Café com ADM
#

8 dicas para escrever um bom artigo

Veja aqui algumas regras que poderão fazê-lo vivenciar que escrever um bom artigo é possível

Você acha que tem informação, conhecimento e/ou experiência para compartilhar, mas não sabe como fazer isso?

Existem escritores “natos” – aqueles que nascem com o dom de saber transportar pensamentos ou ideias “bate pronto” para a escrita.

Mas também existem muitos textos excelentes de pessoas que desenvolveram a capacidade de escrever de forma clara e convincente os seus artigos.

Gostaria de sugerir aqui algumas regras que poderão fazê-lo vivenciar que escrever um bom artigo é possível; e mais, imaginando uma aplicação bem sucedida, você notará que escrever tende a educar o raciocínio e a expressão, facilitando sua carreira.

1 - Selecione seu público

Matérias escritas para todos acabam por não ser lidas por ninguém. Não dá para escrever algo que desperte o interesse de jovens e adultos, estudantes e profissionais maduros, intelectuais e técnicos, arrojados e conservadores. Para cada público o apelo será diferente – ainda que o assunto possa ser o mesmo. Definir seu público antes de escrever facilita a customização do apelo do tema, da abordagem do assunto e a escolha do vocabulário.

2 - Identifique-se com seu público

Coloque-se no lugar do seu leitor, dirigindo-se a ele. Para ser mais autêntico, inclua experiências próprias. Para ser mais atrativo, trabalhe com ilustrações. Lembre: “Para ser mais agradáve,l trabalhe com imagens e/ou fotos. Se você quiser persuadir, fale de interesses em vez de apelar à razão (Benjamin Franklin).

3 - Trate o seu leitor de igual para igual

Não demonstre ser o “sabichão” . Não tente impressionar, atropelando o leitor com termos técnicos de difícil compreensão; se ele tiver problema de entender você, a responsabilidade é sua e não incapacidade dele. Presuma que ele entende o que você quer dizer e esteja disposto a vivenciar ou experimentar a conclusão na situação dele.

4 - Comece o artigo de forma “leve”

O começo do artigo faz o leitor se interessar ou não pela continuação da leitura. Fale de alguma história ou mostre o “por quê” (cenário), “para quê” (solução) e “como” (tópicos) da sua abordagem.

5 - Deixe o título por último

Desenvolva sua ideia ou proposta e escolha o título após a abordagem, quando tiver mais clareza sobre apelo, dinâmica e conclusão.

6 – Permita que o leitor faça suas conclusões

Se você quiser convencer o leitor, apresente dados e/ou fatos, perguntas sugestivas ( “e se”, “por que não”) e/ou argumentos de impacto (casos de sucesso). Como disse um Anônimo: “Há várias maneiras de ser entendido: ser claro é uma delas”. Se o leitor chegar na conclusão “certa”, você terá ganhado um aliado; se você “impuser” a sua conclusão, ele pode desconfiar e criar um bloqueio de compreensão.

7 – Reescreva o artigo

Se a primeira redação ocupou duas páginas, tente reescrevê-la em apenas uma, sem secar o conteúdo, perder o impacto ou esvaziar a relevância do conteúdo, é claro. Você pode excluir frases inúteis e/ou redundantes como também trocar termos complicados por comuns, não menos explícitos. Tome tempo para isso, lembrando uma frase do Sir Winston Churchill: “Desculpem-me pela extensão de meu discurso de hoje... é que não tive tempo de preparar uma versão mais resumida”.

8 – Pesquise - não chute

Se você não dominar o assunto, busque embasamento. É melhor se certificar do que simplesmente “abrir a lata”. Não é preciso ser acadêmico, mas estar à prova de perguntas, críticas ou sugestões do leitor.

Não esqueça: o leitor crítico é sua maior fonte de aprendizado!
Experimente...

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.