A arte de dar e receber feedback

Conhecer o modo como expressamos nossas opiniões é imprescindível, pois fazemos parte do crescimento uns dos outros, onde nossas atitudes refletem significativamente no comportamento das pessoas

Você se lembra de já ter sido elogiado por um trabalho bem sucedido? Já recebeu críticas justamente pelo contrário?

O feedback é uma palavra inglesa que significa dar resposta a um determinado pedido ou acontecimento e tornou-se uma ferramenta poderosa em nosso cotidiano. Todos os dias emitimos nossas opiniões nas mais variadas formas, negativa ou positivamente, podendo marcar para sempre a vida de alguém. É exatamente por isto que precisamos nos questionar sobre como manifestamos nossos pensamentos para as pessoas.

Existem vários tipos de feedbacks e dentre os mais comuns estão os “positivos-construtivos” e os ‘negativos-ofensivos”. Os positivos constroem a nossa confiança, a nossa autoestima, permite nossa realização e transmite motivação necessária para ir além das expectativas. Em contrapartida, um feedback negativo pode causar sérios transtornos à vida do profissional e refletir seriamente no desempenho da empresa. Este procedimento deve ser feito de maneira construtiva, mesmo através de críticas. E a maturidade fará toda a diferença nestes momentos pois, de um lado, existem pessoas com grande dificuldade de receber críticas por levarem tudo para o lado pessoal e, por outro, existem lideranças que, por agirem no impulso, acabam transmitindo um feedback ofensivo e desmotivador.

Analisando o contexto, como fazer para dar o feedback de maneira eficaz?

Existem diversas formas, das mais simples às mais complexas. A empresa pode optar por um “bate papo” e uma sincera troca de ideias para alinhar as reais funções de um funcionário com o que, de fato, ele está realizando. Esta forma permite um retorno rápido sobre as expectativas da empresa em relação a determinado colaborador, identificando e reconhecendo o que já está bom, apontando aquilo que pode ser aprimorado. Outra maneira, porém mais complexa e exige um nível adequado de maturidade dos envolvidos, é a avaliação de desempenho. Esta ferramenta permitirá uma visão mais ampla das qualidades do avaliado e também das necessidades de desenvolvimento, podendo, inclusive, apontar as necessidades específicas de treinamento. Portanto, é importante a presença de um profissional capacitado para aplicar estas ferramentas de maior complexidade, garantindo a eficácia dos procedimentos e retornos mais seguros e satisfatórios.

Se analisarmos nosso contexto pessoal, veremos que o feedback é muito mais comum do que imaginamos e não existe somente nas organizações, tampouco a sua importância se aplica somente nas empresas. Avalie o seu convívio na família, no círculo de amizades, nas escolas ou até mesmo nas igrejas e verá que, nestas convivências, onde podemos expressar mais livremente nossas opiniões, encontraremos muitas respostas para a seguinte autoanálise: Valorizo mais os defeitos ou as qualidades daqueles que convivo? Eu elogio, ou critico-os mais?

Conhecer o modo como expressamos nossas opiniões é imprescindível, pois fazemos parte do crescimento uns dos outros, onde nossas atitudes refletem significativamente no comportamento das pessoas. Pratique o hábito de elogiar e aprender fazer da crítica um instrumento positivo e valioso na vida de alguém. Construa o respeito e a confiança e esteja aberto para compreender que o feedback não é algo para punir, mas para fazer de você uma pessoa e um profissional cada vez melhor, trazendo um momento de reflexão e desenvolvimento. É uma oportunidade excelente para alinhar as expectativas dos envolvidos de maneira construtiva e motivadora, permitindo o crescimento de todos.

Experimente!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento