5 regras mais importantes da educação financeira para enfrentar a crise. A terceira é a minha favorita

O presente artigo descreve de forma sucinta as 5 regras da Educação Financeira que ajudarão a enfrentar a crise em que vivemos. Recomenda-se a leitura paciente de todo o texto

Infelizmente, estamos enfrentando uma das maiores crises econômicas que o Brasil vivenciou, os números não deixam dúvidas sobre a gravidade desta situação. De acordo com algumas notícias, o ano de 2016 ficará na história como o segundo ano de recessão, algo que não acontece desde a década de 1930.

Para enfrentar esta crise, precisamos ter algum conhecimento básico de Educação Financeira, uma disciplina imprescindível para o cidadão brasileiro e acredito que todas as escolas deveriam adotá-la no seu currículo.

Antes de iniciar as principais regras da Educação Financeira, o melhor conceito para defini-la é:

“Educação financeira pode ser definida como o processo pelo qual consumidores e investidores melhoram sua compreensão sobre produtos, conceitos e riscos financeiros, obtêm informação e instrução, desenvolvem habilidades e confiança para fazerem escolhas mais conscientes e, assim, adotarem ações para seu bem-estar. ” (Fonte: OCDE).

Durante o meu estudo sobre o assunto, percebi que existem cinco regras importantes da Educação Financeira:

  1. Planejamento Financeiro (Disciplina) – registrar as receitas e despesas;
  2. Poupe (conceito => Colchão de Liquidez )=> Reserva financeira p/ emergência.
  3. Investir na educação (conhecimento) – o melhor investimento é investir em você mesmo.
  4. Evite ter dívidas
  5. Diversifique as aplicações (Reduzir o risco)

A Primeira Regra: Planejamento Financeiro

É decidir antecipadamente o que fazer com o dinheiro. Entretanto, para decidir, necessita de um orçamento (é um planejamento no qual se discriminam os valores referentes a receitas e despesas previstas para determinado período), pois através dele nós quantificamos as nossas receitas e despesas. Segundo William Edwards Deming: “O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado”

A Segunda Regra: Crie um Colchão de Liquidez ou Colchão Econômico

O colchão de liquidez é quando se aplica em um investimento que tem maior liquidez e segurança, é o caso da poupança. E Colchão Econômico é aplicar em qualquer investimento, não precisa ter maior liquidez. Exemplo: CDB, LCI, LCA...

A Terceira Regra: Investir na Educação

Quando se investe em si mesmo, na educação, você está se qualificando. Não é despesa e sim investimento.

A Quarta Regra: Evite ter dívidas

Ao fazer o orçamento, perceberá que algumas despesas poderão sair do orçamento por ser algo supérfluo. Com este simples procedimento, você evitará ter dívidas.

A Quinta Regra: Diversifique as aplicações

Devido à atual situação econômica brasileira - inflação alta, taxa de juros alta, crise na bolsa de valores e instabilidade econômica; alguns economistas sugerem que o melhor investimento é em renda fixa que pode ser pré-fixada ou pós-fixada. Se investir em pré-fixada, significa que está apostando que a taxa de juros irá baixar, caso invista em pós-fixada atrelada pela Selic, o pensamento é o contrário, que a taxa de juros vai aumentar. Então, muitos aplicadores diversificam o seu investimento para reduzir o risco, neste caso, investem uma parte na pré-fixada e o restante na pós-fixada; se obter lucro em um investimento, este compensará a perda do outro.

Maiores detalhes acessa o site: www.comunidadefinanceira.com.br

ExibirMinimizar
aci baixe o app