A DIFÍCIL TAREFA DE SELECIONAR PESSOAS

Outro dia li em um jornal de grande circulação em São Paulo, um anuncio solicitando uma auxiliar de limpeza. Até aí nada complicado. Ocorre que um dos requisitos era conhecimentos de informática. Como sou curioso, detalhista, não me conformei com o fato e liguei para o telefone indicado para obter maiores informações. A resposta da atendente foi que o requisito era necessário uma vez que se tratando de um hotel cinco estrelas a auxiliar de limpeza controlaria as requisições de produtos e limpeza e materiais de rouparia. Dessa maneira ela digitaria em um terminal de computador localizado em cada andar as quantidades desses materiais, e dando baixa no estoque. Bonito não? Já chegamos as raias do absurdo ou só eu que penso dessa maneira? Será que é preciso conhecer informática para isso? Não seria possível esse requisito ser eliminado e treinar em digitar alguns códigos a nova contratada? Ou será que mesmo entendendo de informática ela não precisará ser orientada para fazer o trabalho? Acreditem meus amigos. Eu fiz essas perguntas e obtive a resposta de que era exigência do requisitante da vaga. É por essas e outras que eu acredito ser muito difícil a tarefa de selecionar pessoas. O mesmo ocorre com outro anuncio que solicitava uma secretária, limitando a idade em 25 anos. Vamos imaginar que no final do processo seletivo o selecionador e o requisitante tiverem duas ótimas candidatas de 24 anos. Com isso a nova contratada pode fazer um plano de permanecer nessa empresa somente um ano uma vez que quando fizer vinte e cinco será dispensada, pois se o limite para admissão é até 25. aquelas que tiverem 24 serão dispensadas daqui a doze meses mais ou menos. Até quando os profissionais - meus colegas de recursos humanos vão se curvar às manias e exigências absurdas de certos requisitantes de vagas nas empresas? Existe uma ferramenta chamada negociação. Será que não é possível negociar essas aberrações, para aumentar as chances de pessoas com bom preparo profissional conseguirem o tão esperado emprego? Até quando meus colegas irão se curvar aos gestores que querem seus subordinados com um tremendo preparo e ao mesmo tempo ficam com medo desses profissionais, pois poderá fazer sombra a imagem do gestor, que muitas vezes não é tão bem preparado assim? Quando os meus colegas de RH irão perceber e entender que hoje a nossa área conseguiu mais respeito do que tinha há anos atrás as custas de muito esforço, competência e bom senso. Eles esquecem que estamos nos tornando profissionais de uma área estratégica? Essas são as perguntas que faço. Quem sabe alguém tenha as respostas. Sylvio José dos Santos Filho Consultor de Recursos Humanos STM Consultoria, Assessoria em RH E-mail: sylviojsantos@ig.com.br Outro dia li em um jornal de grande circulação em São Paulo, um anuncio solicitando uma auxiliar de limpeza. Até aí nada complicado. Ocorre que um dos requisitos era conhecimentos de informática. Como sou curioso, detalhista, não me conformei com o fato e liguei para o telefone indicado para obter maiores informações. A resposta da atendente foi que o requisito era necessário uma vez que se tratando de um hotel cinco estrelas a auxiliar de limpeza controlaria as requisições de produtos e limpeza e materiais de rouparia. Dessa maneira ela digitaria em um terminal de computador localizado em cada andar as quantidades desses materiais, e dando baixa no estoque. Bonito não? Já chegamos as raias do absurdo ou só eu que penso dessa maneira? Será que é preciso conhecer informática para isso? Não seria possível esse requisito ser eliminado e treinar em digitar alguns códigos a nova contratada? Ou será que mesmo entendendo de informática ela não precisará ser orientada para fazer o trabalho? Acreditem meus amigos. Eu fiz essas perguntas e obtive a resposta de que era exigência do requisitante da vaga. É por essas e outras que eu acredito ser muito difícil a tarefa de selecionar pessoas. O mesmo ocorre com outro anuncio que solicitava uma secretária, limitando a idade em 25 anos. Vamos imaginar que no final do processo seletivo o selecionador e o requisitante tiverem duas ótimas candidatas de 24 anos. Com isso a nova contratada pode fazer um plano de permanecer nessa empresa somente um ano uma vez que quando fizer vinte e cinco será dispensada, pois se o limite para admissão é até 25. aquelas que tiverem 24 serão dispensadas daqui a doze meses mais ou menos. Até quando os profissionais - meus colegas de recursos humanos vão se curvar às manias e exigências absurdas de certos requisitantes de vagas nas empresas? Existe uma ferramenta chamada negociação. Será que não é possível negociar essas aberrações, para aumentar as chances de pessoas com bom preparo profissional conseguirem o tão esperado emprego? Até quando meus colegas irão se curvar aos gestores que querem seus subordinados com um tremendo preparo e ao mesmo tempo ficam com medo desses profissionais, pois poderá fazer sombra a imagem do gestor, que muitas vezes não é tão bem preparado assim? Quando os meus colegas de RH irão perceber e entender que hoje a nossa área conseguiu mais respeito do que tinha há anos atrás as custas de muito esforço, competência e bom senso. Eles esquecem que estamos nos tornando profissionais de uma área estratégica? Essas são as perguntas que faço. Quem sabe alguém tenha as respostas. Sylvio José dos Santos Filho Consultor de Recursos Humanos STM Consultoria, Assessoria em RH E-mail: sylviojsantos@ig.com.br
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.