Café com ADM
#

A importancia da relação CUSTO, VOLUME e LUCRO.

O DRE limita-se em demonstrar o lucro em um determinado nível de vendas em um período estipulado, não se prestando a previsão de lucro em diferentes níveis e atividades, ou seja, no que diz respeito à projeção de novas estratégias de vendas em vista do mercado disponível o DRE não seria viável. Essa função já seria muito bem executada pela análise das relações de custo, volume e lucro, pois é um instrumento utilizado para projetar o lucro que seria obtido a diferentes níveis possíveis de produção e vendas, bem como para analisar o impacto sobre o lucro em função de modificações no preço de venda, nos custos ou em ambos. Essa análise é baseada no Custeio Variável e, através dela, pode-se estabelecer qual a quantidade mínima que a empresa deverá produzir e vender para que não incorra em prejuízo. Se não tiver lucro ou prejuízo, as receitas são iguais aos totais ou despesas totais, para esse ponto damos o nome de ponto de equilíbrio. Quando o resultado do período é positivo, o ponto de equilíbrio é ultrapassado e consideramos o período de lucro. Este excedente gerado após cruzarmos o ponto de equilíbrio é conhecido como margem de segurança, ou seja, representa quanto às vendas podem cair sem que a empresa incorra em prejuízo e pode ser expressa em valor unidade ou percentual. Assim, quanto mais baixo for o ponto de equilíbrio maior é a margem de segurança. Daí a busca incansável pela redução de custos e despesas, a fim de alcançar a maior lucratividade para os acionistas. A capacidade que a empresa tem em administrar seus custos e despesas fixas e gerar lucro é chamada de alavanca operacional. A relação entre a variação percentual do lucro com a variação de vendas é denominada grau alavancagem operacional, que possibilita compreender como a variação percentual das vendas reflete sobre os lucros.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.