TABLÓIDE!".

Dito e feito.

Cinco meses depois do lançamento, o jornaleco calunioso no formato tablóide e indesejável, não durou apenas alguns meses, mas algumas gerações. O PASQUIM fundado em 1969, viveu até 1991, teve 1072 números publicados, 100 mil exemplares no quinto mês, 200 mil no auge, e influenciou um monte de gente boa, inclusive o cara que aqui hoje escreve para você.

Portanto, a pergunta que não quer calar é: O que VOCÊ vai colocar no mercado hoje? A nova edição do O GLOBO para puxar o saco dos milicos ou a nova edição do PASQUIM para falar sobre a Verdade doe a quem doer?

PASQUIM NA CABEÇA!!! Ontem, HOJE e SEMPRE!

Chega de gente babaca, quadrada e atrasada!!!!

DESAFIE O DESAFIO!!!!

TODO DIA!

A pressão que existe sobre a gente é "global". É gente de todos os lados dizendo que você tem que ser um cara babaca, preconceito, certinho e sarado como a sociedade deseja ou você tá fora.

Você não pode ter sequer um pneuzinho ao lado da barriga senão você não entra na camiseta de marca; você precisa andar na linha, mesmo quando a linha é imaginária ou quando a linha não passa de um labirinto de rabiscos no chão que levam você para a esquerda ou direita em uma fila que não tem ninguém além de você; você não pode furar o sinal vermelho as 3 horas da manhã mesmo que seja para virar a direita quando não tem uma alma viva vindo de lado algum; você precisa saber todas as 257 regras fundamentais e básicas sobre língua portuguesa, desde o uso correto do "esse" ou "este", até o uso correto do "porque" ou invés de "por que" ao invés de "porquê" ao invês de "por quê"; você precisa saber quem foi Carlos Drummond de Andrade, quem foi o compositor do Hino Nacional, quem ganhou a copa do mundo de 1990 até o nome dos Três Reis Magos.

É pressão de todos os lados para não fazer nada fora dos padrões. Alías, o padrão é não fazer nada se não está escrito em alguma regra, em alguma lei, em algum artigo, em algum e-mail, em alguma intranet. Alías, o melhor mesmo é você não se mexer se falta isso ou aquilo ou aquilo outro que você não tem ou não sabe, afinal, o padrão é fazer algo sempre completo, bonito, correto, sem furos, sem erros, sempre no padrão.

O ppt oficial da empresa tem que ter um fundo padrão para todos os 8 slides, todos os slides tem que ter no máximo 7 palavras padronizadas no mesmo tamanho padrão de fonte de letra na mesma fonte padrão do cartão de visita e do capacho que está na entrada da empresa. As cores oficiais da empresa tem que ser padrão, como o padrão do azul claro ou azul escuro ou azul marinho, e tudo deve seguir o padrão do ano passado.

Na hora que você fizer a apresentação, você não pode mexer no cabelo senão passa a impressão de ser um cara nervoso, não pode colocar a mão no bolso senão passa a impressão de estar cansado, não pode andar prá lá e prá cá senão passa a impressão de não dominar o assunto, você não pode andar pela sala senão a turma da frente não vê você.

Inclusive, PROGRAMA-SE! Vá estudar PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA, para saber se PROGRAMAR e PROGRAMAR os outros, para entender a PROGRAMAÇÃO dos seres-humanos-robotizados que rodam por aí, ou mesmo para PROGRAMAR a comunicação daqueles coitados que simplesmente colocaram a mão no bolso para aliviar uma coceira na perna direita e não porque estão cansados.

Poxa, que chatice!!! Quanta gente quadrada!!! Quanta gente chata!!! Quanto pau-mandado!!! Quanta gente PROGRAMADA!!!!

A mulher precisa ser uma Angelina Jolie para o marido, uma Hebe Camargo para a mãe, uma Maria Helena (do Magazine Luiza) para o chefe, a Mãe de Cristo para os filhos. O homem precisa ser um Brad Pitt para a esposa, um João Paulo II para a mãe, um Antônio Ermírio de Moraes para o chefe, um Abraão para os filhos.

NEM A PAU JUVENAL!!! EU NÃO!!!

Ninguém precisa ser nada disso, POXA!!! Para o inferno com essa pressão!!! Para o inferno com o status quo!!! Para o inferno com o "é ridículo, é feio, é estranho"!!!! O que afinal você está se tornando??? Um velho-decrépito-chato-desatualizado que só pensa e age dentro do quadrado quando pensa que age fora do quadrado? Uma velha-ranheta que não aceita nada que foge do seu pífio padrão de conhecimento e PROGRAMAÇÃO de comunicação???

É ridículo pensar em ser alguém, em se PROGRAMAR para conversar com alguém. Eu vou ser eu mesmo. Sai Brad Pitt, entra o crítico-construtivo ferrenho sobre fraquezas para a minha mulher; vai descansar João Paulo, fica o filho-da-mãe que fala a Verdade mesmo para a mãe, vai se aposentar Ermírio de Moraes entra aqui o Empreendedor das coisas que já foram empreendidas; vai para o céu Abraão, a melhor coisa que eu posso ensinar aos meus filhos é saber viver sem precisar de mim!

O Ministério do PASQUIM adverte: Mulher pode Liderar, Homem pode Chorar.

O padrão é DESAFIAR O DESAFIO!!!

NADA MENOS QUE ISSO INTERESSA!!!!

QUEBRA TUDO!!! Foi para isso que eu vim! E Você?

Ricardo Jordão Magalhães
Homem que Chora, Pasquineiro de Carteirinha.
E-Mail e Messenger: ricardom@bizrevolution.com.br
BIZREVOLUTION

Quando você vai comprar o livro QUEBRA TUDO? O brinquedinho já está a venda em tudo quanto é lugar.

EU SOU FÃ DO SER HUMANO! E Você?



ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.