A inteligência emocional como fator competitivo do empreendedor de sucesso

Já está mais do que comprovado que as competências competências comportamentais são cada vez mais importantes que a própria competência técnica para se manter no mercado de trabalho. No caso dos empreendedores, esse conjunto comportamental se torna ainda mais relevante e a Inteligência Emocional entra como o grande diferencial daqueles que desejam sucesso e satisfação

“Aquele que quer governar outros, primeiro precisa ser senhor dele mesmo.” - Philip Massinger

As habilidades da Inteligência Emocional (IE) nunca foram tão urgentes como nos dias de hoje para todos os profissionais, sobretudo, para aqueles que empreendem. Mesmo com tantos empecilhos econômicos o mundo não pára. E nunca irá parar. A grande questão é: como continuar atingindo as metas e os resultados esperados apesar de tudo?

Uma pesquisa super interessante reforça a importância da IE para o gestor de sucesso. Publicada na revista Havard Business Review Brasil (Mar-Abr/2015), essa pesquisa aborda as principais competências de líderes/gestores que obtiveram sucesso em situações de crise. A principal delas, segundo a pesquisa, é a habilidade de "entender a dinâmica individual das pessoas".

A partir disso podemos refletir sore a enorme importância de entender o outro para que você alcance sucesso em seu empreendimento. Esse outro pode ser seu cliente, seu subordinado, seu chefe, etc. E para desenvolver essa capacidade, faz-se necessário desenvolver o conjunto comportamental que compõe a Inteligência Emocional.

“...as habilidades da IE são as que distinguem aqueles com desempenho excepcional” - Daniel Goleman

A cada conversa com clientes e alunos, a cada treinamento comportamental ministrado para gestores, a cada leitura de livros e de pesquisas como essas me convenço de que as habilidades da Inteligência Emocional são fundamentais para uma gestão mais eficaz e com os melhores resultados. Mas, afinal, o que é Inteligência Emocional?

Eis algumas definições que considero interessantes: “A IE é a capacidade de identificarmos os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerirmos bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos” (Goleman, 1998). “A IE é a capacidade de perceber e exprimir a emoção, assimilá-la ao pensamento, compreender e raciocinar com ela e saber regulá-la em si próprio e nos outros.” (Mayer e Salovey, 2000).

A única forma de atingirmos essa definição é entendendo e desenvolvendo em nós os cinco componentes básicos da IE:

1. Autoconsciência: está ligada à compreensão profunda das próprias emoções, forças, fraquezas, necessidades e impulsos;

2. Autogestão: Impulsos biológicos dirigem nossas emoções, não podemos eliminá-los mas administrá-los. A Autogestão nos liberta de sermos prisioneiros de nossos sentimentos;

3. Empatia: significa levar em conta ponderadamente os sentimentos do outro, junto com outros fatores, no processo de tomar decisões estratégicas e inteligentes.

4. Habilidade Social: é a cordialidade com um propósito: conduzir as pessoas na direção que você deseja.

5. Domínio de Propósito e Visão: Compreender e trabalhar para alcançar o propósito da sua vida.

O gestor que não busca desenvolver esses cinco aspectos de sua vida, com certeza está fadado ao fracasso. Fica aqui o convite à você: como anda o seu índice de Inteligência Emocional? Reflita e bsuque desenvolver, você verá os resultados que poderá alcançar!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento