A ilha da fantasia

Na nossa imaginação, fé, sonho e criatividade tudo é possível. Mas, também temos que lidar com as situações do cotidiano que nem sempre se apresentam em cenários e formas bonitas e alegres

Viver na ilha da fantasia é bom ou ruim? Depende se consciente ou inconsciente, se por curto prazo ou por tempo indeterminado. E por qual motivo? Fuga, medo de encarar a realidade, por parecer um meio mais fácil de não encarar os problemas, por aversão a conflitos, ou pavor de diálogo, para adiar o inadiável, para ser mais feliz, ou viver menos aflito e ansioso, para continuar sonhando, para não ter que ouvir ou encarar os fatos e a realidade?

Mas, o que é viver na ilha da fantasia? É criar um tipo de mundo paralelo, de válvula de escape a tal ponto que você é capaz de se “teletransportar” para o mundo de fantasia e passar mais tempo lá do que no real, ou às vezes até todo o tempo por lá. No começo você vai e volta como que numa viagem de carro, mas depois de um tempo quase não volta e começa a acreditar que a ilha da fantasia é o seu mundo real.

Situação clássica para exemplificar é a das famílias não se dão bem, e mal se relacionam, mas o que o arquivo X tem a ver com isso? Nada, porque na ilha da fantasia as famílias se entendem bem o bastante para não criar grandes problemas, e dá para conviver, se relacionar, pois todos tem prazer em estar juntos e saem grandes trocas de afeto e conversas produtivas. Às vezes pegamos o arquivo X e tentamos dar um “chacoalhão”, mas nos breves momentos em que ele volta para a realidade, ele diz: ah, mas isso não é um problema meu, vocês que conversem e se entendam. Ele é o ator principal na hora de receber os aplausos e os créditos, mas na hora de encarar a realidade se torna um figurante que desaparece do cenário num estralar de dedos.

Mais um clássico, o ambiente de trabalho, você fornece feedback a algum profissional e a reação é a pior possível. Logo podem surgir frases ou pensamentos do tipo: Eu não sou assim, eu não faço isso, este é o seu ponto de vista, estou sendo julgado, isso é a sua percepção mas, não a realidade, eu não vou mudar. Porque na ilha da fantasia ele é um super profissional, sem falhas, com o cinto de super poderes acoplado. Este profissional depois de um tempo é demitido, e logo conta para os colegas e familiares como seu chefe era cruel, a empresa ruim, o ambiente de trabalho negativo e o quanto foi injustiçado e perseguido.

A moça que pensava que todo mundo era muito legal. Os colegas e amigos alertavam: cuidado com fulano porque é fofoqueiro e maldoso. Cuidado com ciclana porque faz qualquer coisa para chegar aonde quer. Mas, de nada adiantava porque ela vivia na ilha da fantasia, onde as pessoas não fariam coisas deste tipo, pois não pensam de maneira tão maquiavélica e com certeza, não fariam nada que pudesse prejudicá-la. A moça até briga com a pessoa que tentou alertá-la e chega a desconfiar quando algo acontece, se não era a própria pessoa que estava envolvida desde o inicio e arquitetou um plano maligno a envolvendo.

Bom é ficar nas nuvens, no castelo, nos jardins, no mar, no mundo perfeito por alguns momentos que deem energia e alimentem os sonhos e fortaleçam os corpos e espíritos para seguir adiante em suas jornadas, em suas missões.

Ficar sempre por lá, no mundo da fantasia é opcional, mas é perigoso e afeta a todos em volta, trazendo uma série de consequências para si e para os outros. Melhor talvez, seja encarar a realidade sem deixar de colocar mágica e fantasia nela. Procurar resolver os problemas, e lidar com as crises e situações difíceis acreditando que no final do arco íris tem um pote de ouro como recompensa.

Cada um é maluco com as suas maluquices, e influi no ambiente e nas pessoas de uma maneira única. Mas, eu não sou obrigada a entrar na sua ilha da fantasia, nem você na minha, então quando isso virar realidade, pode ser que a gente se choque, saia faísca e seja completamente incompatível.

A sua ilha da fantasia te faz bem ou te faz mal? Te deixa cego e surdo ou abre sua mente para novas possibilidades e conselhos? A ilha te isola ou te inspira? Alegra as pessoas ao seu redor ou gera mais conflitos? Ela envolve ou exclui as pessoas? Você é capaz de sair dela quando quer ou está preso? Você se sente livre? Lá ou aqui? Quem está no controle? A ilha é da fantasia ou é ilha Lost?

Na nossa imaginação, fé, sonho e criatividade tudo é possível. Mas, também temos que lidar com as situações do cotidiano que nem sempre se apresentam em cenários e formas bonitas e alegres. Mas, esta é uma das grandes vantagens dos seres humanos, inteligência e condição de pensar, criar e encontrar saídas reais para qualquer tipo de problema.

Seja a Ilha lost ou da fantasia, que possamos assumir o controle e visitarmos sempre que quisermos ou precisarmos, ficando mais ou menos tempo, mas no fim voltar para a origem ou fazer conexão para outro destino. Sempre livres para decidir.

“Cause I`m free to do what I want any old time. And I`m free to be who I choose any old time.”

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento