A importancia da TI para o processo produtivo

Com o avanço da tecnologia da informação as empresas passaram a enfrentar novos mercados, novos concorrentes e conseqüentemente consumidores mais informados e exigentes, gerando desta maneira a necessidade de utilizar sistemas computacionais avançados para suportar todas as suas atividades. Em cada empresa geralmente existem vários sistemas desenvolvidos especificamente para atender aos requisitos de diversas áreas de sua atuação, seja no planejamento de produção, plantas, departamentos e escritórios, onde cada uma utiliza sistemas específicos e armazenam as informações cabíveis, dificultando o acesso das informações. A dificuldade das informações precisas e a inconsistência de dados armazenados em mais de um sistema geram grandes dificuldades, surgindo assim a necessidade de usar um sistema para solucionar esses problemas. O ERP (Enterprise Resource Planning) soluciona esses problemas ao agregar, em um só sistema, funcionalidades que suportam as atividades dos diversos processos de negócio das empresas como a gestão financeira, recursos humanos, dados e informações de produção, estoques e matérias-primas. Enterprise Resource Planning significa planear, criar recursos para a empresa, mas o seu objetivo principal é a parte da empresa (Enterprise) onde se concentra toda a sua ambição. Podemos dizer que é a tentativa de integrar todos os departamentos e funções de uma determinada empresa ou instituição para um único sistema computacional que serve e responde as necessidades particulares de cada departamento. Esta aproximação de setores pode trazer um enorme benefício para a empresa se o software for corretamente instalado e adequado à maneira de trabalhar das empresas. Em geral, cada um dos departamentos que constitui uma empresa possui os seus próprios sistemas informatizados, que atendem apenas as suas necessidades individuais, que não se relacionam com outros setores. Com a criação dos sistemas de ERP, todos os departamentos como o de contabilidade e o de recursos humanos passaram a ter acesso ao mesmo tempo, entre si, com menos burocracia e intervenção humana. Os sistemas ERP não servem apenas para integrar os vários organismos de uma empresa. Para verdadeiramente ser considerado ERP, o sistema possui algumas das seguintes características fundamentais: ü Flexibilidade um sistema ERP é flexível de forma a responder às constantes transformações das empresas. A tecnologia cliente/servidor permite ao sistema ERP operar sobre diferentes bases de dados pelas conexões de bases de dados abertas, pois é muito provável que o mesmo produto migre de uma área de produção para outra o ciclo total de produção. ü Modularidade o sistema ERP é um sistema de arquitetura aberta, isto é, pode usar um módulo livremente sem que este afete os restantes. O sistema suporta vários módulos de hardware, plataformas múltiplas de hardware, pois muitas empresas possuem sistemas heterogêneos. Deve também facilitar a expansão e/ou adaptabilidade de mais módulos posteriormente. ü Compreensivo o sistema está apto a suportar diferentes estruturas organizacionais das empresas, bem como a uma vasta área de negócios. ü Conectividade o sistema não se deve confinar ao espaço físico da empresa, mas permitir a ligação com outras entidades pertencentes ao mesmo grupo empresarial. ü Seleção de diferentes formas negociais deve conter uma seleção das melhores práticas negociais em todo o planeta. ü Simulação da Realidade deve permitir a simulação da realidade da empresa em computador. De forma alguma o controle do sistema deve estar fora do processo negocial e deve ser possível a elaboração de relatórios para os utilizadores que controlam o sistema. Portanto podemos dizer que o ERP é uma ferramenta extremamente importante para as empresass do setor fabril conseguirem sobreviver no mercado
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.