A campanha #praserfeliz e sua utilidade para o RH

Quais procedimentos de RH podem ajudar o líder a motivar sua equipe

Para os profissionais de Recursos Humanos não é novidade a afirmação de Chiavenato sobre a interdisciplina e multiplicidade dos campos de conhecimento da área, sabemos que, de um modo geral seus alicerces são seus subsistemas, a missão e o conjunto de valores da organização. No entanto, não podemos esquecer o principal componente dessa dinâmica o capital intelectual: a pessoa motivada ao trabalho.

Motivação ao trabalho é um dos aspectos mais relevantes no que se refere aos índices de absenteísmo e tunerover, segundo estudo realizado pela Talense em 2015. Nesse sentido, as politicas de RH tendem a procedimentos que visam à manutenção da motivação: planos de carreira, administração de salários e benefícios, treinamentos e desenvolvimentos, avaliações de desempenho, entre outros. Todos esses procedimentos garantem tratamento igualitário entre colaboradores e trazem à luz os objetivos da organização (Chiavenato). No entanto, a motivação apresenta um aspecto de cunho subjetivo e seu incentivo não ocorre somente no campo exterior, “será necessário criar condições para que os empregados desejem realmente permanecer na empresa, sintam a contribuição significativa para seu desenvolvimento profissional e pessoal” (Antônio Carlos Gil).

A rede de Supermercados Pão de Açúcar, brilhantemente, colocou seus clientes no centro da ação de suas campanhas. Inicialmente utilizava o slogan “Lugar de gente feliz” e passou a utilizar “O que faz você feliz?”, desta forma, o cliente passou a ser o agente de sua felicidade. Para fortalecer a ação veiculou a hashtag “ #praserfeliz” e criou uma vídeo propaganda onde as pessoas vivenciam a felicidade em coisas simples da vida. “Queremos tomar o conceito mais tangível, mostrando o que o consumidor faz em busca desse valor em seu dia a dia” disse Renata Gomide, gerente de marketing da rede.

Trazendo o exemplo para o Recursos Humanos e lembrando a função estratégica do setor como “staff” na organização, devemos questionar o que faz feliz nossos colaboradores, que são diretamente nossos clientes. Cada gestor deve trabalhar a identificação de sua equipe e considerar o que a motiva ao trabalho. Entender que remuneração, benefícios e plano de carreira são importantes para manter talentos, mas que outros aspectos como clima organizacional, relacionamento interpessoal, infraestrutura do local de trabalho e qualidade de vida, também são levados em consideração no momento da escolha por outra empresa. Distinguir o perfil profissional de cada integrante de sua equipe proporcionará a criação de táticas motivacional assertivas e fortalecerá a relação de trabalho entre a empresa e o colaborador. Certamente nada é mais motivador que perceber suas necessidades sendo compreendidas! Então que tal começar a perguntar: “ O que faz seu colaborador feliz?”.

Publicado originalmente na plataforma Pulse, do LinkedIn

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento