A crise despertou o espírito empreendedor do brasileiro

O brasileiro possui por essência a característica de empreender e a crise que enfrentamos serviu para que muitas pessoas, ainda que por necessidade, deixassem aflorar este espírito que pode até ser uma das soluções para este momento conturbado

Tradicionalmente nós brasileiros temos características como a criatividade, a capacidade de se adaptar às mais diversas situações e a de empreender. Não querendo “puxar a sardinha” para o nosso lado, mas isto é fato e não da pra negar. Pais e mães de famílias que sustentam seus filhos e muitas vezes os filhos dos filhos com “muito pouco” ou quase nada, sobretudo pela falta de seriedade de nossos governantes evidenciam a capacidade de adaptação do brasileiro. Quando pessoas como estas perdem seus empregos ou passam por alguma dificuldade, juntam suas economias e passam [ainda que temporariamente de forma ilegal] a serem donos dos seus próprios negócios, nos mostrando assim a capacidade empreendedora que está correndo em nossas veias.

O empreendedorismo pode nascer na vida das pessoas, basicamente, de duas formas, por opção ou por necessidade. É muito comum de se ver por aí pessoas que trabalharam boa parte da vida em empresas e depois de algum tempo, uma boa ideia e um pouco de dinheiro guardado por anos iniciam suas atividades como empresários iniciantes, muitas vezes continuam trabalhando no mesmo ramo em que atuavam, só que agora sendo seus próprios “patrões”. É comum também vermos pessoas que por necessidade, seja porque perderam o emprego e já não conseguem outra colocação ou por alguma outra razão não podem mais trabalhar, resolvem montar seu pequeno negócio para sustentar suas famílias. Em ambos os casos existem “histórias com final feliz”, onde o empreendimento dá certo e começa a crescer, muitas vezes se tornando concorrente de grandes empresas tradicionais, mas também [em maior número de vezes até] existem situações em que o negócio não decola, seja por falta de planejamento, concorrência desleal ou outros motivos.

Empreender é mais que uma simples ação, podemos que dizer que se trata de uma arte, um dom que nem todos têm, mas muito comum em nosso país. Acreditamos que em nenhum outro lugar do mundo é possível ver um número tão grande de empreendedores.

O momento que estamos vivendo hoje fez como milhares de brasileiros perdessem seus postos de trabalho e com isso muita gente se viu com extrema necessidade de ir à luta e garantir alguma forma de renda. Com isso, muitas dessas pessoas começaram a desempenhar atividades empreendedoras, seja vendendo peças de vestuário, alimentos, eletrônicos, prestando serviços diversos, enfim o empreendedorismo veio pra preencher a lacuna deixada pela inércia e omissão do estado.

Evidente que esse número crescente de empreendimentos no Brasil é resultado da crise e motivado por necessidade, sendo assim esses negócios tem mais chances de dar errado, pois estão sendo criados, muitas vezes, como uma saída, uma válvula de escape por pessoas que não tem alternativas.

Embora possamos associar claramente o crescimento do número de empreendedores com a crise econômica [que no nosso caso é bem mais política do que econômica] e dessa forma enxergarmos essa situação de maneira negativa, é importante destacarmos aspectos positivos de tudo isso. Podemos dizer até que a atividade empreendedora, de modo geral, pode estar contribuindo para afastar a recessão uma vez que a economia se mantem aquecida com os novos negócios que estão sendo criados e com isso o consumo não diminui tanto. Podemos também tirar proveito desse espírito empreendedor em situações futuras que possam vir a ocorrer.

Enfim, podemos dizer sem dúvida que a crise despertou o espírito empreendedor do brasileiro e isto pode ser o remédio para nos curar desse mal.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento