A BELEZA DOS CANIONS

. . . Não há grandes empreendimentos sem crises igualmente grandes. Não há grandes homens sem grandes problemas. Os entraves servem para fortalecer e tornar o caminho mais instigante. Desafios são importantes no processo. Sem eles tudo fica muito monótono. Segundo Elisabeth Küber-Ross, caso se protegessem os cânions dos vendavais, nunca se veria a beleza de seus entalhes. Na vida também é assim: grandes corporações e grandes empreendimentos sociais ou políticos se fortaleceram nas crises. Ser empreendedor é saber superar crises, desafiando o que todos julgam ser impossível ou inviável. Para o empreendedor sonhos podem virar realidade, Sempre! Basta que se lute e encontre pessoas dispostas a acreditar no processo de construção necessário e por a mão na massa. A dedicação e o entusiasmo são primordiais para que as etapas possam ser superadas e, com isso, imprimir o clima de vitória e conquista. Um cânion leva milhares de anos para se formar. A ação do vento, persistente e tenaz, age, ali, como um perfeito empreendedor entalhando beleza e originalidade nas rochas. Os cânions são, portanto, inovações da natureza. E inovação é a palavra de ordem para o empreendedor. Somente através dela se constrói empreendimentos que tenham real significado para a sociedade. Às vezes tentamos proteger nossos empreendimentos de tal maneira que sufocamos seu crescimento. O zelo excessivo é uma erva daninha que impede o desenvolvimento das idéias e ações grandiosas. O que seria do mundo sem a inovação e sem a criatividade? Ora, se até a natureza inova, por que não inovarmos também? Inovar é enxergar e agarrar as oportunidades que são nada mais que cavalos selados prontos a nos transportar ao cume das montanhas do sucesso e do reconhecimento. Quando uma oportunidade aparece, temos que estar preparados para ela. E, isso significa, em palavras miúdas, estarmos dispostos a persistir e superar as dificuldades que vêm de carona. Afinal, se empreender fosse fácil não teria mérito algum! O processo de construção de algo inovador, como na formação dos cânions, passa por dois estágios bem distintos, porém complementares. Primeiro, a identificação da oportunidade, ou seja, enxergar onde só havia rocha a possibilidade de se entalhar formas e construir algo belo, que encante agregue beleza à vida das pessoas. Segundo, a persistência, pois a ação do tempo, do vento e da chuva, sobre as rochas só se dá com muita perseverança e tenacidade. Não se constrói um cânion do dia para a noite, num ano, década ou século. Milhares de anos são necessários para imprimir beleza a este empreendimento da natureza. E, apenas por esse fato, um cânion é tão belo! Empreender é um processo similar. Requer dedicação, criatividade, persistência e tenacidade. Não dá para ser diferente. Não se pode empreender esperando que tudo corra às mil maravilhas. O momento de empreender é agora! A natureza fez os cânions para mostrar ao mundo a beleza do tempo e dos vendavais. Agora, cabe a você empreender e mostrar aos teus pares que na crise criatividade, ousadia e persistência são fundamentais para se imprimir beleza e grandiosidade aos teus sonhos. Atitude! Transforme mundo e faça a diferença! Foi para isso que eu nasci e você? . . .
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.