A arte de fazer networking: qual é o segredo?

A expressão "fazer networking" ganhou bastante popularidade, apesar de ser uma prática que acompanhou a evolução do mundo desde seus primórdios. Porém, muitos ainda não entenderam como se faz networking e como transformar sua network em uma rede colaborativa de contatos

A expressão "fazer networking" ganhou bastante popularidade, apesar de ser uma prática que acompanhou a evolução do mundo desde seus primórdios. Porém, muitos ainda não entenderam como se faz networking e como transformar sua network em uma rede colaborativa de contatos.

"As pessoas mais ricas do mundo constroem redes, e todas as outras procuram emprego". Robert Kiyosaki, autor do best-seller Pai Rico, Pai Pobre.


Estamos em pleno século 21; em um mundo globalizado sem a existência de barreiras geográficas; com a internet ao nosso dispor para facilitar e permitir contatos com um maior número de pessoas; com as mídias sociais que nos possibilitam estar conectados com pessoas que conhecemos muito, conhecemos pouco ou simplesmente não conhecemos; enfim.

Fazer networking (derivado de Network, que significa rede de contatos) considerando todas essas variáveis pode parecer mais complexo para alguns e mais simples para outros. Independente disso e para facilitar para todos, eu preparei algumas reflexões pra vocês.

Para transformar seu Network em uma rede colaborativa de contatos, tenha em mente esses três princípios:

  • Situação ganha-ganha (do inglês win-win situation)
  • Frequência de contato;
  • Conteúdo útil;

Situação ganha-ganha

Antes de mais nada, fazer networking de verdade requer a seguinte análise: O que eu tenho ou faço muito bem e posso oferecer para meus contatos?

Algumas possíveis respostas seriam: seus contatos (indicações), sua energia (trabalho), seus conhecimentos, suas ideias, seu tempo, seu dinheiro (investidor), sua credibilidade, seu sucesso, sua atenção.

Nessa análise você pode encontrar diversas respostas. O segundo passo é entender quais das suas habilidades, competências e recursos podem ser interessantes para cada uma das pessoas do seu Network, no momento em que precisar pedir algo a elas.

E para que fique claro: não há nada de errado em pedir algo para seu Network. Além disso, nem sempre haverá necessidade de oferecer algo em troca, bastará a pessoa saber que poderá contar com você quando precisar.


☛ Exemplos de situações ganha-ganha:

Para clarificar como seria isso na prática.

⇆ Marcos, gostaria de pedir que me indicasse para aquela vaga que está aberta em sua empresa nesse momento. Aproveito para me colocar a disposição para palestrar sobre minha especialidade, tema X, naquele evento que você está organizando. (Credibilidade X Conhecimento).

⇆ Joana, vi que você está buscando profissionais com X qualificações e tenho 10 nomes para te indicar. Ao mesmo tempo, e sem que você se sinta obrigada a retribuir esse favor, veio a calhar de eu estar precisando de uma opinião sobre uma pesquisa importante que estou lançando esse mês e gostaria de pedir que avaliasse o material para mim. (Rede de Contatos X Tempo/Credibilidade).

⇆ Luis, vi que você acabou de ser contratado por essa empresa e gostaria de pedir os contatos do Diretor de Compras para apresentar meus serviços. Espero poder retribuir essa gentileza da forma que melhor convier a você. (Credibilidade e Acesso X O que for mais importante pra seu contato).

Faz sentido pensar dessa forma?

Frequência de contato + conteúdo útil

Porém, se você ativa seu Network (rede de contatos) somente quando está buscando um novo emprego, quando quer vender algo para alguém ou quando precisa de alguma indicação/favor, você ainda não entendeu o que é fazer Networking.

Há alguns dias eu escrevi uma publicação no meu LinkedIn abordando algumas atitudes para serem adotadas em tempos de "crise" e uma delas era ativar seu Network. Apesar de contraditório com o que foi dito acima, essa foi uma das dicas citadas porque sei que infelizmente a maioria de nós ainda não fazemos isso da maneira certa.

A melhor maneira de fazer networking é se manter ativo em seus relacionamentos e nesse ponto temos um grande aliado no mundo profissional: o LinkedIn.

☛ Exemplos de como ter frequência com conteúdo útil


Em cada exemplo vou deixar claro o que você está oferecendo para sua rede, pensando em um variante da primeira reflexão deste artigo (O que eu tenho ou faço muito bem e posso oferecer para meus contatos?) que seria: Como posso ajudar?

➜ Compartilhar aquela matéria que você leu e achou o conteúdo bastante pertinente ou interessante (enquanto tomava seu café) - informação.
➜ Ao ver um anúncio de vaga, indicar profissionais que você sabe quem têm perfil para a posição, ou que podem conhecer pessoas com esse perfil - seus contatos.
➜ Publicar o slide da sua última palestra - conhecimento.
➜ Curtir, comentar, compartilhar publicações interessantes de outros - apoio, divulgação, conhecimento, credibilidade.
➜ Escrever recomendações para pessoas que você conhece - credibilidade e reputação.
➜ Escrever artigos - informação e conhecimento.
➜ Participar de discussões em grupos - informação e conhecimento.
➜ Curtir a página de empresas - apoio e credibilidade.
➜ Publicar a indicação de um bom fornecedor - apoio e seus contatos.
➜ Responder a todas as mensagens que recebe, colocando-se sempre à disposição - atenção.
➜ Responder a todas as solicitações de conexões - atenção.
➜ Dar parabéns para aqueles que fazem aniversário de empresa ou conseguiram um novo emprego - atenção e apoio.
➜ Mandar uma mensagem de apoio para aqueles que atualizaram seu título para "Buscando Recolocação", ou indicar vagas que sabe que existem e recrutadores de sua confiança que podem ajudar - atenção, apoio, informação e seus contatos.
➜ Enviar 10 (ou quantas quiser) mensagens por dia para pessoas diferentes, se interessando genuinamente em saber como estão e como estão avaliando o mercado nesse momento, mas também falando sobre qual é a sua avaliação - atenção, informação e conhecimento.

Fazendo isso diariamente, você com certeza estará construindo sua rede colaborativa e estará movimentando de maneira positiva sua rede de contatos. Aproveite para extrapolar esses exemplos para outras práticas semelhantes dentro da sua realidade.

Mas você pode estar se perguntando: Ah, mas quem tem tempo pra isso nos dias de hoje? E a resposta é bem simples: quem vê na criação de uma rede colaborativa um investimento de curto, médio e longo prazo.

Para ajudar!!!

Os mapeamentos de rede mostram que os horários de maior fluxo de pessoas online no LinkedIn são de 3ª a 5ª, no início do expediente (das 08h00 as 09h30) e ao final do expediente (das 17h00 as 18h00).

E pra você, quais são os melhores horários? Crie uma rotina diária de atualização da rede e beneficie-se disso beneficiando a outros.

Gostou? (✓) Então comece compartilhando esse artigo com sua rede e ofereça informação para seu network.

Abraços a todos.

Artigo originalmente publicado no Blog da Heads.

ExibirMinimizar
Digital