A importância do autoconhecimento

Conhecer-se é de suma importância para assumir o controle das nossas emoções e consequentemente das nossas vidas. Ao desenvolvermos o autoconhecimento temos condições de estabelecer com maior clareza nossas metas, objetivos e propósitos. Melhorarmos nossos relacionamentos e ter mais sucesso em nossas carreiras e nos nossos relacionamentos.

Conhecer-se é de suma importância para assumir o controle das nossas emoções e consequentemente das nossas vidas. Ao desenvolvermos o autoconhecimento temos condições de estabelecer com maior clareza nossas metas, objetivos e propósitos.

Podemos focar em nossas melhores competências em busca desses objetivos, bem como trabalhar as áreas que precisamos melhorar. Dessa forma temos mais chances de buscar o sucesso pessoal e profissional. O quanto você se conhece? Muito? Muito pouco? Na grande maioria das vezes achamos que nos conhecemos bem, mas será mesmo?

Você pode perguntar: “por que é tão importante o autoconhecimento? ”. Vamos pensar juntos: você confia, tem amizade, acredita ou ama as pessoas que você pouco conhece? Então se você pouco se conhece, como se sentir seguro e confiante, colocando nas mãos desse “desconhecido”, seus objetivos, metas e sonhos? Você se sentiria à vontade? Por esses motivos o autoconhecimento é fundamental para desenvolvermos o amor próprio e fortalecermos a autoestima. Você pode me dizer; “Eu me conheço muito bem”..., então faça o seguinte teste: pegue uma folha de papel em branco e um lápis, assim como aquela brincadeira de criança, coloque a mão sobre o papel e desenhe o contorno da mesma. Após isso, sem olhar na palma dessa mão que você desenhou, desenhe as linhas e marcas que tem. Confira o resultado comparando o desenho com a mão. Seja sincero e responda para você mesmo: Você se conhece?

Agora pense: quantas vezes por dia nós nos olhamos no espelho? Vamos ver se estamos penteados, se nossa roupa esta combinando, os homens ajeitam o nó da gravata e as mulheres retocam a maquiagem. Mas quantas vezes paramos e olhamos para nosso “espelho interior” para ver como está nossa autoestima, nossa motivação, nosso foco, nossos caminhos em busca dos objetivos e etc. É muito difícil alguém se conhecer interiormente quando a busca está sempre no externo. Buscamos cuidar da pele, mudar o corte do cabelo, comprar roupas, carros, eliminar alguns quilinhos, mas quase sempre esquecemos que o caminho deve ser o contrário, de dentro para fora. Quando estamos bem conosco, as pessoas percebem não pela roupa que estamos usando ou pelo carro que estamos dirigindo, mas sim pelo nosso olhar, o sorriso no rosto, a paz de espírito e o prazer pela vida. Amar-se é condição básica para elevar nossa autoestima. E como está a sua?

Se quiser pode fazer um exercício rápido que pode ajudar no seu auto desenvolvimento:

  • Coloque em uma folha 10 coisas que você gosta em si mesmo.
  • No verso escreva 10 dez coisas que você não gosta ou que gostaria de mudar.

Agora te pergunto: Qual lista foi mais fácil de completar? Na maioria dos casos, as pessoas têm mais facilidade para listar os 10 pontos negativos. Em nome de uma falsa humildade, aprendemos que dizer aquilo que gostamos em nós mesmos pode ser presunção, egocentrismo ou orgulho. Nada disso! Para aumentar o autoconhecimento é preciso ter consciência de quem se é de verdade, avaliando os pontos positivos tanto quanto os negativos, pois só assim seremos capazes de mudar aquilo que nos incomoda ou nos faz sofrer e valorizar o que temos de bom e que geralmente mergulhados em tantas críticas e cobranças, acabamos por esquecer.

Continue o exercício: observe suas 2 listas. Coloque um "I" nas características Internas, ou seja, que dependem apenas de você reconhecê-las. E um "E" nas características Externas, que dependem da opinião de outras pessoas. Qual a quantidade de “Is” e de “Es”, o que você pode verificar? Há um equilíbrio ou você pende para um dos lados? Se temos mais características externas somos mais vulneráveis à opinião dos outros e assim, mais facilmente manipuláveis. Dependeremos mais da aprovação dos outros, que infelizmente das nossas. Todas as vezes que nos esquivamos da responsabilidade sobre as coisas que nos acontecem, nos frustramos mais facilmente e diminuímos nossa autoestima, arrumando desculpas para não mudarmos nossas atitudes, fugindo das nossas responsabilidades. O importante é termos consciência que o que fazemos é o reflexo do que somos.

Não temos outra alternativa para aumentar o autoconhecimento: é preciso saber das nossas qualidades e reconhecer nossas limitações, trabalhando para muda-las podemos mudar uma a uma. Reconhecendo nossos pontos fortes nos sentiremos mais confiantes e com maior capacidade de atingir nossos objetivos, independente das críticas ou opiniões alheias, pois acreditamos que somos capazes.

Esse processo permite que possamos conhecer nossa real essência, usar nossa energia de forma mais produtiva, alcançando mais satisfação e realização em todos os campos da nossa vida. Conheça-se e você percebera o quanto pode ser mais produtivo, criativo, realizado e feliz.

Existem hoje, várias ferramentas de autoconhecimento. Podemos saber quais são os valores que nos motivam, quais são nossas características de liderança, como anda nossa inteligência emocional, nosso perfil comportamental, celebral entre outros. Normalmente uma ou mais ferramentas de autoconhecimento são utilizadas nos processos de coaching.

Grande abraço.

Cezar Nunes

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Joice Vicente

    Joice Vicente

    Coach de carreira, Psicopedagoga e Especialista em Gestão de Pessoas. Profissional generalista que atua há mais de 7 anos na área de recursos humanos, em empresas nacionais e multinacionais de diversos segmentos. Atua de forma independente em palestras, pesquisas e desenvolvimento de projetos vocacionais, treinamentos e coaching.
    café com admMinimizar