A fábrica de desemprego no Brasil

Um dos estados mais importantes do Brasil como o estado São Paulo, que seduzia pessoas com empregos, atualmente, junto com todo o país, vem encarando uma crise onde virou uma rotina trabalhadores serem demitidos

Um dos estados mais importantes do Brasil como o estado São Paulo, que seduzia pessoas com empregos, atualmente, junto com todo o país, vem encarando uma crise onde virou uma rotina trabalhadores serem demitidos.

Um exemplo, que vale ressaltar são as indústrias no ramo de automotivo, onde o Brasil é forte do mercado, e com a queda de venda, vemos cada vez mais nos essa noticia nos noticiários, com férias coletivas, demissão e até mesmo redução no salário e horário de trabalho em 30 %.

As empresas públicas não ficam pra trás, com sua greve por aumento de salário e novas contratações, por exemplo, o INSS que está em greve atualmente onde a população tem sido afetada pelo serviço escasso pela greve.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o estado de São Paulo fechou 38.109 postos de trabalho no de julho, na qual concebe mais de 20% do total de 157.905 postos de trabalho com carteira assinada, que o país encerrou no mês passado, e também segundo o IBGE a taxa de desemprego conseguiu fechar em 7,5 % da população ativa do Brasil.

Cada mês, partir da vitória da presidente Dilma, segundo o IBGE e os números do Ministério do Trabalho, será o oitavo saldo vermelho, resultado em mais de 1 milhão de emprego abolidos. Essa é a face mais terrível do filme de terror que o Brasil está enfrentando. A taxa de desemprego vem crescendo em nível alta a cada dia no Brasil. Outro ponto de destaque é o nível da inflação, aonde os brasileiros vêm diminuindo os itens de compra na cesta básica, ou seja, antigamente com R$ 5,00 você comprava 3 litros de leite, mas hoje com o mesmo valor o homem apenas compra 2 litros. Assim, calha em outros itens da cesta básica, era a época que onde R$ 1,00 valia muito no supermercado.

O trabalhador hoje tem o desafio se vai permanecer trabalhando no dia seguinte, apesar disso, a economia do país onde o dinheiro fica cada vez mais escasso e os juros dos bancos vêm aumentando, as lojas não vem conseguindo vender.

Um exemplo, que vale ressaltar são as indústrias no ramo de automotivo, onde o Brasil é forte do mercado, e com a queda de venda, vemos cada vez maSegundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o estado de São Paulo fechou 38.109 postos de trabalho no de julho, na qual concebe mais de 20% do total de 157.905 postos de trabalho com carteira assinada, que o país encerrou no mês passado, e também segundo o IBis nos essa noticia nos noticiários, com férias coletivas, demissão e até mesmo redução no salário e horário de trabalho em 30 %.

As empresas públicas não ficam pra trás, com sua greve por aumento de salário e novas contratações, por exemplo, o INSS que está em greve atualmente onde a população tem sido afetada pelo serviço escasso pela greve.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o estado de São Paulo fechou 38.109 postos de trabalho no de julho, na qual concebe mais de 20% do total de 157.905 postos de trabalho com carteira assinada, que o país encerrou no mês passado, e também segundo o IBGE a taxa de desemprego conseguiu fechar em 7,5 % da população ativa do Brasil.

Cada mês, partir da vitória da presidente Dilma, segundo o IBGE e os números do Ministério do Trabalho, será o oitavo saldo vermelho, resultado em mais de 1 milhão de emprego abolidos. Essa é a face mais terrível do filme de terror que o Brasil está enfrentando. A taxa de desemprego vem crescendo em nível alta a cada dia no Brasil. Outro ponto de destaque é o nível da inflação, aonde os brasileiros vêm diminuindo os itens de compra na cesta básica, ou seja, antigamente com R$ 5,00 você comprava 3 litros de leite, mas hoje com o mesmo valor o homem apenas compra 2 litros. Assim, calha em outros itens da cesta básica, era a época que onde R$ 1,00 valia muito no supermercado.

O trabalhador hoje tem o desafio se vai permanecer trabalhando no dia seguinte, apesar disso, a economia do país onde o dinheiro fica cada vez mais escasso e os juros dos bancos vêm aumentando, as lojas não vem conseguindo vender.

A situação do mercado de trabalho já é considerada a pior, também segundo o IBGE o desemprego entre os mais jovens já atinge 5,5%, ou seja, um de cada cinco jovens.
Ate quando o país vai viver nessa indecisão?

Atualmente virou rotina vendo empresas privadas e públicas fazendo greves nas portas das empresas.

A situação do mercado de trabalho já é considerada a pior, também segundo o IBGE o desemprego entre os mais jovens já atinge 5,5%, ou seja, um de cada cinco jovens.

Ate quando o país vai viver nessa indecisão?

ExibirMinimizar
aci baixe o app