É possível desenvolver líderes?
É possível desenvolver líderes?

É possível desenvolver líderes?

O primeiro passo no desenvolvimento é entender que os treinamentos não são a única iniciativa para transformar as pessoas em novos líderes ou, até mesmo, líderes de líderes

Devemos ter em mente que o nível do desenvolvimento de um gestor dependerá de diversos fatores, como personalidade, valores, soft skills, estabilidade emocional, histórico de vida e vários pontos que impactam diretamente o seu comportamento

O primeiro passo no desenvolvimento é entender que os treinamentos não são a única iniciativa para transformar as pessoas em novos líderes ou, até mesmo, líderes de líderes.

Vale a pena conhecer as diversas teorias e cases de mercado relacionados a esse tema, mas entendo que o conceito 70:20:10 - criada por Morgan McCall e seus colegas do Center for Creative, na Carolina do Norte - tem uma capacidade de alto impacto no desenvolvimento de profissionais.

O estudo demonstra que os gestores são formados com base na exposição a três níveis de ações de desenvolvimento. Os pesquisadores alegaram que as competências são provenientes de missões mais delicadas e experiências (70%); interação com outros profissionais, principalmente seus superiores (20%); e treinamentos e estudos pessoais, que representam 10%.

Estudar em uma excelente escola de negócios ou mesmo atender a diversos treinamentos empresariais é muito relevante, mas não é suficiente para o desenvolvimento como líder. Neste espaço de aprendizagem, o grande ganho é a obtenção de conhecimentos e reflexões sobre temas importantes.

Ter conhecimentos atualizados é essencial para a sua carreira e também para poder liderar, mas o salto nessa trajetória será promovido pelo desenvolvimento de competências comportamentais, as soft skills. É nesse campo que reside o maior desafio das pessoas, seja no nível da nova liderança, seja na constituição de líder de líderes.

Desta forma, o desenvolvimento de soft skills está conectado não somente aos conhecimentos (os 10% da teoria), mas muito mais aos outros 90% dela: missões mais delicadas e experiências desafiadoras (70%) e interação com outros profissionais, principalmente seus superiores (20%).

Do lado das experiências é importante que você pense em perguntas como: “Quais experiências são necessárias na carreira para o desenvolvimento como líder?”, “Devem ser experiências nacionais ou internacionais?”, “Elas dependem exclusivamente das empresas?”, “Que pessoas poderiam, de fato, ajudar a reduzir os gaps de competência?”, “Estamos abertos, realmente, a mudanças?”

As competências para todas as posições de liderança podem até parecer as mesmas, mas a diferença está na complexidade de liderar pessoas em cada nível hierárquico.

Pela parte das interações com outros profissionais a pergunta é: “Você tem na sua rede de relacionamentos contatos que possam colaborar em aconselhamentos e mentoring para ajudá-lo em momentos sensíveis e essenciais na sua carreira?”

E lembre-se sempre que o grande desafio é: Como o mundo muda rapidamente, é uma tarefa árdua qualificar as pessoas para cenários que ainda nem se sabe como serão.

As competências de soft skills poderão ser diversas, mas, neste contexto de rápidas mudanças, talvez duas delas sejam mais relevantes no tempo presente, já que não se conhece quais adaptações serão necessárias para suportar o modelo de negócios das empresas no futuro: adaptabilidade e learning agility.

Pense nos pilares da teoria 70:20:10 e nos seus objetivos profissionais e crie o seu programa de desenvolvimento para a jornada da sua carreira como líder.

Video: É possível desenvolver líderes?

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Armando Lourenzo

    Armando Lourenzo

    Doutor e Mestre em administração pela FEA/USP, professor convidado da FIA, USP (PECEGE) e Casa do Saber. Diretor da Universidade Corporativa da EY. Presidente do Instituto da EY. Colunista da Revista Você S/A (Versão Digital) e do Portal Administradores.com. Palestrante em eventos nacionais e internacionais. Escritor de livros e artigos na área de negócios. e mentor da Revista Exame.

    café com admMinimizar