A escola de hoje

Passou da hora de “tapar” o sol com a peneira e cada um deve fazer a parte que lhe cabe. A escola ensina e os pais educam

O papel da escola se modificou ao longo dos anos acompanhando os avanços e necessidades da sociedade, mudanças essas que foram significativas para o país, principalmente no que diz respeito ao funcionamento e acesso da população brasileira ao ensino público.

Com essas mudanças, é preciso repensar a escola e garantir que a promoção de uma educação de qualidade para a formação plena do cidadão, aconteça.

Passou da hora de “tapar” o sol com a peneira e cada um deve fazer a parte que lhe cabe. A escola ensina e os pais educam.

A função da escola é formar o cidadão, construir conhecimentos, atitudes e valores, ensinar a ouvir, pensar, analisar, questionar, opinar, entender, decidir, resolver, ser ético, solidário e participativo e ir de encontro aos seus anseios futuros.

A função dos pais é educar seus filhos, impor limites, dar amor e carinho e transmitir valores morais e éticos. É no meio familiar que se estrutura e se molda a personalidade da criança e do adolescente.

Isso definido e aplicado, há de se pensar nas seguintes questões:

1.O primeiro ponto é que gente que trabalha com gente deve entender de gente. O mais importante são as pessoas. A atenção dispensada ao atendimento deve ser mais profissional.

O atendimento precisa de revisão e de orientação para que todos na escola atendam bem. Quem trabalha com pessoas, obrigatoriamente precisa atender e entender de gente. É fundamental entender que as pessoas são a razão do seu trabalho.

2. O segundo ponto é ter a consciência coletiva de que a escola existe pelo fato de existirem os alunos.

Uma pergunta: O que é mais importante para o alpinista? As ferramentas? A preparação? A estratégia? Não, o mais importante é a montanha, pois se ela não estiver “lá” de nada servem as ferramentas, a preparação e a estratégia.

Bem, assim é na escola. Professor, se o seu aluno não estiver na sala, não tem razão de dar a sua aula. Secretárias e secretários, se não houver alunos, pais e professores, não há razão para utilizar os seus serviços.

3. O terceiro ponto é se pensar em um ambiente saudável e salutar. Considere o alto percentual de profissionais afastados dos seus trabalhos por motivos médicos, o alto número de readaptados em outra função e número de pessoas descontentes com a profissão.

Baseado nestas questões, reavalie sua postura pessoal e profissional. valorize e comprometa-se com o que faz.

Primeiro, deixe o sedentarismo para trás. Procure um educador físico e torne-se uma pessoa ativa fisicamente. Melhore sua auto-estima e seja mais feliz.

Segundo, melhore sua performance e seja um profissional nota dez. Os profissionais, e assim devem agir, precisam ser eficientes e eficazes. Precisam atender bem, precisam dar a melhor aula, precisam exercer sua função de forma profissional.

Os diretores e as diretoras precisam mudar o paradigma e gerir a escola como uma empresa. É preciso fazer e aplicar os planos, acompanhar, refletir, rever metas e estratégias de forma que se atinja os objetivos.

Este é um chamamento para que todos reflitam sobre essas questões e assumam que é preciso fazer mais e melhor. Talvez seja possível que a escola, de fato, possa fazer a diferença na vida das pessoas e promover uma educação de qualidade para a formação plena do cidadão, oportunizando meios de buscar anseios futuros e visando qualidade de vida.


ExibirMinimizar
Digital