A Indústria de aplicativos no Brasil e os Termos de Uso e Política de Privacidade

A crescente indústria de aplicativos e a necessidade da elaboração de termos de uso e política de privacidade como forma de blindar as novas empresas de possíveis conflitos na esfera judicial e administrativa.

Segundo pesquisas realizadas pela “We Are Social”, o Brasil é um dos maiores consumidores de aplicativos do mundo, sendo hoje o quinto país que mais realiza downloads desses produtos.

No ano de 2013, o mercado de desenvolvimento de aplicativos atingiu uma receita global de 27 bilhões de dólares, com crescimento de 100% ao ano. Pesquisas recentes realizadas pelo MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) preveem que o mercado chegue a 77 bilhões de dólares em 2017.

Apesar do desenvolvimento de aplicativos ainda ser considerado um novo modelo de negócios no Brasil, ele vem crescendo e ganhando espaço a cada novo ano e para ajudar o desenvolvimento desse novo setor no Brasil, o MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) vem adotando desde o ano de 2013 uma quantidade mínima de aplicativos nacionais que devem ser incluídos em todos os smartphones produzidos no Brasil.

A ideia desta regulamentação é aumentar gradativamente a demanda para o desenvolvimento de novos aplicativos produzidos dentro do país e consequentemente aquecer esse setor da economia, aumentando seus investimentos e revertendo a movimentação deste mercado em favor do crescimento interno.

Com a previsão positiva de crescimento do mercado de desenvolvimento de aplicativos, a quantidade de interessados em investir em novos negócios aumenta exponencialmente, criando novas oportunidades, empregos e consequentemente problemas e desafios.

Por tratar-se de um setor que ainda engatinha no Brasil, mesmo com a criação do Marco Civil da Internet, ainda existem muitas arestas jurídicas a serem lapidadas e melhoradas.

A questão que prevalece juridicamente no desenvolvimento de novos aplicativos é a elaboração dos Termos de Uso e da Política de Privacidade.

Os Termos de Uso e Política de Privacidade são os instrumentos jurídicos que regulamentam a relação entre o aplicativo e seus usuários, sendo imprescindível sua elaboração antes mesmo do desenvolvimento deste novo aplicativo.

A ausência desses instrumentos pode causar mal-entendidos na relação aplicativo – usuário, podendo ferir os direitos de usuários e terceiros ou, de forma ainda mais preocupante, dificultar a defesa do negócio em eventuais processos judiciais ou administrativos.

As informações contidas nos Termos de Uso devem trazer esclarecimentos quanto ao objetivo do aplicativo e suas funções, bem como informar suas regras de conduta. Ou seja, demonstrar como eventuais conflitos serão solucionados, limitar as responsabilidades tanto do aplicativo quanto do usuário (direitos e deveres), entre outras questões.

Já a Política de Privacidade trata principalmente de como serão utilizadas as informações inseridas por usuários (dados de cadastro, itens postados, mensagens armazenadas, etc.).

Para evitar possíveis conflitos, é necessário agir com clareza, objetividade e transmitir de forma completa todo o conteúdo fornecido na elaboração dos termos, demonstrando que foram feitos todos os esforços para que o usuário tomasse ciência de todas as condições, limitações, direitos e obrigações, conforme prevê o Marco Civil da Internet, Lei nº. 12.965/2014, em seu Art. 7º.

O que incluir nos Termos de Uso e Política de Privacidade irá variar de acordo com o ramo do negócio explorado e as funcionalidades do aplicativos, entretanto, alguns pontos a serem explorados são:

  • Propriedade Intelectual;
  • Cláusula de Rescisão;
  • Lei do país e Lei aplicável ao negócio explorado;
  • Cláusula de link para outros sites.

Ainda, é interessante criar mecanismos que buscam facilitar e incentivar a leitura dos Termos de Uso e Políticas de Privacidade, bem como que permitam uma maior comprovação quanto a aceitação do usuário. Tais mecanismos podem ser opções como estabelecer a necessidade de rolagem de todo o conteúdo, a necessidade de abertura do link para conclusão de cadastro, a obrigatoriedade de marcação da aceitação, mensagens destacadas acerca do aceite, etc.

Lembrando que os Termo de Uso e Política de Privacidade devem ser elaborados sempre visando minimizar ao máximo os riscos jurídicos específicos do negócio em desenvolvimento, visando regulamentar de forma clara e completa a relação entre aplicativo e usuários.

Dessa forma, conclui-se que de maneira geral faz-se necessário manter-se atento as novas tendências de mercado no que se refere ao desenvolvimento de aplicativos e, principalmente, manter-se atento para garantir que sejam tomadas todas as precauções relacionadas a elaboração de mecanismos jurídicos afim de blindar as novas empresas de possíveis conflitos na esfera judicial e administrativa.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento