10 Erros Sociais Extremamente Graves!

Turbine seu Q.S (QI Social) agora! Veja como ser mais carismático e assertivo evitando esses 10 erros básicos das interações sociais e se tornando uma pessoa que as outras gostarão de ter por perto!

Dez erros sociais extremamente graves

Em nossa vida, a habilidade social faz uma grande diferença nos resultados. A sua capacidade de conversar bem com as pessoas, fazer amigos e ganhar a confiança deles são habilidades importantíssimas. Já viu aquelas pessoas que começam a conversar com a gente e nós adoramos o papo? São pessoas que têm grande habilidade social. Só que existem também aquelas pessoas de quem você foge desesperadamente. É aquele tipo de pessoa com uma conversa entediante!

Abaixo segue uma lista das 10 coisas a ser evitadas em suas interações sociais. Leia com atenção e veja se você não está incorrendo nesses erros. Geralmente alguma coisa a gente costuma estar fazendo errado. (algumas eu cometida, mas agora há um bom tempo, não mais!)

1 – Interromper demais as pessoas quando estão falando

Isso parece óbvio, né? Muitas vezes nós estamos tão ocupados tentando ser ouvidos que esquecemos de ouvir. Então, ao invés de nos preocuparmos com o que é importante para o ser humano a nossa frente, nós perdemos aquele tempo precioso pensando no que vamos falar depois.

É um grande erro!

Quando fazemos isso, não apenas estamos sendo mal educados, como ficamos completamente distanciados da conversa. A pessoa percebe que você não está prestando atenção ao que ela fala. E quem quer falar pra uma parede?

Tente adotar o hábito de absorver completamente o que a outra pessoa está dizendo antes de responder. Isso já é um ENORME PASSO para se tornar um ouvinte efetivo.
Para quem tem função de liderança, lembre-se: a função de um líder é identificar e satisfazer necessidades. E como você vai identificar se não ouvir o que as pessoas têm a dizer?
Líderes são sempre bons ouvintes.

2 – Falar DEMAIS, emendando um assunto no outro sem parar

Você já deve ter vivido essa situação. Você está falando com uma pessoa no telefone e tenta desligar, mas ela sempre emenda mais um assunto e, quando você pensa que a conversa vai acabar, começa tudo outra vez.

Você gosta disso? Eu não gosto e a maioria das pessoas também não.

Se você é uma pessoa é uma pessoa apaixonada pela vida, entusiasmada e feliz, é muito fácil cair nesse erro.
E ter paixão e entusiasmo NORMALMENTE é excelente! Mas se você nota que as pessoas com quem você conversa estão sempre tentando fazer um comentário e você nunca deixa, há algo errado.

Uma boa dica é falar como nos ensinaram a escrever. Nós escrevemos em parágrafos, certo? E separamos os assuntos assim, não é? Um parágrafo é um bloco que encerra um pensamento (exceto em e-mails em que o parágrafo é mais usado pra facilitar a leitura). Então, que tal nas conversas falar um assunto de cada vez? Você tem feito isso? Tem dado tempo para as pessoas responderem? Ou sai atropelando?
Você vive repetindo expressões como "...aliás..." ou "...por falar nisso..."?

Você precisa dar a chance das pessoas falarem. Precisa ouvir mais. Senão fizer isso, você pode NUNCA MAIS ter a chance de conversar de novo com aquela pessoa. E isso seria péssimo, não é ?

3 – Exagerar nas fofocas

É claro que você diz que não faz esse tipo de coisa, mas deixa eu te contar uma cena que assisti na adolescência e que me marcou muito.

Um dos meus amigos mais próximos era apaixonado pela minha prima. Me enchia a paciência para conseguir um encontro com ela até que eu, finalmente, tive a chance de marcar pra ele. Depois de meses ele estava conversando com ela. Era só não falar besteira, porque eu já tinha "promovido" demais esse meu amigo (sem saber eu já fazia marketing...rs). Adivinha o que aconteceu?... Ele falou besteira.

Pra tentar impressionar a garota, contou um monte de segredos dos amigos dele (inclusive eu) e achou que isso ia interessá-la. Na primeira pergunta que ele fez a ela, tomou uma bronca horrorosa! Ela disse que odeia fofoqueiros e que não ia falar nada pra ele, porque já sabia que ele ia contar pra todo mundo.

Quando ele me contou aquilo, eu aprendi que as pessoas quando nos vêem fazendo alguma coisa a outros, pensam logo que você vai fazer a mesma coisa a elas.
Se você começa a contar "segredos", tentando mostrar que é bem relacionado e que tem acesso a informações privilegiadas, o máximo que consegue é mostrar que é um(a) fofoqueiro(a) e isso só atrai pessoas iguaizinhas, que só vão aos seminários e AOs pra reparar nas coisas e fofocar.

Acredite em mim, você NÃO QUER uma organização de fofoqueiros...

4 – Achar que sabe mais do que um especialista

Uma vez fui ao teatro com amigos e era uma daquelas comédias tipo "Nóis na Fita". O ator brincou com um dos nossos amigos e ele não soube levar na esportiva, tentando também brincar com o comediante, achando que podia levar a melhor.

Foi feio o tombo... Mas é claro que tinha que ser! Um comediante desse tipo faz isso todas as noites e já ouviu todo tipo de resposta e zuação. Acredite em mim, se você quiser entrar na brincadeira com um cara desses, a não ser que você seja MUITO BOM COMEDIANTE, ele vai te massacrar!

Muitas vezes você vê distribuidores tentando ensinar a um dentista sobre flúor, sobre dentes, sobre saúde. Pior, tentando mostrar pra um dentista que tudo que ele aprendeu na faculdade está errado!
Isso tem alguma chance de dar certo?! Mesmo que você ganhe a discussão, perde a amizade e a chance de vender pra ele ou recrutá-lo.

Lembre-se que quem tem razão, não tem dinheiro.

Um outro exemplo é um conhecido meu que quase perdeu a chance de casar com a esposa. Quando eles se conheceram, ela puxou um assunto sobre carros esportivos e ele, achando que mulheres não entendem nada disso, começou um monte de fanfarronice.

Acontece que a mulher dele, na época, trabalhava na única importadora da Porsche e da Jaguar que havia no Brasil e sabia tudo de carros esportivos, principalmente de luxo.

Ele falou tanta besteira que deixou uma péssima impressão nela. E ele só consertou essa impressão meses depois, com a ajuda da prima dela.

É perigoso tirar conclusões precipitadas. É perigoso adivinhar quem a pessoa é e o quanto ela sabe. Não seja essa pessoa que adivinha tudo e sai falando. Seja a pessoa que ouve mais e pensa antes de falar.

5 – Ser aquela pessoa que odeia tudo e todos

Ultimamente, mais do que nunca, todos têm falado sobre evitar as pessoas negativas. Sobretudo no ambiente do marketing de rede, os negativos são COMPLETAMENTE tóxicos.
E tem aquelas pessoas que odeiam Big Brother (eu inclusive), odeiam o Lula, odeiam sair à noite, odeiam shopping lotado, odeiam o Maluf, odeiam fila, odeiam cinema cheio, odeiam, odeiam, odeiam...

Observe que os exemplos que dei acima são coisas dignas de se odiar. Afinal de contas quem gosta de esperar um tempão numa fila?

O problema mesmo é só FALAR sobre as coisas que você odeia. Pode ter graça falar que odeia novela (eu ODEIO!!) por algum tempo, mas ficar 3 horas falando só das coisas que você odeia, enche a paciência de qualquer um!
Aliás, tudo que possa ser considerado "reclamação" é socialmente repelente. Por mais engraçado que seja seu ódio por palhaços, por exemplo, vai chegar um momento em que vai perder a graça.

Eu mesmo odeio novela e falo sempre mal dos pastéis chineses da vida, mas não passo o tempo todo falando disso. Isso é, no máximo, 15% dos meus assuntos.

Mantenha assim: 85 a 90% de positividade e o resto neutro ou negativo, afinal de contas ficar só positivo, sem enxergar os problemas, fora da realidade também não é o ideal. O bom é o equilíbrio.


Continue lendo o restante do artigo em meu Blog, clicando AQUI

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento