7 atitudes de uma liderança inspiradora e eficaz

O líder lembra o porquê a equipe faz o que faz, inspirando a ação e o comprometimento das pessoas.

Toda equipe é reflexo da própria liderança. A responsabilidade de um líder vai além de coordenar, supervisionar, delegar funções e fazer com que tudo funcione bem. O líder não precisa ser o centro das atenções e tem o dever de lembrar a todos o porquê fazem o que fazem. Ele é exemplo porque vive por uma causa, luta por um ideal. Líderes que não vivem por uma causa, uma missão de vida, conquistam apenas a conta corrente das pessoas, não o coração.

A história de vida do líder e dos sucessores inspiram a equipe. O líder reconhece que não é perfeito e desenvolve o autoconhecimento, continuamente. Assim, ele tem condição moral de conhecer e guiar os demais, pois vive o que fala. Além de inspirar, ele é o principal responsável por ajudar a empresa a gerar resultados. Unir o propósito à eficácia é o principal desafio do líder. Fazendo Coaching com líderes de grandes e pequenas empresas que geram impacto social e financeiro, percebi as atitudes deles que fazem a diferença:

1. Lembram o propósito. Muitos sabem o que fazem, ou como fazem as atividades em diversas áreas da empresa, mas poucos sabem o porquê. A empresa que não tem um propósito bem definido, sobrevive mecanicamente, sem sentido para viver. Desde o fundador até os novos diretores, deve existir a transmissão do ideal que motivou o começo da empresa. Por isso, algumas organizações permanecem vivas ao longo dos anos, de geração em geração, pois nunca deixaram o propósito morrer. Se a sua empresa não tem um propósito, uma causa, ela não terá líderes, apenas chefes. Os líderes sabem o porquê fazem o que fazem e inspiram a ação das pessoas, pois vivem por esse ideal.

2. Definem metas. A empresa não vive apenas de um propósito, vive também de resultados. Líderes transformam sonhos em desejos conscientes: metas. As metas precisam ser boas para a empresa e boas para o colaborador, gerando interesse mútuo pela produtividade. Todos que trabalham na empresa devem ter metas bem definidas. O líder define e mensura a produtividade mensal de cada membro da equipe, além de acompanha-lo continuamente. A meta deve ser desafiadora e possível de ser alcançada. O desafio deve aumentar de acordo com a maturidade e qualidade das entregas do colaborador.

3. Planejam de maneira participativa. O planejamento é a ponte entre a meta e a ação. Líderes têm pensamento estratégico: dimensão do que está acontecendo e do que deve acontecer. Planejam com antecedência, de maneira participativa, fazendo com que todos da equipe saibam os próximos passos. Eles fazem reuniões periódicas no final da semana para que as pessoas iniciem a semana seguinte sabendo o que fazer. Delegam as responsabilidades na medida certa, gerando autonomia nos liderados. Utilizam sistemas de informação para acompanhar a produtividade da equipe e os números da empresa, gerenciando bem o tempo e a performance.

4. Sabem dar feedbacks. Só avalia quem acompanha. Líderes efetivos acompanham não apenas os números, mas os comportamentos das pessoas. Atitudes geram resultados e o feedback periódico é fundamental para orientar as atitudes das pessoas na direção certa. O líder se preocupa verdadeiramente com as pessoas, conquista a confiança e admiração dos liderados. Por isso, o feedback do líder é desejado, pois é valioso tanto para a carreira, quanto para a vida.

5. Sabem receber feedbacks. Só sabe falar quem sabe escutar, por isso o líder pede o feedback dos superiores e da própria equipe. Em momentos de transições desafiadoras ou delicadas, é comum os grandes líderes receberem o acompanhamento de um Coach ou ajuda de um Consultor. Ele não acha o bonzão e busca constantemente por aperfeiçoamento. Por isso, ele se relaciona com pessoas vencedoras e têm bons referenciais. Ele celebra e parabeniza cada vitória das pessoas, pois a equipe dele não é feita somente de funcionários, é feita de aliados.

6. Ensinam a fazer com excelência. Líderes também colocam a mão na massa, mas são tão eficientes que conseguem tempo para ensinar os demais. Enquanto produzem, mostram como fazer. Eles não tentam ser multitarefas, são muito bons no que fazem, mas não sabem fazer tudo, por isso formam equipes. Confiam nos outros e permitem o erro acontecer, cobrando a dedicação e o aprendizado. Eles lembram que um dia precisaram do apoio de um mentor, por isso têm empatia e paciência para transmitir o que sabem.

7. São protagonistas da própria história. Eles inspiram pelo sucesso profissional e pessoal. Assumem os próprios erros e mostram o que deve e o que não deve ser feito. Conquistam o respeito pela humildade, tratando bem tanto o faxineiro quanto o acionista. Eles têm muita força no caráter, pois são admirados como chefes, como pais, mães, maridos e esposas. Aqui vale lembrar a máxima dos espartanos: “os melhores homens nos tempos de guerra são os melhores homens nos tempos de paz”.

O maior desafio das organizações é a continuidade. A Kongo Gumi é a empresa mais antiga do mundo ainda em atividade. Com mais de 1.400 anos, a companhia começou como construtora de templos. O Nisiyama Onsen Keiunkan é um hotel em Hayakawa, e foi apontado pelo Guiness como o mais antigo do mundo ainda em operação. Desde que foi criado, já foi controlado por 52 proprietários, totalizando 1.307 anos de existência. A civilização egípcia durou mais de 10.000 anos. Quanto tempo vai durar a sua empresa? Os seus bisnetos lembrarão de você? Saberão o que você fez? Os valores da sua empresa ou da sua família são transmitidos pelas lideranças. De geração em geração, os valores garantem a continuidade. Antes de pensar sobre quantas pessoas você quer liderar, é importante pensar quais valores você quer transmitir.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento