4 passos para analisar se vale a pena comprar ou alugar um imóvel

Temos uma cultura especialmente brasileira de associar estabilidade e sucesso financeiro com a compra da casa própria. Porém, o quanto comprar um imóvel é realmente sinal de um ou outro? Quais outras variáveis muito importantes estão sendo esquecidas nessa análise e que acabam limitando a prosperidade financeira ao invés de alavancá-la?

Quando falamos sobre comprar imóveis, geralmente a primeira coisa que aparece na conversa é a casa própria. Se o assunto se estende um pouco e as pessoas são brasileiras, a maioria das vezes acabamos falando sobre “Minha casa minha vida” e os 30 anos de prestação para a aquisição desse sonho tão cultural!

Sim, temos uma cultura especialmente brasileira de associar estabilidade e sucesso financeiro com a compra da casa própria. Porém, o quanto comprar um imóvel é realmente sinal de um ou outro? Quais outras variáveis muito importantes estão sendo esquecidas nessa análise e que acabam limitando a prosperidade financeira ao invés de alavancá-la?

Quem vem acompanhando nossos textos já aprendeu que investir ou tomar crédito são comportamentos modelados através da cultura, da educação (ou “deseducação” financeira) e exemplos que experimentamos em nosso meio.

Sendo assim, o primeiro passo antes de iniciar a análise para ação é conhecer o perfil individual ou familiar, ou seja, quais os valores pessoais e crenças que norteiam as tomadas de decisão, para que não haja arrependimento nem confusões especialmente se a decisão for comprar um imóvel.

O segundo passo é verificar o objetivo: morar ou investir? Essa resposta irá embasar o tipo de risco que podem tomar, o tipo de bairro, de perspectiva de valorização a curto, médio e longo prazo, a distância de centros urbanos, entre outras variáveis.

O terceiro passo é analisar em qual fase profissional as pessoas financeiramente responsáveis por essa decisão estão no momento atual e quais perspectivas as mesmas tem para os próximos 10 anos. Uma pessoa que está no auge de sua carreira profissional precisa de flexibilidade.

Pense comigo, se você acaba de comprar o apartamento do seu sonho, mobília tudo do seu jeito...e então recebe uma proposta para ir trabalhar em outro país...como você acha que se sentiria? Como uma coisa influenciaria a outra? Percebe a questão? Fatores emocionais muito mais relevantes que você imagina podem levá-lo a perder grandes oportunidades. Recomenda-se alugar nesse período da vida e investir em outros tipos de ativos para construir patrimônio!

O quarto passo é levantar os números, saber quanto de dinheiro eu disponibilizo por mês para investir em parcelas e custos gerais de moradia. E aqui ressalto a importância de ter claro como estão suas finanças, ou seja, conhecer com detalhes quanto você e/ou sua família custam por mês (contando com gastos pequenos como manicure, cafés e afins e custos fixos) e o quanto estão dispostos a fazer certas renúncias para realização desse objetivo.

Lembre-se que não deve comprometer todo seu dinheiro para essa compra ou locação, assim como deve se comprometer em continuar tendo uma reserva financeira para emergências. Assim não ficará refém de sua decisão e consequentemente poderá usufruir dos benefícios que tanto buscou!

Você deve saber que comprando ou alugando, o imóvel que você mora é considerado um passivo, ou seja, despesas no seu orçamento familiar: O investimento de uma entrada ou o valor total, despesas com condomínio, manutenção, despesas fixas como agua, luz, gás, etc. De qualquer modo, você arcará com custos para moradia. Se alugar também terá passivos da mesma categoria.

Quando você compra um imóvel para alugar ou para vender quando o mesmo atingir os pico de valorização você está criando a possibilidade de um ativo, ou seja, de fazer o dinheiro aplicado trabalhar para você de modo a gerar renda recorrente (aluguel) ou lucro (na venda). Claro que tanto num caso como no outro, analisar os riscos do ponto de vista financeiro e mercadológico também é essencial para fazer um bom negócio.

E para finalizar, te convido a refletir nessa frase de Augusto Cury:

“Sem sonhos a vida não tem brilho. Sem metas os sonhos não tem alicerces. Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais.”

Pois é, não existe certo ou errado e sim o mais funcional e adequado para você.

Feliz imóvel novo!

Sempre consulte especialistas.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento