Café com ADM
#

A CRIAÇÃO DE VANTAGENS COMPETITIVAS ATRAVÉS DA INFORMAÇÃO

A CRIAÇÃO DE VANTAGENS COMPETITIVAS ATRAVÉS DA GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Alexandre Rodrigues Santos > RESUMO Em um mercado altamente competitivo, é essencial para qualquer organização direcionar suas atividades tanto para a estabilidade quanto para as mudanças, mantendo-se em sintonia com o meio. A informação é essencial no suporte para as estratégias e os processos de tomada de decisão. A Gestão Estratégica da Informação tem como desafio fornecer subsídios à empresa à consecução de seus objetivos. Este trabalho realizou um estudo sobre a Gestão Estratégica da Informação na criação de vantagens competitivas de mercado, caracterizando os aspectos relevantes a Gestão Estratégica da Informação através da análise do meio interno e externo a organização e suas influências nas estratégias adotadas pela organização, que é a essência da pesquisa. Este trabalho também tem como objetivo estabelecer um paralelo entre os conceitos e teorias presentes na revisão literária e o observado na realidade do mercado, e como a Gestão Estratégica da Informação pode realmente criar diferenciais de mercado estabelecendo vantagens competitivas para as organizações. Palavras chave: Gestão, Informação, Estratégias. ABSTRACT In a highly competitive market, any organization is essential in such a way to direct its activities for the stability how much for the changes, remaining itself in harmony with the way. The information is essential in the support for the strategies and the processes of decision taking. The Strategic Management of the Information has as challenge to supply to subsidies to the company pair to the achievement of its objectives. This work carried through a study on the Strategic Management of the Information on creation competitive advantages of market, characterizing the excellent aspects the Strategic Management of the Information through the analysis of environment internal and outward of the organization and its influences in the strategies adopted for the organization, that is the essence of the research. This work also aims at to establish a parallel between the concepts and theories gifts in the literary revision and the observed one in the reality of the market and as the Strategic Management of the Information can really create market differentials establishing competitive advantages for the organizations. Key worlds: Management, Information, Strategies. INTRODUÇÃO No final da década de 40 foi apresentado para a humanidade o primeiro computador. Desde então, ocorreram transformações significativas na forma de armazenamento, processamento e recuperação da informação. Alguns cientistas da época acreditavam que o computador teria utilidade apenas para as forças militares. No entanto, esta opinião não era unânime, existia o argumento que o computador encontraria aplicações no mundo dos negócios, afetando consideravelmente as organizações e os questionamentos feitos pela Ciência da Administração, surgindo uma perspectiva de grandes mudanças. As organizações vêm enfrentando ao longo dos anos um ambiente extremamente competitivo e imprevisível. Este tem sido afetado pelos novos paradigmas criados pela chamada Sociedade da Informação. O mercado é tão acirrado, que as organizações para continuarem crescendo ou até mesmo sobrevivendo, precisam ter uma imensa capacidade de adaptarem-se as mudanças. As contingências políticas, tecnológicas, econômicas, culturais e sociais impostas pelo meio interferem diretamente nas atividades das organizações. Toda e qualquer organização precisa direcionar seus esforços de tal maneira a eliminar as ameaças e explorar as oportunidades advindas do ambiente. A necessidade de adaptarem-se as novas situações impostas pelo ambiente tem exigido das empresas cada vez mais capacidade de criar, inovar, mudar, tornando a cada dia mais estratégico o papel da informação. A informação tem orientado na definição de estratégias, nos processos de tomada de decisão, bem como no controle das atividades operacionais que são cada vez mais dinâmicas. Além de caracterizar-se como pilar para a escolha de estratégias, no processo de tomada de decisão e no controle operacional, a informação também pode caracterizar-se como agente de mudança, criando ou adaptando o comportamento organizacional as contingências do ambiente interno e externo a organização. O grande desafio da Gestão Estratégica da Informação é gerenciar as atividades ou operações das organizações minorando os riscos e ameaças, ampliando e explorando as oportunidades através da otimização dos recursos disponíveis para a consecução dos objetivos definidos por seus gestores. O objetivo sobre o estudo da Gestão Estratégica da Informação é caracterizar os aspectos relevantes à mesma através da análise do meio interno e externo a organização e suas influências nas estratégias adotadas para a criação de vantagens competitivas de mercado. A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO ESTRATÉGICO DA INFORMAÇÃO É indiscutível a importância da informação para a gestão de qualquer negócio hoje. Numa economia dinâmica as empresas precisam diferenciar-se uma das outras para conseguir atingir seus objetivos e metas. A capacidade de adquirir, tratar, interpretar e utilizar a informação de forma objetiva e eficaz pode gerar vantagens de mercado. Gerir a informação de forma estratégica não é tão simples quanto parece, mas torna-se muito importante se considerarmos a dinamicidade do mercado. Segundo Cavalcanti (1995, p.05), quando a organização conseguir disponibilizar a informação certa no momento certo, esta ação permite a empresa uma vantagem competitiva. A gestão da informação deve ser diária e considerada tão importante quanto a gestão financeira ou de pessoas. Figura 1. Tarefas do Processo de Gerenciamento da Informação. FONTE: MCGEE (p.108) É preciso entender o caminho percorrido pela informação para eliminar desperdícios e usa - lá como recurso. As diferentes fases do processo assumem diferentes papéis e níveis de relevância e valor para as organizações. Existem informações especificas para cada tipo de empresa; a forma como é adquirida pode não ser de qualidade; a classificação e o armazenamento segundo áreas afins e especificas; o processo de criação baseado na informação; o compartilhamento; a utilização da informação. Segundo Covey (1996) referido por Pinto (p.06), o mercado está exigindo que as organizações se transformem de tal maneira que elas possam ser capazes de produzir bens e serviços, a fim de empregá-los de maneira rápida e amigável, para atender as necessidades de clientes internos e externos. Mudanças econômicas, políticas, tecnológicas, culturais e sociais mantém uma relação estreita com as organizações e suas atividades, criando oportunidades e/ou ameaças na qual devem estar preparadas para lidar com estas novas situações. Ferreira (2003, p.43) mencionou que a informação agrega valor quando permite a empresa perceber as oportunidades e ameaças a sua operação, detectando tendências ou problemas, ou ainda a informação agrega valor aos negócios quando da sua análise chega-se a novas maneiras de fazer o negócio e novos produtos. É preciso criar diferenciais competitivos em relação ao mercado antecipando-se as mudanças e tendências, criando assim vantagens competitivas. A INFORMAÇÃO ESTRATÉGICA NO PROCESSO DE DECISÃO O processo de tomada de decisão é cada vez mais complexo. As decisões precisam ser mais rápidas, precisas e estratégicas exigindo mais dos gestores. O uso da informação deve auxiliar as empresas e seus gestores a diminuírem as os riscos, tendo como conseqüência decisões mais acertadas e mais próximas da realidade ou do esperado. É preciso considerar que possuir informação é essencial, mas que a mesma deve ser de qualidade. Quando se fala em informação de qualidade, é preciso mencionar alguns aspectos relevantes como à veracidade, a origem, a exatidão e a aplicabilidade da mesma. É necessário realizar uma análise crítica sobre estes aspectos durante qualquer processo de tomada de decisão. Conforme Marchiori (2002, p.05) o gestor da informação deve localizar e disseminar a informação de qualidade e criar consciência estratégica para a capacitação de informação de interesse; priorizar informações relevantes para o usuário e/ou grupos de usuários; utilizar ferramentas de modelagem e apresentação da informação adaptando o estilo, vocabulário e ênfase -, visando tornar a informação atraente; administrar com a tecnologia da informação, analisando criticamente seu custo, qualidade e complexidade. O papel do gestor da informação é fundamental para o sucesso e a consecução dos objetivos estabelecidos. O gestor da informação deve pensar e planejar estrategicamente, estruturar articulações políticas e analisar mercados e contextos, segundo Marchiori (2002, p.05). As organizações vivem para atingir resultados, e estes são alcançados quando as empresa criam condições para diferenciar-se de seus concorrentes. Uma boa estratégia define os meios pelos quais os produtos/serviços serão melhores. Segundo McGee (1994, p.22), se uma estratégia não permitir que a empresa ofereça (ou pelo menos convença aos consumidores que oferece) melhor qualidade, menor custo, melhor serviço ou alguma outra característica desejável, não será estratégica. Para gerir estrategicamente é preciso entender primeiro o papel da informação na definição das estratégias. McGee (1994, p.53) mencionou que existem três elementos no processo de definição de uma estratégia em um ambiente competitivo, e cada um deles focaliza um aspecto vital diferente, que são: posicionamento/escopo, competências organizacionais e estrutura/administração. É essencial entende-los e sua interação no processo de diferenciação baseada na informação. A compreensão do posicionamento de mercado da empresa, das habilidades e competências e da governância dá condições à organização para criar barreiras para a entrada ou eliminar barreiras para a entrada, gerando vantagens competitivas através da informação. McGee (1994, p.28) representou bem a busca por informação no processo de decisão e na definição das estratégias. É preciso entender e compreender as influências do ambiente na organização. McGee (1994, p.28) sugeriu que os executivos devem levar em conta os produtos alternativos que existam atualmente no mercado e os que poderão surgir para satisfazer as necessidades dos clientes, e a possibilidade de que novos concorrentes ou empresa até o momento em segmentos de atuação diversos possam penetrar nos mercados da empresa. Além de considerar também fornecedores de recursos como os colaboradores. Figura 2. Modelo de Porter - Forças Competitivas. FONTE: MCGEE (p.28) A informação é uma ferramenta que realmente pode fazer a diferença no mercado, e geri-la estrategicamente pode proporcionar à organização a criação de vantagens competitivas agregando valor aos produtos/serviços oferecidos ao mercado. Gerir estrategicamente a informação pode conduzir a empresa a inovações que possibilitem o desenvolvimento de novos produtos a um preço mais baixo, um serviço de boa qualidade, a um bom relacionamento com os clientes, agregando valor e adicionando vantagens de mercado para a organização. CONCLUSÃO O gerenciamento estratégico da informação pode gerar a criação de diferenciais de mercado à organização. Através do gerenciamento estratégico da informação a organização pode desenvolver mecanismos para eliminar ou criar barreiras à concorrência ou para aproveitar as oportunidades de mercado, agregando valor aos produtos e/ou serviços oferecidos, consequentemente gerando vantagens competitivas. BIBLIOGRÁFIA CAVALCANTI, Elmanto Pontes. Revolução da Informação: algumas reflexões. Caderno de Pesquisa em Administração, São Paulo, v.1, nº.1, 2ºsem. / 1995. FERREIRA, Danielle Thiago. Profissional da informação: perfil de habilidades demandadas pelo mercado de trabalho. Ciência da Informação, Brasília, v.32, n.1, pg. 42-49, jan./abr. 2003, artigo aceito para publicação em 24.03.2003. MARCHIORI, Patrícia Zeni. A Ciência e a Gestão da Informação: compatibilidades no espaço profissional. Disponível em: http/www.decigi.ufpr.br/cadernosfea.pdf. Acesso em: 19.01.2005. MCGEE James, Laurence Prusak. Gerenciamento Estratégico da Informação. 12ª edição. Editora Campus, 1994. PINTO, M. D. S.; BLATTAMN, U. Habilidades e Competências do líder e a Gestão da Informação. Disponível em: http/www.ced.ufsc.br/~ursula/papers/habilidades.html. Acesso em: 19.01.2005.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.