A Evolução do Website - I

Seis níveis para compreensão

"A maioria das empresas, atualmente, está em algum lugar próximo entre o investimento num WebSite estruturado e a tentativa de um E-Commerce. Elas estão se movimentando para realizar um E-Business... Se você tem uma ... empresa, é realmente simples expandir o alcance do mercado além de sua localização geográfica e de seus atuais segmentos de Clientes. Embora isso possa aliviar algumas pressões vividas em seu atual mercado-alvo, significará novas pressões dos concorrentes que já estão na Internet e que estão tentando entrar em seu mercado." Daniel Amor - http://www.ebusinessrevolution.com

Os dois primeiros níveis

Investir em um website não é uma brincadeira. Para otimizar e extrair o melhor retorno do empreendimento, o momento mais adequado é o do briefing com o consultor responsável pela detecção das necessidades do cliente. Aquele é o primeiro condutor e elaborador do esboço do projeto que será estudado, aprovado e definido posteriormente. Para que tenhamos uma idéia de como o briefing pode atingir seu mais alto estágio de produtividade, apresento este pequeno resumo sobre os principais estágios que um Website pode assumir. Provavelmente o seu caso ou o de sua empresa estará representado nas linhas abaixo, elaboradas com base no raciocínio desenvolvido por Daniel Amor (Consultor de E-Business da Hewlwtt-Packard, na Alemanha). No Brasil, muitos dos fenômenos e propriedades da Internet (leia-se web) assemelham-se aos vivenciados na América do Norte e Europa, o que nos leva a crer que os métodos de consultoria, concepção e desenvolvimento de webSites, de certa forma, seguem padrões internacionais. A seguir, descrevo níveis naturais da evolução de websites, os quais necessitam de meios particulares de abordagem e solução de problemas. Sugiro atenção, pois o cliente precisa estar certo em relação àquilo que deseja para sua empresa, organização ou instituição.

1. WebSite Estático

Tem como característica principal o fato de ser estático, isto é, não ter “aplicações dinâmicas” que produzam resultados personalizados ou estruturados sobre e/ou para clientes. Bom, para os menos conhecedores das técnicas de desenvolvimento, é necessário esclarecer o que são essas aplicações dinâmicas. Pode-se dizer que, através delas, por exemplo, podem ser procuradas informações contidas em um banco de dados; além das mesmas serem responsáveis pelo conteúdo que será viso pelo usuário, via web. Nesse caso, não há necessidade de se contratar alguém para fazer a manutenção. A mesma será feita pelo próprio desenvolvedor através da criação de um “módulo administrativo”. Esse módulo administrativo é uma ferramenta semelhante a um website, através da qual a manutenção de informações deve ser feita por profissionais não especializados em tecnologia web. Normalmente, o website estático apresenta informações sobre a instituição/pessoa, seus produtos e/ou serviços e uma declaração de propósito – ou seja, uma declaração que diga o porquê da existência do website. Por ocasião do "lançamento" de uma página web, surgem várias dúvidas sobre o “por que” do investimento nessa nova mídia. Na posição de usuários, os responsáveis pela empresa sabem enumerar as vantagens do uso da web em seus negócios particulares; no entanto, quando se fala em canalização de recursos para o desenvolvimento de um website eficiente para suas empresas, a situação inverte-se e os responsáveis pela empresa ficam um pouco inseguros.

2. WebSite Estruturado

Ainda estamos falando sobre um website simples que abarca as informações comuns de um website estático. Apesar disso, aquele trabalha com instrumentos de busca- informações sobre a instituição/pessoa- ; além de facilitar a troca de mensagens com pessoas de setores específicos.Nese estágio, ainda não há base de dados; portanto, começa a moldar-se a necessidade de um instrumento de busca . Normalmente, quando os dirigentes das empresas se convencem de que "o tempo urge" e que há a necessidade de ser desenvolvida uma solução específica, opta-se pela concepção de um site - como o jargão diz - "simples, mas bom e bonito". É comum, também, que alguns responsáveis pela condução do processo não entendam que é fundamental estabelecer, ao menos, um dos parâmetros a seguir:

Até quanto a empresa poderá investir no projeto?e, Qual a solução desejada (ou que estima-se desejar)?

É comum encontrarmos licitações cujo intuito é a observação de soluções sobre várias produtoras de websites diferentes. A partir desse modelo, procura-se negociar com base no menor preço encontrado e na solução mais adequada (mesmo que isso seja incompatível). Nesses casos, o consultor tem a responsabilidade de esclarecer ao cliente que comprar website é comprar uma solução. No próximo artigo, passaremos aos 4 outros níveis.

Revisão: Tatiana Lütz - tatiana.lutz@gmail.com

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.