A comunicação na administração de conflitos

"Comunicação é a arte de ser entendido. "Autor - Ustinov , Peter

Por mais que se estude sobre comunicação organizacional sempre acabamos descobrindo alguma novidade. Se pararmos para analisar, desde do início da humanidade se faz uso da comunicação. Através dela é passado todo o conhecimento de gerações em gerações. É de grande valia para o desenvolvimento dos seres humanos, na política, em grupos, no sistema familiar.

Infelizmente ou felizmente- dependendo do contexto- através da comunicação pode haver conflitos. A administração de conflitos está relacionada diretamente com a comunicação organizacional, pois os indivíduos precisam aprender a lidar com determinadas situações. Em O Discurso do Rei de David Seidler, o protagonista Colin Firth que dá vida ao Rei George VI trás em várias cenas essas situações de conflitos durante o filme. O que mais chama a atenção são os três conflitos/dramas distintos encontrados no filme: do povo inglês, do fonoaudiólogo e a do próprio Rei. Que podem ser convertidos, trazidos para o âmbito empresarial sem nenhum problema como: os colaboradores, o administrador e o do diretor/presidente/dono da empresa.

Os colaboradores tem a necessidade de receber informações com total clareza para que desempenhe com êxito suas funções e assim não gerar nenhuma ruptura na mensagem. No filme, George tem dificuldades de passar as mensagens que lhe eram incumbidas deixando o povo inglês inseguros com sua palavra.

O administrador é uma peça fundamental na empresa. É dele que irá sair a análise, o planejamento e os comando para uma determinada situação. É o braço direito – e o esquerdo também – de uma organização. Lionel retrata muito bem essa função, sempre auxiliando George e acima de tudo: sempre deixando claro que o Rei tem capacidade de ler um discurso e de que ele só precisa de técnica para executar.

Muito mais do que um administrador, Lionel exerce a função de mediador de conflitos, segunda /terceira pessoa que, não tem caráter decisório e sim, auxilia um(s) indivíduo(s) a encontrar uma solução para o problema. O mediador usa várias técnicas específicas, sobretudo da comunicação pra achar o melhor caminho para a resolução. Dá vem sua importância não só na mediação mas em vários setores que dependem dessa ferramenta –comunicação- para se relacionarem.

Sobre o último conflito, cabe ao dono de uma empresa não só a tarefa de “mandar” e sim de ouvir. Esse sim é o ápice. Ouvir o feedback dos seus colaboradores, ouvir seus “braços direitos” é a melhor forma de saber ser o que faz está dando retorno positivo ou negativo. George enfrenta o pior conflito: a auto aceitação. Ele não aceita os métodos de Lionel para a sua cura, o que o impede ainda mais de amenizar esse problema.

O que se extrai é que a comunicação organizacional estabelece relações de entendimento entre pessoas para que possam interagir em prol de um objetivo comum. Ela tem o poder de influenciar ou de retroagir. Quem domina essa arte tem o poder de influência. Vale lembrar: ouvir, observar e dá importância para o outro é determinante para a eficácia da comunicação.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.