4 etapas para se tornar um profissional com Accountability

Se você deseja ser protagonista do seu meio e acelerar resultados pessoais, na carreira e na sua empresa, veja abaixo as 4 etapas para se tornar um profissional Accountable.

No livro “Alice no país das Maravilhas”, ao se deparar diante de uma encruzilhada, Alice pede ajuda ao gato para saber qual caminho deve tomar. O gato então diz: “depende de onde você quer chegar”. Alice responde “realmente não importa” e o gato explica de forma taxativa, “Então não importa que caminho tomar”.

Quando trazemos isso para o mundo dos negócios, no entanto, saber qual caminho tomar realmente importa. Quando você não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve. Muitos de nós infelizmente aprendemos que seguir qualquer caminho pode resultar em caos e na necessidade de doloridos reparos.

Uma das maneiras mais efetivas para conseguir melhores resultados, seja nos negócios, na empresa ou em sua vida pessoal, é se tornando um profissional com Accountability.

O que significa Accountable? Essencialmente é ter seus objetivos bem definidos, se comprometer com eles e se responsabilizar pelas consequencias. O renomado dicionário americado Merrian-Webster define Accountability como “A qualidade ou estado de ser responsável; uma obrigação ou disposição de aceitar responsabilidade ou dar conta de suas ações.” Todavia, Rogger Connors, Tom Smith e Craig Hickman, autores do livro The Oz principle – um livro de 1994 que ficou conhecido mundialmente como “a bíblia do Accountability”, – vêem o Accountability como "A escolha pessoal de se elevar acima das circunstâncias e demonstrar a propriedade necessária para alcançar os resultados desejados".

Essa palavra, que não tem uma tradução exata para o português, é capaz de transformar o espectador em protagonista fazendo com que cada indivíduo se responsabilize por suas atitudes e as consequência das mesmas, com ética, coletividade e sentimento de dono.

Como podemos então implementar esse conceito para maximixar resultados? Primeiro, de acordo com o livro The Oz principle, identificando os comportamentos que refletem a cultura do Accountability e os que não refletem essa cultura, mensurando-os. Esses comportamentos são classificados como “acima da linha” ou “abaixo da linha”.

Os comportamentos ou pensamentos “abaixo da linha” são geralmente negativos e totalmente contrários do Accountability. Eles são classificados em seis categorias básicas: Ignorar / negar, “Não é minha função”, Deduração (apontar o dedo), Confusão (só faço o que me pedem), Proteger-se (“tirar o seu da reta”) e Esperar para ver.

A tabela abaixo, de um estudo da empresa de treinamentos em Accountability – Partners in Leadership – mostra, dentro de cada uma das seis categorias, várias das frases mais típicas do comportamento “abaixo da linha”e que são as desculpas mais ouvidas pelos gestores:

Tabela 1: Frases “abaixo da linha”

Todos nós já devemos ter ouvido pelo menos algumas dessas frases. De fato, podemos até tê-las usado muitas vezes. Esses são ótimos exemplos de comportamentos que não devemos adotar, se quisermos ter a cultura do Acountability.

Os comportamentos e pensamentos de quem busca estar “acima da linha”, por outro lado, são utilizados quando escolhemos atitudes positivas frente às situações.

Se você deseja ser protagonista do seu meio e acelerar resultados pessoais, na carreira e na sua empresa, veja abaixo as 4 etapas para se tornar um profissional Accountable, pautadas nesse conceito de pensamento positivo, como previsto pelo The Oz principle:

Tabela 2: As 4 etapas para o Accountability

Em resumo, para se tornar um profissional com Accountability é preciso mudar da RECLAMAÇÃO para a AÇÃO. O que isso quer dizer? Fundamentalmente isso quer dizer assumir para si a responsabilidade. Qualquer situação que venhamos a reclamar em nossas vidas, seja na esfera pessoal ou profissional, cabe a nós mesmos tomar o caminho e as ações que resultarão na sua resolução.

O problema é que muitos travam justamente no momento de maior desconforto ou dificuldade. Ao invés de enfrentarem a dificuldade e lidarem com o desconforto provocado tentando chegar à solução, muitos preferem afastar-se para, basicamente, se enterrarem na areia.

Se tornar Accountable, por outro lado, requer exatamente o contrário. Uma das etapas fundamentais do Accountability é aceitar o risco de “tocar nas feridas” – ou seja, se aproximando e, na verdade, encarando aquilo que pode parecer muito difícil ou até mesmo doloroso para enfrentar. Já dizia minha mãe, com o sábio ditado popular: “o que arde, cura”. Para atingir o accountability, seja no lado pessoal ou corporativo, nós temos que tocar as feridas que machucam nosso sucesso e atrapalham a maximixação dos resultados.

A primeira pequena ação, antes ainda das 4 etapas, está na definição dos objetivos e quais ações a serem tomadas. Aqui é onde as pessoas geralmente travam. Definir as metas desejadas, objetivos ou mesmo os resultados esperados, sejam eles pessoais ou corporativos, é o melhor caminho para atingir total clareza e evitar o temido pensamento de que “qualquer caminho serve”.

Tendo os problemas identificados e os objetivos definidos, você pode então usar as 4 etapas para estar “acima da linha” respondendo a qualquer questão que surgir. Cada situação pode ser vista dessa maneira – vendo e assumindo os problemas, buscando os meios para resolvê-los, colocando as soluções em prática e, então, colhendo os resultados.

O mesmo aplica-se também para o ambiente corporativo: as metas e objetivos precisam estar claramente definidas e divulgadas para que os profissionais possam buscar atingi-las plenamente. Esse será o tema do próximo artigo, onde pretendo escrever sobre os principais elementos para uma empresa aplicar o Accountability.

Resumindo: cada um de nós precisa saber para onde quer ir. Esse precisa ser o ponto de partida para as 4 etapas. Parafraseando Danton Vellozo, CEO da DOOR International Brasil: "Entre o Querer e o Poder, existe uma distância. O caminho que os une se chama Accountability".

Olavo J. Q. de Linhares

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento